CADERNOS CÊNICOS https://seer.ufal.br/index.php/CadCenicos A Cadernos Cênicos é uma publicação semestral do Núcleo de Estudo e Pesquisa das Expressões Dramáticas (NEPED/CNPq), vinculada ao curso de Teatro licenciatura da UFAL. Objetiva fomentar a reflexão, produção e divulgação de práticas de pesquisa, extensão e criação artística de discente dos cursos de Teatro e outras artes (Dança, Música, Cinema, Artes Visuais, Literatura). Universidade Federal de Alagoas pt-BR CADERNOS CÊNICOS 2675-5319 <p>Ao submeter um trabalho à Cadernos Cênicos, os(as) autores(as) concordam com as normas de publicação e cedem, sem remuneração, os direitos de publicação nesse canal.</p><p> </p> A inventividade por meio de études e da atmosfera cênica https://seer.ufal.br/index.php/CadCenicos/article/view/13189 <p>Um projeto sempre possibilita encontros, descobertas, estudos e muito crescimento. Neste, além de conseguirmos atingir as metas, conseguimos extrapolar as possibilidades de desdobramentos que poderíamos ter. O projeto do Pibic 2020-2021 (Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica), "A Técnica de Inventividade por meio de Études e da Atmosfera Cênica: Na Revisitação da Literatura de Graciliano Ramos", tem como objetivo pesquisar a práxis em um exercício de retroalimentação, utilizando a metodologia sistematizada por Constantin Stanislávski. Neste artigo será explanado sobre os resultados obtidos das experimentações no projeto com base nos ensaios, pelo olhar do ator e da sua vivência durante todo o desenvolvimento deste estudo. Embasada com os teóricos Konstantin Stanislávski, Michael Chekvov, Maria Knébel, Fayga Ostrower, Peter Zumthor e outros, que nos apontaram caminhos sobre a atmosfera cênica, atmosfera criativa, o trabalho do ator e <em>études</em>, eles nos auxiliaram no processo criativo, criação da personagem e na encenação de todos os atores envolvidos. Sabendo que esta dramaturgia foi escrita a partir da obra de Graciliano Ramos, o desafio de trazer personagens importantes desta literatura e suas atmosferas era grande, mas as experimentações através dos études nos ensaios foram essenciais para isso acontecer. Ao combinar a prática com todas as técnicas estudadas e as escolhas literárias para o espetáculo autoral, maximizamos nossos horizontes pelas várias possibilidades criativas que conquistamos ao longo de toda pesquisa, potencializando o trabalho do ator e o resultado cênico.</p> Angélica Louise Araújo Brandão Copyright (c) 2021 2021-12-20 2021-12-20 3 5 1 15 A história dos Parangolés e sua memória coletiva e política https://seer.ufal.br/index.php/CadCenicos/article/view/13194 <p>Este artigo apresenta a história dos parangolés, conceituado pelo artista Hélio Oiticica no final da década de 1950 e início de 1960. A abordagem do artigo faz um recorte entre as décadas 60, 70 e 80. As fontes históricas analisadas no trabalho serão fotografias, entrevistas, revisão bibliográfica, experiências práticas, exposições de arte e visita em museus. O artigo apresenta a potencialidade da obra de Oiticica por meio de uma extensa memória política e forte crítica social materializando a exclusão social por meio de sua antiarte.</p> Laís Souza Queiroz Anderson da Silva Almeida Copyright (c) 2021 2021-12-20 2021-12-20 3 5 1 15 Indústria Cultural 2.0 https://seer.ufal.br/index.php/CadCenicos/article/view/13192 <p>Tendo como base os operadores da Indústria Cultural clássica de Adorno e Horkheimer, iremos fazer o percurso de analisar de que maneira estes operadores apresentados pelos autores continuam atuais no ambiente virtual. A&nbsp;Indústria Cultural 2.0&nbsp;tem algumas de suas ações submetidas a matrizes tecnológicas, antes nem sonhadas. Marcada pela troca e transmissão de mensagens audiovisuais, possui um sistema muito mais flexível e realista. Primeiramente, seguindo a proposta de Rodrigo Duarte (2010; 2011) apresento os cinco operadores da Indústria Cultural encontrados na proposta clássica de Adorno e Horkheimer. A partir deste processo de reconstrução destes operadores da Indústria Cultural clássica, traremos exemplos de criações de <em>net art</em> que refletem sobre as questões do espaço virtual e seu impacto nos indivíduos, além de abordar temáticas atuais como a <em>deep fake</em>, tecnologia que usa inteligência artificial para criar vídeos falsos ou o NFT, um <em>token</em> que vem sendo