Relações natureza e sociedade na classificação dos etnosolos na Colônia Z-29 em Jaramataia a partir de saberes tradicionais

Autores

Palavras-chave:

Etnopedologia. Empiria. Trabalho de Campo. Comunidades Tradicionais.

Resumo

As comunidades tradicionais estabelecem usos simultâneos e dialéticos com a natureza de maneira não capitalista, gerando mínimos impactos para o meio ambiente. O povoado de São Pedro está situado às margens do maior açude de Alagoas construído pelo Departamento Nacional de Obras Contra Seca na década de 60 do século XX, onde se encontra a Colônia de pescadores artesanais Z-29. Por se tratar de uma comunidade em que o conhecimento é transmitido por oralidades, os saberes sobre a natureza são derivados de empirias. O objetivo desse artigo foi analisar a produção e uso das chaves de identificação que os pescadores do açude de Jaramataia acionam para classificar, por meio de seus saberes tradicionais, os solos do território pesqueiro. Para tanto, associamos técnicas de pesquisa qualitativas, como rodas de conversas, entrevistas semiestruturadas, diário de campo e geoetnografia, com metodologias quantitativas decorrentes do mapeamento com base em geoprocessamento, a partir da rasterização e vetorização de imagens de satélite para espacialização georreferenciada dessas classes, chamadas de etnosolos. Foram identificados, em trabalho de campo, 7 classes de etnosolos caracterizados a partir da cosmovisão dos pescadores e diferenciados em seus usos e posteriormente foram comparados com o mapeamento dos tipos de solos realizado pela Embrapa, validando a importância desses saberes tradicionais.

Biografia do Autor

Jackson Belo Pereira, Instituto Federal de Alagoas - Campus Batalha

Discente do curso técnico em Agroindústria pelo Instituto Federal de Alagoas - Campus Batalha, bolsista PIBIC/ IFAL

Matteus Freitas de Oliveira, Instituto Federal de Alagoas - Campus Batalha

Mestre em Geografia pela Universidade Federal da Bahia, professor do Instituto Federal de Alagoas - IFAL. Especialista em Modelagem e Ciências da Terra e do Ambiente e licenciado em Geografia pela Universidade Estadual de Feira de Santana, desenvolve pesquisa com ênfase na área de Geografia, atuando principalmente nos seguintes temas: Geoprocessamento, análise socioambiental, comunidades tradicionais pesqueiras, cidades médias e pequenas e gênero/ sexualidades.

José Lucas Nunes de Farias, Universidade Federal de Alagoas - Campus A.C. Simões

Técnico em Agroindústria pelo Instituto Federal de Alagoas, Bacharelando em Administração pela Universidade Federal de Alagoas, Campus A.C. Simões

Referências

AB’SÁBER, A. N. Os domínios da natureza no Brasil. Potencialidades paisagísticas. São Paulo, Ateliê Editora, 2003, 159 p

ARAÚJO, A. L. de; ALVES, Â. G. C.; ROMERO, R. E.; FERREIRA, T. O. Etnopedologia: uma abordagem das etnociências sobre as relações entre as sociedades e os solos. In: Ciência Rural, Santa Maria, Rs, v. 43, n. 5, p.850-860, maio 2013. Universidade Federal de Santa Maria. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/cr/v43n5/a14813cr6653.pdf>. Acesso em: 14 set. 2019.

ATAÍDE, M. S. A etnocartografia no Brasil: 10 anos depois. In: Revista Brasileira de Cartografia (Online), v. 037, p. 177-181, 2011.

AZEVEDO, S. M. A.; BAKKE, I. A.; BAKKE, O. A.; FREIRE, A. L. O. Crescimento de plântulas de jurema preta (Mimosa tenuiflora (Wild) Poiret) em solos de áreas degradadas da caatinga. Engenharia Ambiental, Espírito Santo do Pinhal, v. 9, n. 3, p. 50-160, 2012.

CPRM - Serviço Geológico do Brasil. Projeto cadastro de fontes de abastecimento por água subterrânea. Diagnóstico do município de Jaramataia, estado de Alagoas/ Organizado [por] João de Castro Mascarenhas, Breno Augusto Beltrão, Luiz Carlos de Souza Junior. Recife: CPRM/PRODEEM, 2005.

DIEGUES, A. C. S. Pescadores, camponeses e trabalhadores do mar. São Paulo: Ática, 1983.

EMBRAPA – Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. Banco de dados pedológicos. Banco de dados vetoriais. 2006.

EMBRAPA – Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. Zoneamento agroecológico de Alagoas: levantamento de reconhecimento de baixa e média intensidade dos solos do Estado de Alagoas. 1. ed. Recife: EMBRAPA, 2008. 48 p. (Relatório Técnico).

FLORENZANO, T. G. Iniciação em sensoriamento remoto. 3.ed. São Paulo: Oficina de Textos, 2011.

GOMES, H. R. F.; OLIVEIRA, M. F.; SILVA, F. S. A tríade fé, terra e água dos acampados do açude de Jaramataia-AL: desvendando a mística festa de São Pedro no território pesqueiro. Diversitas Journal, Santana do Ipanema, p. 91-106, abr. 2019.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. População. Disponível em: < https://www.ibge.gov.br/estatisticas-novoportal/sociais/populacao.html>. Acesso em: 20 de outubro de 2017.

