A presença da loucura no processo de criação do romance Estar sendo. Ter sido, de Hilda Hilst

Autores

  • Mariana Lira dos Santos Miranda UFAL UEFS

Resumo

Neste artigo pretendemos explorar a presença da loucura na criação do romance Estar Sendo. Ter Sido, lançado em 1997 pela escritora paulista Hilda Hilst, e assim montar um paralelismo entre literatura e psicanálise, com o objetivo de ampliar a compreensão da obra sob outros ângulos de análise. Tomando como ponto de partida o fato de a escritora, ao escrever o romance, ter a mesma idade de seu personagem, bem como a ideia de que a loucura ─ não patológica, mas poética ─ pode ser também uma fuga/transfiguração da normalidade e da realidade, o presente trabalho pretende relacionar o processo de criação literária da autora com a sua loucura poética, fator que comporta um traço ou componente biográfico, importante, no caso, para uma compreensão mais ampla do tema e da obra em questão.

Downloads

Publicado

25/11/2019

Como Citar

Miranda, M. L. dos S. (2019). A presença da loucura no processo de criação do romance Estar sendo. Ter sido, de Hilda Hilst. CADERNOS CÊNICOS, 1(1), 1–13. Recuperado de https://seer.ufal.br/index.php/CadCenicos/article/view/9077

Edição

Seção

Artigos