utilizado para dar um lastro digital para as obras de arte. Neste sentido, partiremos de reflexões filosóficas que buscam atualizar o conceito de Indústria Cultural e de exemplos da arte, além de outras temáticas atuais, para tentar adquirir uma melhor compreensão deste fenômeno contemporâneo em que estamos inseridos. Concluímos que os conceitos da Indústria Cultural clássica permanecem atuais para compreender a Indústria Cultural 2.0 e reconhecendo que arte permanece como um local importante de diagnóstico de seu tempo. Os operadores da versão clássica se transformaram no contexto da internet, sem deixar de seguirem desempenhando as mesmas funções econômicas e ideológicas da abordagem original por Adorno e Horkheimer.</p> Pablo Gabriel III Mendoza Rojas Copyright (c) 2021 2021-12-20 2021-12-20 3 5 1 14 O drama de Strindberg https://seer.ufal.br/index.php/CadCenicos/article/view/13190 <p>O presente artigo fala sobre a peça teatral Senhorita Julia (1889), de August Strindberg, e discute as relações entre classes e gêneros diferentes sob a ótica do autor em seu contexto naturalista e a dramaturgia do eu na construção do drama teatral.</p> Morgana Barros Dias Copyright (c) 2021 2021-12-20 2021-12-20 3 5 1 6 A semiótica teatral na construção da atmosfera cênica https://seer.ufal.br/index.php/CadCenicos/article/view/13188 <p>Fruto do PIBIC/CNPq/UFAL, o presente artigo pretende delinear os resultados obtidos através da pesquisa “A Técnica de Inventividade por meio de Études e&nbsp; da Atmosfera Cênica: na Revisitação da Literatura de Graciliano Ramos” que objetivou experimentar a aplicação online do método de études, de&nbsp; Konstantin Stanislavsky, em um estudo sobre a Atmosfera Cênica, segundo Böhme (1993), e as decisões simbólicas da dramaturgia criada para tanto, numa adaptação da obra do escritor alagoano Graciliano Ramos. A metodologia russa foi aporte para os processos criativos, assim como estudos conceituais sobre a arte do ator, direção teatral e processos criativos, com Ostrower (1996), resultando no espetáculo “Fricções”, que estreou como um produto audiovisual em outubro de 2021.</p> Lucas de Araújo Rocha Carvalho Copyright (c) 2021 2021-12-20 2021-12-20 3 5 Informação, memória e identidade cultural https://seer.ufal.br/index.php/CadCenicos/article/view/13193 <p>No Brasil, existem várias formas de manifestações da cultura popular. Cada região e estado possuem seus diferentes tipos de costumes e linguagens. Essas manifestações culturais representam a herança de seus antepassados, reunindo suas tradições em um ato simbólico. Na região Nordeste, a multipluralidade é imensa, com uma cultura heterogênea e bem tradicional. Em Alagoas, não é diferente. Os folguedos são importantes para o estado, os quais tiveram início nos engenhos com as culturas lusitanas. O objetivo da pesquisa consistiu em retratar a importância do folguedo chegança como fonte de informação, memória e identidade cultural de Alagoas. Esta pesquisa teve abordagem qualitativa com procedimento de estudo de caso. Em Alagoas, concentra-se uma grande quantidade de folguedos natalinos, são eles: reisado, guerreiro, fandango, chegança, pastoril dramático, pastoril, taieiras, maracatu, baianas, quilombo e cavalgadas. A chegança representa a luta entre os mouros infiéis seguidores de Maomé com os cristãos, um auto com temática marítima. Surgiu em Alagoas entre os anos de 1927 e 1929 e foi o resultado da união de reisados alagoanos, pastoril e auto das caboclinhas. As músicas são acompanhadas por alguns instrumentos musicais, como a rabeca, a viola e os pandeiros dos marujos. O impacto cultural proporciona uma visão de mundo diferente quando torna-se parte intrínseca do sujeito. A falta de visibilidade das manifestações tem afetado a apropriação da cultura dos folguedos populares, os quais estão em declínio, entrando no esquecimento, podendo mesmo se extinguir.</p> Jusmenne Jasão Melo da Silva Wagner Cristian dos Santos Taynara Cristina da Silva Copyright (c) 2021 2021-12-20 2021-12-20 3 5 1 12 Gota D'água e as milícias https://seer.ufal.br/index.php/CadCenicos/article/view/13191 <p>Este artigo tem o objetivo de analisar através das atitudes de algumas personagens da obra Gota D’água escrita por Chico Buarque e Paulo Pontes (1975), baseado na tragédia grega Medeia de Eurípides (431 a.C.), o poder político que existe dentro de comunidades periféricas através do abuso de poder das milícias. Traçando conexões do texto escrito em 1975 com o nosso cenário atual, onde existe uma ligação ideológica de determinados grupos políticos que facilitam o acesso das milícias com a condição de se manter no poder perpetuando atitudes totalmente antidemocráticas.