Abertura comercial e desindustrialização: Uma análise acerca da doença holandesa e do crescimento econômico brasileiro

Alonso Barros da Silva JR., Gustav Ives Mendes Nicácio Viana, José Francisco Oliveira de Amorim

Resumo


O presente trabalho objetiva prestar uma pequena contribuição sobre o fenômeno da desindustrialização brasileira, caracterizado como doença holandesa, a partir da abertura comercial, e seus impactos para o crescimento econômico, como também discutir acerca da inserção externa de nossa economia. Conclui-se, portanto, dado o contexto histórico, como também os dados levantados e examinados, que o Brasil ainda apresenta uma economia muito fechada, comparando-se com outros países em desenvolvimento, como o caso dos BRICS, além do que, a mudança na estrutura produtiva levou o país a um nível de especialização em bens primários, que resultou na reprimarização das exportações, apreciação da taxa de câmbio, além de uma perda da participação da indústria na composição do PIB, sinais inequívocos de doença holandesa.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.28998/repd.v7i18.3249