Efeito do óleo de Neem Puro (Organix®), do extrato etanólico de melão-de-são-caetano e do inseticida químico Decis 25EC®, em diferentes formas de aplicação contra o pulgão da couve Brevicoryne brassicae (L. 1758) (Hemiptera: Aphididae), em laboratório

Autores

  • Lucas Alceu Rodrigues de Lima Centro de Ciências Agrárias/Universidade Federal de Alagoas
  • Fernanda Emanuelle Mendonça de Morais Centro de Ciências Agrárias/Universidade Federal de Alagoas
  • Roseane Cristina Predes Trindade Centro de Ciências Agrárias/Universidade Federal de Alagoas

Resumo

Avaliou-se a ação do óleo de Neem Puro (Organix®), do extrato etanólico de melão-de-são-caetano e do inseticida químico Decis 25EC®, em diferentes formas de aplicação (ingestão, contato e fumigante) contra o pulgão da couve  Brevicoryne brassicae (L. 1758) (Hemiptera: Aphididae), em laboratório. As avaliações de mortalidade foram realizadas em dois períodos, com 2 e 24 horas. No ensaio de tratamento da folha de couve para depois oferecer ao pulgão, o tratamento com o inseticida químico foi o mais eficiente com mortalidade de 10,0 e 26,67%, com 2 e 24 h respectivamente. No ensaio de ação tópica, os tratamentos tiveram melhor eficiência na mortalidade, com médias de 96,67 e 90,0% para o decis e o extrato de melão-de-são-caetano (que não diferiram entre si), contra a mortalidade de 63,33% do extrato de nim. No terceiro ensaio não houve efeito significativo de ação fumigante dos tratamentos, pois não houve mortalidade significativa dos pulgões. Desta forma, conclui-se no estudo que: a ação tópica é a mais eficiente entre os tratamentos testados para o pulgão da couve e com melhor resultado após 24 horas de exposição dos produtos.  

Referências

CARVALHO, G. A. et al. Eficiência do óleo de nim (Azadirachta indica A. Juss) no controle de Brevicoryne brassicae (Linnaeus, 1758) e Myzus persicae (Sulzer, 1776) (Hemiptera: Aphididae) em couve-manteiga Brassica oleracea Linnaeus var. Acephala. Arquivos do Instituto Biológico, São Paulo, v. 75, n. 2, p.181-186, 2008.

CIVIDANES, F.J., SANTOS-CIVIDANES, T.M. Predicting the occurrence of alate aphids in Brassicaceae. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v. 47, p. 505-510, 2012.

ELLIS, P.R.; SINGH, R. A review of the host plants of the cabbage aphid, Brevicoryne brassicae (Homoptera, Aphididae). International Organisation for Biological and Integrated Control/ West Palaeartctic Regional Section (IOBC/WPRS Bulletin), v.16, p. 192-201, 1993.

GALLO D. et al. Pragas das Plantas e Seu Controle. In: Manual de Entomologia Agrícola. Piracicaba. FEALQ. cap. 12, p. 722, 2002.

LOVATTO, P. B.; GOETZE, M.; THOMÉ, G. C.H.; Ciência Rural, Santa Maria, v.34, n.4, p.971-978, julago, 2004.

LIU, T.X.; SPARKS JR., A.N. Aphids on Cruciferous Crops Identification and Management, 12p. 2011. Disponível em: < http://AgriLifebookstore.org> Acesso em: 05/08/2015.

MARTINEZ, S. S. O Nim: Azadirachta indica, natureza, usos múltiplos, produção. Londrina: IAPAR, 2002. 142 p.

PONTES, F. S. S; Atividade inseticida de extratos e óleos vegetais sobre ninfas de pulgão-preto-dofeijoeiro (aphis craccivora koch)- Trabalho de monografia, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza/CE 2005, 47p.

SOUZA-SILVA, C. R.; ILHARCO, F. A. Afídeos (Hemiptera: Aphididae) das couves. Revista de agricultura, Piracicaba, v.83, n.2, p.87-91, 2008.

TORRES, L. D.; ORTINERO, C. V.; MONSERATE, J. J. Crop wastes as potential sources of natural medicine/cosmetc products, pesticides/insecticides, and paper products. PCARRD-Highlights-2001, p. 424-444, 2002.

Publicado

10/11/2017