</p> Laís de Paiva Gonçalves Copyright (c) 2021 2021-12-20 2021-12-20 3 5 1 9 Atuação cinematográfica https://seer.ufal.br/index.php/CadCenicos/article/view/13199 <p>Este relato de pesquisa apresenta o Projeto de Iniciação Científica (PIBIC) intitulado Atuação Cinematográfica: reflexões sobre o lugar do/a ator/atriz no cinema alagoano desenvolvido no Curso de Teatro Licenciatura da Universidade Federal de Alagoas.&nbsp; Na pesquisa nos propusemos a desenvolver uma reflexão acerca do papel do/a ator/atriz nas produções audiovisuais do estado. O tema é abrangente, nos leva a várias perspectivas de análise e aborda assuntos caros tanto ao teatro quanto ao cinema. Várias são as possibilidades de aproximação à temática, como por exemplo: as escolas de interpretação de atores/atrizes que observaram seus métodos migrarem do teatro ao cinema: a função da direção de atores/atrizes e suas diferentes abordagens, distanciamentos e aproximações entre o teatro e o cinema; o papel que ocupa o/a ator e atriz alagoanos na produção cinematográfica local, entre outras. As possibilidades não se esgotam facilmente. O campo é vasto e ainda pouco explorado e expõe uma escassa reflexão sobre o papel do ator na produção cinematográfica. Não obstante, a categoria tem sido palco de várias tensões e é, a partir desses questionamentos, que desejamos aprofundar na pesquisa. Onde está o ator/atriz alagoano/a nas produções de cinema do estado? Que tensões se colocam entre a interpretação nos filmes de ficção e o lugar da autorrepresentação no cinema documentário? O que pautam as escolhas que levam à contratação do/a ator/atriz estreante em detrimento do/a ator/atriz experiente e profissional? Em que sentido um ator não profissional pode enriquecer um filme? Como premiar personagens de filmes documentários por suas atuações?&nbsp; São algumas questões por onde a pesquisa transitou.</p> Ticiane Simões dos Santos Copyright (c) 2021 2021-12-20 2021-12-20 3 5 1 10 Ação performática e feminismo negro https://seer.ufal.br/index.php/CadCenicos/article/view/13195 <p>Transformando a dor em arte percebo o quão rico é o fazer artístico e tudo o que atravessa o mesmo. Meu interesse é sobre o que a arte pode mudar no mundo, qual o papel do meu fazer artístico? Isso desencadeou uma série de questões e uma delas são os recortes sobre performance e feminismo negro. Tudo o que me atravessa no dia a dia, nas questões sobre política, arte, corpo, classe, faz com que eu produza ação performática e protesto, com o meu corpo, voz, gestos, escrita, movimentos, entre outras ações. Que arte tem o poder de me atravessar e me fez fazer escolhas? Aqui estou com meus pensamentos e ações formuladas para poder desenvolver de forma artística a política ao qual acredito. Sempre pensei que a arte mudaria o mundo e acredito nas minhas ações enquanto artista, as minhas intenções sempre foram viscerais e com dor quando se trata em falar de arte, trazendo a estética artística e, o mais importante, eu mesma. O projeto, que tinha como objetivos mapear os espetáculos de autoria feminina que tratam sobre o universo da mulher e analisar os espetáculos à luz de uma estética do feminismo, me deu embasamentos teóricos e aprofundamentos nos materiais didáticos e acadêmicos. As referências bibliográficas como o livro de Djamila Ribeiro me fizeram citá-la no meu artigo, porque usei os recortes para desenvolver o mesmo, assim como outros material teóricos, já as ações práticas me fizeram lapidar a performance e alguns pontos em relação ao ativismo dentro da mesma. Quero ressaltar que esse projeto de PIBIC não só me direcionou para as teorias e embasamentos teóricos, mas também as discussões e as ações práticas.</p> Maria Everlane de Moraes Lima Copyright (c) 2021 2021-12-20 2021-12-20 3 5 1 9 Editorial https://seer.ufal.br/index.php/CadCenicos/article/view/13197 Joana Wildhagen Copyright (c) 2021 2021-12-20 2021-12-20 3 5 Apesar da covardia, Acioli vive https://seer.ufal.br/index.php/CadCenicos/article/view/13198 Otávio Cabral Copyright (c) 2021 2021-12-20 2021-12-20 3 5 1 2