Desafios de um projeto interdisciplinar na formação de artesãos do curso técnico em Artesanato/PROEJA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.28998/2175-6600.2020v12n26p582-595

Palavras-chave:

Produção artesanal. Interdisciplinaridade. PROEJA

Resumo

As experiências nos trazem subsídios para enfrentar desafios e propor alternativas que envolvam o saber humano dentro da realidade que o cerca. O presente artigo, busca em seu desenvolvimento, contextualizar o percurso de um projeto de trabalho participativo e interdisciplinar realizado com um grupo de alunos artesãos que integram o Curso técnico em Artesanato, modalidade PROEJA, do Instituto Federal de Alagoas (IFAL) – Campus Maceió, que, diante de sua realidade cotidiana, trazem alternativas da busca sustentável do conhecimento sob a ótica do meio em que habitam, levando em consideração as referências culturais presentes nas cidades do Estado de Alagoas. Sendo assim, nos pautamos na valorização do Patrimônio Cultural, embasados na apropriação de prerrogativas que envolvem a Educação Patrimonial. O resultado se mostra, no desenvolvimento de produtos que promovem a junção entre o design e o fazer artesanal, que resulta em peças com identidade única fruto de uma experiência exitosa dentro de uma perspectiva interdisciplinar de ação.

Biografia do Autor

Juliana Aguiar, Instituto Federal de Alagoas (IFAL)

Mestre em Arquitetura e Urbanismo PPGAU/FAU/UFAL. Professora do Instituto Federal de Alagoas/Campus Maceió.

Ana Cristina Santos Limeira, Instituto Federal de Alagoas (IFAL)

Doutora em Educação:Currículo/PUCSP - Professora do Instituto Federal de Alagoas/Campus Maceió.

Referências

ANDRADE, Maria Margarida. Introdução à metodologia do trabalho científico. 10. ed. São Paulo: Atlas S.A, 2010.

BRASIL. Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. Secretaria de Comércio e Serviços, Portaria no- 29, de 5 de outubro de 2010. Base Conceitual do Artesanato Brasileiro. Diário Oficial da União nº 192, quarta-feira, 06 de outubro de 2010.

CASTRIOTA, Leonardo Barci. Patrimônio Cultural: conceitos, políticas, instrumentos. São Paulo: Annablume, 2009.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 2002.

GONÇALVES, José Reginaldo Santos. Ressonância, Materialidade e Subjetividade: as culturas como patrimônios. Horizontes Antropológicos. Porto Alegre, ano 11, n. 23, p. 15-36, jan/jun 2005.

HERNÁNDEZ, Fernando. Transgressão e Mudanças na Educação: Os projetos de trabalho. Porto Alegre: ArteMed, 1998.

HORTA, Maria de Lourdes Parreiras; GRUNBERG, Evelina; MONTEIRO, Adriane Queiroz. Guia Básico de Educação Patrimonial. 5. ed. Brasília: Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, Museu Imperial, 1999.

LINS, Stefani Brito. “Alagoas Engenho e Arte”. In: APRATTO, Douglas; DANTAS, Carmen Lúcia. Mestres artesãos das Alagoas. 2. ed. Maceió: Instituto Arnon de Mello, 2009.

NÓVOA, Antônio. A formação tem que passar por aqui: as histórias de vida no Projeto Prosalus. In: o método (auto)biogragráfico e a formação. Porto Alegre: ArtMed, 1998.

MUNARI, Bruno. Das coisas nascem coisas. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2008.

ROMERO, M. A. B. Arquitetura do lugar: uma visão bioclimática da sustentabilidade em Brasília. São Paulo: Nova Técnica Editora, 2001.

Downloads

Publicado

06/04/2020

Como Citar

AGUIAR, J.; LIMEIRA, A. C. S. Desafios de um projeto interdisciplinar na formação de artesãos do curso técnico em Artesanato/PROEJA. Debates em Educação, [S. l.], v. 12, n. 26, p. 582–595, 2020. DOI: 10.28998/2175-6600.2020v12n26p582-595. Disponível em: https://seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/8517. Acesso em: 29 nov. 2021.

Edição

Seção

Dossiê "PROEJA Artesanato"

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)