DEFENSIVOS ALTERNATIVOS NA AGRICULTURA FAMILIAR DE ARAGUATINS-TO

Autores

  • Adriane Pereira Barros Instituto Federal De Educação Ciência e Tecnologia do Tocentins

Resumo

RESUMO - A agricultura familiar é crescente mundialmente, ela é praticada desde os tempos mais antigos relata- se o seu uso desde a década de 1960 no Brasil, aproximadamente 84,4% dos estabelecimentos agropecuários do país são da agricultura familiar. O presente artigo tem por objetivo avaliar as vantagens do uso de defensivos alternativos na agricultura familiar, realizado no projeto de assentamento Transaraguaia, situado em Araguatins-TO. Primeiramente foi realizada a revisão de literatura para identificação das principais pragas descritas , e posteriormente uma vez identificadas as pragas na horta, foi feito o uso dos defensivos alternativos escolhidos conforme o seu efeito sobre a mesmas. Foi realizado um rigoroso monitoramento de pragas baseando - se no grau de dano causado na hortaliças, realizado diariamente dentro das atividades propostas no calendário, além do preparo dos defensivos que foram aplicados bimestralmente nas hortas. Foi realizado um levantamento sobre a praga quanto aos seus danos na cultura, seus inimigos naturais e seu controle, sobretudo com uso de plantas inseticidas.

Biografia do Autor

Adriane Pereira Barros, Instituto Federal De Educação Ciência e Tecnologia do Tocentins

- A agricultura familiar é crescente mundialmente, ela é praticada desde os tempos mais antigos relata- se o seu uso desde a década de 1960 no Brasil, aproximadamente 84,4% dos estabelecimentos agropecuários do país são da agricultura familiar. O presente artigo tem por objetivo avaliar as vantagens do uso de defensivos alternativos na agricultura familiar, realizado no projeto de assentamento Transaraguaia, situado em Araguatins-TO. Primeiramente foi realizada a revisão de literatura para identificação das principais pragas descritas , e posteriormente uma vez identificadas as pragas na horta, foi feito o uso dos defensivos alternativos escolhidos conforme o seu efeito sobre a mesmas. Foi realizado um rigoroso monitoramento de pragas baseando - se no grau de dano causado na hortaliças, realizado diariamente dentro das atividades propostas no calendário, além do preparo dos defensivos que foram aplicados bimestralmente nas hortas. Foi realizado um levantamento sobre a praga quanto aos seus danos na cultura, seus inimigos naturais e seu controle, sobretudo com uso de plantas inseticidas.

Referências

AQUINO, A. M. & ASSIS, R. L. Agroecologia:

princípios e técnicas para uma agricultura orgânica

sustentável. Brasília, DF. Embrapa Informações

Tecnológica, 2005. 517p.

FERNANDES, M.C.A. Defensivos alternativos.

Programa Rio Rural. ISSN 0101-3769, Niterói-RJ, 2008.

FILGUEIRAS, F. A. R. Novo manual de olericultura:

Agrotecnologia moderna na produção e comercialização

de hortaliças. Viçosa: UFV. 2000. 402p. 2000.

TOSCANO, luiz Fernando. Agricultura Familiar e seu

grande desafio. Diário de Votuporana,Ano 50, n

769,09 de Outubro de 2003, p. 02. Disponível em:

. Acesso em

de Janeiro de 2017.

Publicado

05/11/2017