https://seer.ufal.br/index.php/revistacienciaagricola/issue/feed Revista Ciência Agrícola 2022-12-29T10:01:38-03:00 Roseane Cristina Predes Trindade roseane.predes@uol.com.br Open Journal Systems <p align="justify"><big>A Revista Ciência Agrícola (ISSN: 2447-3383) é editada desde o ano de 1991, com apoio do corpo docente do Campus de Engenharias e Ciências Agrárias e da Editora da Universidade Federal de Alagoas (EDUFAL), com periodicidade quadrimestral, no formato eletrônico de acesso livre, destinando-se à divulgação de trabalhos científicos originais e inéditos, elaborados em português, inglês ou espanhol, com escopo voltado a pesquisas em engenharia florestal, ciências do solo, proteção de plantas, engenharia agrícola, produção vegetal e produção animal.</big></p> https://seer.ufal.br/index.php/revistacienciaagricola/article/view/12971 FUNGITOXIDADE DO ÓLEO ESSENCIAL DE GUAÇATONGA, Casearia sylvestris, NO DESENVOLVIMENTO IN VITRO DE FUNGOS FITOPATOGÊNICOS E AVALIAÇÃO IN VIVO EM PLANTAS DE BETERRABA PARA O CONTROLE DE CERCOSPORIOSE 2022-04-11T20:41:02-03:00 Letícia Boruch leeboruch@hotmail.com Tayná Jordana Ben tj.ben@hotmail.com Carla Garcia carlagarcia@unicentro.br Leandro Alvarenga dos Santos leandro.alvarenga.s@hotmail.com Cacilda Márcia Duarte Rios Faria criosfaria@hotmail.com <p>Fitopatógenos interferem de forma negativa na produção e na qualidade final dos produtos agrícolas comercializados. O trabalho tem como objetivo verificar o controle alternativo dos fungos <em>Cercospora beticola</em> <em>sacc, Phytophthora infestans </em>e<em> Colletotrichum lindemuthianum, </em>utilizando as doses 0,2; 0,4; 0,6; 0,8 µL mL<sup>-1</sup> do óleo essencial de guaçatonga, em comparação a testemunha com somente água. Avaliou- se <em>in vitro </em>o potencial do óleo essencial de guaçatonga OEG (<em>Casearia sylvestris</em>) em comparação ao índice do crescimento micelial (IVCM), e <em>in vivo </em>a severidade da cercospora em plantas de beterraba, também se determinou o potencial do OEG em induzir mecanismo de resistência. Examinou-se a atividade da enzima peroxidase. Dessa forma, adicionou-se o óleo em placas de Petri para experimento <em>in vitro </em>e para <em>in vivo </em>pulverizou-se semanalmente o óleo sobre as plantas acondicionadas em casa de vegetação. Determinou-se o efeito direto do óleo sobre os fungos e o controle de cercospora nas folhas de beterraba, e a atividade da enzima peroxidase. Verificou-se que o óleo não apresentou efeito direto sobre a <em>C. beticola </em>in <em>vitro</em>, mas sim sobre os outros dois fungos obteve redução sobre o IVCM, e ativou simultaneamente mecanismos de defesa sobre as plantas de beterraba. Assim, pode se dizer que o, OEG apresenta a capacidade de agir diretamente sobre os patógenos <em>Phytophthora infestans, Colletotrichum lindemuthianum </em>e induzir a resistência de plantas beterraba contra <em>Cercospora beticola.</em></p> 2022-12-29T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Letícia Boruch, Tayná Jordana Ben, Carla Garcia, Leandro Alvarenga dos Santos, Cacilda Márcia Duarte Rios Faria https://seer.ufal.br/index.php/revistacienciaagricola/article/view/13146 PRODUTIVIDADE E EFICIÊNCIA ECONÔMICA DA ABOBRINHA ITALIANA EM FUNÇÃO DE DIFERENTES DOSES DE NITROGÊNIO VIA FERTIRRIGAÇÃO 2022-08-02T15:32:17-03:00 Nelson Licínio Campos de Oliveira nelson.oliveira@ifnmg.edu.br Mário Herval César Júnior mhcj@aluno.ifnmg.edu.br Rodrigo Amato Moreira amatomoreira@yahoo.com.br Ednaldo Liberato de Oliveira ednaldo.liberato@ifnmg.edu.br <p>A abobrinha italiana (<em>Cucurbita pepo</em> L.) é uma das culturas de grande importância para o mercado das olerícolas no Brasil, apresenta uma boa aceitação pelo mercado consumidor e possui um alto valor econômico. O nitrogênio é um dos nutrientes mais requeridos