Solo em subsidência em bairros de Maceió-AL: emergências impostas aos agentes produtores do espaço urbano

Autores

  • Caroline Gonçalves dos Santos
  • José Gabriel Juliani de Oliveira
  • Inara Querino de Mendonça
  • Leandro Ferreira Marques
  • Kleyton Lucas de Castro Oliveira

Palavras-chave:

Subsidência do solo. Espaço urbano. Agentes produtores.

Resumo

O espaço urbano é produto social de ações acumuladas através do tempo e engendradas por agentes que o produzem e consomem. No Brasil, essas ações estão ligadas às bases de capitalismo dependente, estabelecendo-se sobre uma estrutura urbana que já se constituía desigual. Em Maceió - Alagoas, observava-se na última década a expansão da ocupação urbana no sentido do Litoral Norte e nos limites entre rural e urbano, ambos territórios ambientalmente frágeis, além da consolidação por meio de verticalização de bairros tradicionais e centrais na cidade, como Pinheiro, Farol e Gruta de Lourdes, mesmo com deficiências em infraestrutura urbana. Entretanto, em 2018, com o aparecimento de rachaduras significativas no bairro do Pinheiro, e, posteriormente, nos bairros adjacentes, segundo estudos de 2019, decorrentes da subsidência do solo resultante da exploração de sal-gema pela Braskem, os vários agentes produtores do espaço vivenciam, então, uma emergência para responder aos novos desafios que se impõem à cidade. Este artigo objetiva discutir o posicionamento desses agentes e implicações urbanas a partir de pesquisa exploratória realizada com levantamento de informações veiculadas na mídia e aplicação de entrevistas com ex-moradores. Com isso, observa- -se que desafios inéditos somam-se a antigos problemas urbanos na cidade.

Downloads

Publicado

04/12/2020