Economia criativa: uma visão global

Autores

  • Alessandra Meleiro UFF/CEBRAP
  • Fábio Fonseca UERJ/Université François Rabelais

DOI:

https://doi.org/10.28998/lte.2012.n.2.880

Palavras-chave:

Economia criativa, cadeias produtivas, cidades criativas

Resumo

A economia criativa tem sido compreendida como uma potencial alavanca para o desenvolvimento de muitas nações, sendo que mais de 60 países já realizam procedimentos sistemáticos de mapeamento do seu setor criativo. Em estágio mais amadurecido encontram-se os países desenvolvidos, notadamente os Estados Unidos, as principais economias europeias – com destaque para o Reino Unido - e a Austrália. Porém, mesmo estes ainda vislumbram as perspectivas de expansão do setor, inserindo o tema estrategicamente com papel de destaque em suas agendas econômicas. Países emergentes e em desenvolvimento conseguem ter participações expressivas em áreas específicas. Porém há um vasto território inexplorado de possibilidades, que devem ser objeto de políticas públicas, concebidas e implementadas num ambiente de cooperação internacional, especialmente a chamada Cooperação Sul-Sul.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2018-05-16

Como Citar

MELEIRO, Alessandra; FONSECA, Fábio. Economia criativa: uma visão global. Latitude, Maceió-AL, Brasil, v. 6, n. 2, 2018. DOI: 10.28998/lte.2012.n.2.880. Disponível em: https://seer.ufal.br/index.php/latitude/article/view/880. Acesso em: 3 mar. 2024.

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.