Instituto do Meio Ambiente de Alagoas, IMA – AL. Dados de solo 2011. Disponível em: <http://www.ima.al.gov.br/servicos/downloads/download-de-dados-vetoriais/>. Acesso em: 04 de setembro 2019.

KUHN, E. R. A.. Terra e água: Territórios dos Pescadores artesanais de São Francisco do Paraguaçu – Bahia. 173f. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Universidade Federal da Bahia. Salvador, 2009.

MOREIRA, R. Marxismo e geografia (a geograficidade e o diálogo das ontologias). GEOgraphia, Ano 6, n.11, p.21-37, 2004.

NAME, L. O conceito de paisagem na geografia e sua relação com o conceito de cultura. GeoTextos, Rio de Janeiro, v.6, n.2, p.163-186, dez. 2010.

OLIVEIRA, A. U. Modo de Produção Capitalista, Agricultura e Reforma Agrária. 1. ed. São Paulo: Labur Edições, 2007.

OLIVEIRA, M. F. de; NETTO, J. L. de M. G.; VIEIRA, C. E. dos S. O Saber-Fazer e Ser pescador artesanal: A produção territorial da Colônia São Pedro de Jaramataia – Alagoas. In: Anais do VIII Simpósio Internacional de Geografia Agrária, Curitiba/PA/Brasil 1 a 5 de Novembro de 2017.

ROCHA, P. Q.; SOUZA, A. F. G. de; SANTOS, J. R. da S.; SILVA, F. S.; SOARES, M. de A.; SILVA, Í. R. F. Uma análise da comunidade tradicional Alto dos Coelhos pelo método geoetnográfico. Diversitas Journal, v. 2, p. 284-292, 2017.

SANTOS, B. de S.; MENEZES, M. P. (Orgs.). Epistemologias do Sul. São Paulo: Cortez, 2010.

SANTOS, H. G. dos et al. Sistema Brasileiro de Classificação de Solos. 5. ed. Sllslsl: Embrapa, 2018. Disponível em: <https://www.embrapa.br/busca-de-publicacoes/-/publicacao/1094003/sistema-brasileiro-de-classificacao-de-solos>. Acesso em: 10 set. 2019.

SANTOS, M. A Natureza do Espaço: Técnica, Razão e Emoção. 3ª Edição. São Paulo: Edusp (Editora da USP), 2003.

SERPA, A. Milton Santos e a paisagem: parâmetros para a construção de uma crítica da paisagem contemporânea. Paisagem Ambiente – Ensaios, São Paulo, n. 27, p. 131-138, 2010.

SHUTTLE RADAR TOPOGRAPHY MISSION – SRTM. Modelo Digital de Elevação- MDE. National Aeronautics and Space Administration – NASA, 2005. < https://www.cnpm.embrapa.br/projetos/relevobr/download/>. Acesso em 14 jun. 2018.

SILVA, C. N. da. Percepções ambientais-territoriais de pescadores artesanais do estuário amazônico. In: PALHETA, J. M.; SILVA, C. N. da (Orgs.). Pesca e territorialidades: contribuições para análise espacial da atividade pesqueira. Belém: GAPTA/UFPA, 2011. v. 1, p. 49-66.

SOARES, I. P.; OLIVEIRA, M. F.; NETTO, J. L. M. G.; FARIAS, J. L. N.; VIEIRA, C. E. S. Etnomapeamento participativo na Colônia Z-29 do Povoado de São Pedro, Jaramataia: Dando sentidos aos usos da água do açude. In: Anais do VIII Encontro Científico Cultural. Santana do Ipanema, Al, p. 1064-1080, 2018. Universidade Estadual de Alagoas. Disponível em: <https://docs.wixstatic.com/ugd/5b1fba_e4898bf240e24c9db622dd5030ac388f.pdf>. Acesso em: 14 set. 2019.

SOUZA, A. F. G. de. Saberes dinâmicos: o uso da etnografia nas pesquisas geográficas qualitativas. In: MARAFON et. al.; Glaucio José (Org). Pesquisa qualitativa em Geografia: Reflexões teórico-conceituais e aplicadas. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2013.

TOLEDO, V. M.; BARRERA-BASSOLS, N.. A etnoecologia: uma ciência pós-normal que estuda as sabedorias tradicionais. In: Silva, V.A. et al. (org.). Etnobiologia e Etnoecologia: Pessoas & Natureza na América Latina. v.1, Recife: NUPEEA. 2010. p.13- 36.

VICTOR, R. B. Etnopedologia como subsídio para o planejamento de uso da terra em assentamento rural de reforma agrária na região do Recôncavo da Bahia- Brasil. 2014. 115 f. Dissertação. Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, Cruz das Almas, 2014. Disponível em: <https://www1.ufrb.edu.br/pgsolos/images/DISSERTA%C3%87%C3%95ES/2014/Disserta%C3%A7%C3%A3o_SQE_-_Ringo_Benjamin_Victor.pdf>. Acesso em: 14 set. 2019.

ZAIDAN, R. T. Geoprocessamento conceitos e definições. Revista de Geografia - Ppgeo - Universidade Federal de Juiz de Fora, [s.l.], v. 7, n. 2, p. 195-201, 28 set. 2017. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.34019/2236-837x.2017.v7.18073>. Acesso em: 14 set. 2019.

Downloads

Publicado

07/04/2020