Arquitetura do apocalipse: as casas modelos de sobrevivência e a cultura "survivor"

Autores

  • Tarcicleide dos Santos Silva
  • Fábio Henrique Sales Nogueira

Palavras-chave:

Apocalipse. Earthships. Sobrevivencialismo

Resumo

Partindo da leitura escatológica do mundo, do declínio das utopias sociais e de como cenários pós-apocalípticos e distópicos “imaginários” podem provocar importantes deslocamentos no âmbito da arquitetura e do urbanismo, o presente trabalho tem como objetivo investigar o conceito das casas modelos de sobrevivência, ou melhor, habitações baseadas na premissa da cultura “survivor” e preparadas a atender aos piores cenários de crises. A metodologia investigativa consiste em explorar alguns conceitos como o apocalipse, a escatologia, a distopia e as influências ficcionais, a fim de esclarecer a amplitude apocalíptica. Em seguida, são examinadas as soluções arquitetônicas utilizando os modelos de habitação conhecidas como “Earthships”, idealizadas pelo arquiteto Michael Reynolds nos anos 70. Como resultado, é demonstrada uma arquitetura tida como “fortaleza construtiva”, concebidas pelo design extremamente sustentável, preparadas para serem autônomas e permanecer nos “mais problemáticos lugares e eventos”, como aqueles criados nas ficções apocalípticas e julgados como impossíveis. Entende-se que o apocalipse é um tema fertil e transformador, permitindo assim que outras práticas, métodos e até mesmo universos obscuros e experimentais possam adentrar na arquitetura e favorecer as produções futuristas sobreviventes ou sob o codinome da resiliência.

Downloads

Publicado

04/12/2020

Edição

Seção

Eixo Projeto e Tecnologia