Programa “Mãe Coruja” e as Interfaces com a Segurança Alimentar e Nutricional através de horta suspensa com garrafas tipo PET: relato de uma experiência

Autores

  • Yara Albuquerque Morato Universidade Federal de Pernambuco

Resumo

O objetivo deste trabalho é relatar a experiência de um extensionista rural na implantação de uma horta suspensa com garrafas PET no Canto Mãe Coruja do Município de Santa Cruz - PE. A prática da agricultura em áreas urbanas costuma ser realizada através da implantação de hortas, pomares ou plantas medicinais. A estratégia metodológica foi do tipo teórico-empírico através da participação ativa dos agentes envolvidos nas oficinas de capacitação. Durante todo o período de execução das oficinas de  capacitação em horta, práticas agroecológicas, alimentação saudável e nutrição, foi possível observar os seguintes avanços: i) aumento da autoestima e socialização das mulheres participantes; ii) incentivo à produção de hortas cultivadas sem agrotóxicos, em pequenos espaços e com materiais descartáveis,  preservando o meio ambiente em que vive; e iii) formação de agentes locais multiplicadores do conhecimento sobre hábitos alimentares saudáveis e as práticas de cultivo agroecológico. 

Biografia do Autor

Yara Albuquerque Morato, Universidade Federal de Pernambuco

Departamento de Sociologia

Publicado

05/11/2017

Como Citar

MORATO, Y. A. Programa “Mãe Coruja” e as Interfaces com a Segurança Alimentar e Nutricional através de horta suspensa com garrafas tipo PET: relato de uma experiência. Revista Craibeiras de Agroecologia, [S. l.], v. 1, n. 1, 2017. Disponível em: https://seer.ufal.br/index.php/era/article/view/3831. Acesso em: 11 dez. 2023.