COMPORTAMENTO DE VARIEDADES DE MANDIOCA INDÚSTRIA EM AMBIENTE DE SEQUEIRO NA BACIA DO RIO PANDEIROS, MINAS GERAIS

Autores

  • Ednaldo Liberato de Oliveira IFNMG - CAMPUS JANUARIA
  • Felipe Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais (IFNMG), Campus Januária -
  • Nelson Licínio Campos de Oliveira Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais (IFNMG), Campus Januária
  • Josué Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais (IFNMG), Campus Januária
  • Candido Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Instituto de Ciências Agrárias (ICA), Campus Regional de Montes Claros

DOI:

https://doi.org/10.28998/rca.21.13028

Palavras-chave:

amido, cultivares, sequeiro

Resumo

: A mandioca, Manihot esculenta, é cultivada em todas as regiões brasileiras, com uma grande diversidade de variedades, entretanto, para assegurar a rentabilidade da cultura, a escolha ideal do material genético é fator decisivo, levando em consideração as condições edafoclimáticas da localidade produtora. Este trabalho foi realizado com o objetivo de avaliar como se comportam as variedades de mandioca indústria em ambiente de sequeiro, na região da bacia do rio Pandeiros no Norte de Minas Gerais. O experimento foi conduzido na fazenda São Geraldo, de propriedade do Instituto Federal de Educação e Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais, Campus Januária, em condições de sequeiro. Foram avaliadas as características produtividade de raízes tuberosas, teor de amido, rendimento e produtividade de farinha. As variedades BRS Kiriris e BRS Mani Branca apresentaram as maiores médias de produtividade de raiz, teor de amido, rendimento e produtividade de farinha, podendo ser considerados variedades com alto potencial produtivo para farinha e fécula na região da bacia do rio Pandeiros, no Norte de Minas Gerais. A melhor época de colheita foi aos quatorze meses após o plantio, por propiciar a maior produtividade de farinha, associado aos maiores rendimentos de farinha, teor de amido e produtividade de raízes tuberosas.

Referências

Ceballos, H.; de la Cruz Aparício, G. A. Taxonomia y morfologia de la yuca. In: La yuca en el tercer milenio: sistemas modernos de producción, procesamiento, utilización y comercialización. Ospina, B.; Ceballos, H., Eds.; CIAT: Cali, Colombia, 2004, 16-32.

CFSEMG - Comissão de Fertilidade de Solo do Estado de Minas Gerais. Recomendações para o uso de corretivos e fertilizantes em Minas Gerais: 5ª aproximação. Lavras: CFSEMG, 1999, 359p.

Conceição, A. J. A mandioca. Cruz das Almas: UFBA/EMBRAPA/BNB/BRASCAN Nordeste. 1979, 322p.

Fialho, J. F.; Vieira, E. A.; Silva, M. S., Paula-Moraes, S. V.; Fukuda, W. M. G.; Santos Filho, M. O. S.; Silva, K. N. Desempenho de variedades de mandioca de mesa no Distrito Federal. Revista Brasileira de Agrociência, 2009, 15, 31-35.

Fukuda, W. M. G.; Caldas, R. C. Relação entre os conteúdos de amido e farinha de mandioca. Revista Brasileira de Mandioca, 1987, 6, 57-63,

Fukuda, W. M. G.; Silva, S. de O. E. Melhoramento de mandioca no Brasil. In: Culturas Tuberosas Amiláceas Latino Americanas. Fundação Cargill, 1987, 2, 242-255.

Fukuda. W. M. G.; Silva, S. O.; Iglesias, C. Cassava breeding. Crop Breeding and Applied Biotechnology, 2002, 2, 617-638.

Galera, J. M. S. V.; Valle, T. L. Estruturação genética do germoplasma de mandioca através de informações comparativas entre estudos biológicos e antropológicos – resultados preliminares. Raízes e Amidos Tropicais, 2007, 3, 1, 2007.

Gomes, C. N.; Carvalho, S. P. de; Jesus, A. M. S.; Custódio, T. N. Caracterização morfoagronômica e coeficientes de trilha de caracteres componentes da produção em mandioca. Pesquisa Agropecuária Brasileira, 2007, 42, 8, 1121-1130.

Grossmann, J.; Freitas, A. G. D. Determinação do teor de matéria seca pelo método de peso específico em raízes de mandioca. Revista Agronômica, 1950, 14, 75-80.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Sistema IBGE de recuperação automática – SIDRA. Disponível em . Acessado em 15 de outubro de 2016.