pela planta, sendo que o aumento das doses de forma adequada proporciona aumento da área foliar e produção de frutos. Existe evidências de que elevados níveis de fertilizantes nitrogenados atrasam a produção. O objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito de diferentes doses de nitrogênio aplicado via fertirrigação, no desempenho agronômico da cultura da abobrinha italiana, na estação de inverno em Januária (MG). O experimento foi conduzido na Unidade de Olericultura do Instituto Federal de Educação e Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais (IFNMG) – campus Januária, no período de 10/07/2019 a 19/09/2019, em sistema convencional de cultivo em ambiente aberto, sendo constituído de cinco tratamentos, conduzido no delineamento de blocos ao acaso com quatro repetições. Os tratamentos constituíram de cinco doses (0; 60; 120; 240 e 480 kg ha<sup>-1</sup>) de N sendo o fertilizante utilizado o nitrato de cálcio. Durante o experimento foram avaliados o número de folhas, área foliar, altura da planta, massas secas de limbo, pecíolo, caule, número de frutos e produtividade. A dose que proporcionou maior produtividade para a cultura foi de 341,79 kg ha<sup>-1</sup> de N, resultando em uma produtividade de 57.537,93 kg ha<sup>-1</sup>, e a dose de máxima eficiência econômica de N foi de 326,64 kg ha<sup>-1</sup>, resultando em uma produtividade de frutos de 57.467,46 kg ha<sup>-1</sup>.</p> 2022-12-29T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Nelson Licínio Campos de Oliveira, Mário Herval César Júnior, Rodrigo Amato Moreira, Ednaldo Liberato de Oliveira https://seer.ufal.br/index.php/revistacienciaagricola/article/view/11869 EFEITO DE DOSES DE ADUBO ORGÂNICO NO DESENVOLVIMENTO INICIAL DE PLANTAS DE TRIGO 2022-12-04T12:00:32-03:00 Flavia Bedin flaviabedin08@gmail.com Vanessa Neumann Silva vanessa.neumann@uffs.edu.br Eduardo José Pedroso Pritsch pritsch.edu@gmail.com Emerson Juan Zanetti emersonjzanetti@gmail.com Erickson André Santin Steckling ericksteckling@gmail.com Ezequiel Dos Santos ezequielsantos93@gmail.com <p>A adubação nitrogenada é fundamental para o crescimento e produtividade de grãos de trigo; usualmente é feita com adição de adubos químicos, porém, devido aos altos custos de aquisição de fertilizantes minerais, e a grande disponibilidade de materiais orgânicos, que são fontes de nitrogênio, há necessidade de estudos adicionais sobre o uso de adubos orgânicos em cultivos de trigo. Objetiva-se com essa pesquisa avaliar o desenvolvimento inicial de plantas de trigo (<em>Triticum aestivum</em>) sob diferentes doses de adubo orgânico aplicado na semeadura. A pesquisa foi com delineamento em bloco casualizados em esquema fatorial de 2 x 3 (cultivares de trigo e doses de adubo orgânico); foram utilizadas as cultivares ORS1403 e Tbio Sossego, e as doses de: 0 (testemunha), 2, 4, e 8 g.dm³. Foram avaliados: emergência de plântulas, número de afilhos, número de folhas, altura de plantas, aos 7, 14, 21, 28, 35, 42 e 49 dias após a semeadura (DAS), e comprimento de raízes. Os resultados obtidos foram submetidos a teste de variância, teste de Tukey para o fator cultivares e análise de regressão para o fator doses de adubo orgânico. Para as varáveis, número de afilhos, altura de plantas e número de folhas houve diferença estatística a partir dos 28 DAS para o fator doses. Ambas cultivares obtiveram semelhante desempenho sob a adubação. Para as condições desta pesquisa as doses de 5,6 g.dm³ e 6,4 g.dm³ mostraram-se melhores para o desenvolvimento de trigo cultivares ORS 1403 e Tbio Sossego, respectivamente.</p> 2022-12-29T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Flavia Bedin, Vanessa Neumann Silva, Eduardo José Pedroso Pritsch, Emerson Juan Zanetti, Erickson André Santin Steckling, Ezequiel Dos Santos