INMET. Instituto Nacional de Meteorologia. 2016. Disponível em: http://www.inmet.gov.br. Acesso em 29 de março de 2016.

Mendonça, H. A. de; Moura, G. de M.; Cunha, E. T. Avaliação de genótipos de mandioca em diferentes épocas de colheita no Estado do Acre. Pesquisa Agropecuária Brasileira, 2003, 38, 6, 761-769.

Miranda, W. de A. Estudos morfométricos, monitoramento hídrico e levantamento de impactos na sub-bacia hidrográfica do Rio Catolé, Bonito de Minas-MG. Dissertação (Mestrado em Ciências Agrárias) - Universidade Federal de Minas Gerais, 2011, 146p.

Oliveira, E. L.; Oliveira, N. L. C. de, Costa, C. A. da, Macêdo, J. A. de. Avaliação de variedades locais de mandioca indústria no Norte de Minas Gerais, em ambiente irrigado. Research, Society and Development, 2021a, 10, 13, e163101320962-e163101320962.

Oliveira, E. L.; Oliveira, N. L. C. de, Costa, C. A. da, Macêdo, J. A. de. Produtividade de farinha de mandioca no Norte de Minas Gerais. Caderno de Ciências Agrárias, 2021b, 13, 1-5.

Oliveira, E. L.; Oliveira, N. L. C. de, Costa, C. A. da, Macêdo, J. A. de. Desempenho de novas variedades de mandioca indústria cultivadas em ambiente irrigado no município de Januária/MG. RECITAL - Revista de Educação, Ciência e Tecnologia de Almenara, 2022, 4, 1.

Otsubo, A. A; Brito, O. M; Mercante, F. M.; Otsubo, V. H. N.; Gonçalves, M. A.; Telles, T. S. Desempenho de cultivares elites de mandioca industrial em áreas de cerrado do Mato Grosso do Sul. Semina: Ciências Agrárias, 2009, 30, 1155-1162.

R Development Core Team. R: A language and environment for statistical computing. [2.12.1]. R Foundation for Statistical Computing: Vienna, Austria, 2010.

Ramalho, M. A. P.; Santos, J. B. dos. Zimmerman; M. J. de O. Genética quantitativa em plantas autógamas: Aplicação no melhoramento do feijoeiro. Editora UFG: Goiânia, 1993, 271p.

Sagrilo E., Vidigal Filho P.S., Otsubo A.K., Silva A.S. & Rohden V.S. Performance de cultivares de mandioca e incidência de mosca branca no Vale do Ivinhema, Mato Grosso do Sul. Revista Ceres, 2010, 57:87- 94.

SILVA, F. C. da et al. Manual de análises químicas de solos, plantas e fertilizantes. 2. ed. rev. ampl. Embrapa Informação Tecnológica: Brasília, DF, 2009, 627p.

Vieira E. A.; Fialho, J. F.; Carvalho, J. C. B.; Malaquias, J. V.; Fernandes, F. D. Desempenho agronômico de acessos de mandioca de mesa em área de Cerrado no município de Unaí, região noroeste de Minas Gerais. Científica, 2015, 43, 4, 371-377.

Vieira, E. A.; Fialho, J. F.; Faleiro, F. G.; Bellon, G.; Fonseca, K. G.; Carvalho, L. J. C. B.; Silva, M. S.; Paula-Moraes, S. V.; Oliveira, C. M.; Denke, M. L. Characterization of sweet cassava accessions based on molecular, quantitative and qualitative data. Crop Breeding and Applied Biotechnology, 2011, 11, 232-240.

Vieira, E. A.; Fialho, J. F.; Faleiro, F. G.; Bellon, G.; Fonseca, K. G.; Silva, M. S.; Paula Moraes, S. V.; Carvalho, L. J. C. B. Caracterização fenotípica e molecular de acessos de mandioca de indústria com potencial de adaptação às condições do cerrado do Brasil Central. Semina: Ciências Agrárias, 2013, 34, 567-582.

Vieira, E. A.; Fialho, J. F.; Silva, M. S.; Fukuda, W. M. G.; Santos Filho, M. O. S. Comportamento de genótipos de mandioca de mesa no Distrito Federal. Revista Ciência Agronômica, 2009, 40, 113-122

Downloads

Publicado

12/04/2023

Edição

Seção

Produção Vegetal