Public policies for education of/in the field and the school environment in a settlement of the MST: the intimate relationship with the pedagogical policy

Authors

  • Luciene Rocha Silva Colégio Estadual do Campo Lúcia Rocha Macedo, Vitória da Conquista, Bahia
  • Arlete Ramos dos Santos Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, Vitória da Conquista, Bahia
  • Igor Tairone Ramos dos Santos Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, Vitória da Conquista, Bahia

DOI:

https://doi.org/10.20952/jrks1111737

Abstract

This article is the result of a research that aimed to analyze the physical environment of a school in an area of agrarian reform settlement, according to what the school architecture proposes. The method used was Historical Dialectical Materialism due to its analysis principles that depart from the universal to the singular, verifying the empirical data that are presented globally in order to make relations, enable interconnections and establish multiple determinations to explain the real object studied. The methodology used to carry out this work was exploratory research, due to its flexibility and possibilities of deepening the various bibliographic research indications and other references for the theoretical support of this document. The conclusion of the analyzes points to the distancing of public policies for Rural Education, as well as the lack of interaction between the physical environment and the school's pedagogical policy, due to signs of inadequacy of the school's physical structure in relation to the work proposal educational system developed at school.

References

Araujo, A., & Silva, I. P. (2020). Maker culture and educational robotics in physics teaching: developing an automated traffic light in high school. Journal of Research and Knowledge Spreading, 1(1), e11654. https://doi.org/10.20952/jrks1111654

Barbosa, L. P., & Rosset, P. M. (2017). Movimentos sociais e educação do campo na América Latina: aprendizagens de um percurso histórico. Revista Práxis Educacional, 13(26), 22-48. https://doi.org/10.22481/praxis.v13i26.2819.

Brasil (1996). Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Diário Oficial da União. Brasília, DF: 23 dez. Ministério da Educação e Cultura.

Brasil (1988). Constituição Federal de 1988. Constituição da República Federativa do Brasil. Diário Oficial da União, nº 191-A. Brasília, DF: 05 out. Senado Federal.

Brasil (2012). Ministério de Educação e Cultura. Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, diversidade e Inclusão – MEC/SECADI. Educação do Campo: Marcos Normativos. Brasília, DF.

Brasil (2008). Ministério de Educação, Conselho Nacional, Câmara de Educação Básica. MEC/CME/CEB, Resolução de nº 02 de 28 de abril de 2008.

Brasil (2010). Ministério de Educação e Cultura, Câmara de Educação Básica MEC/CME/CEB, Decreto 7.352 de 04 de novembro de 2010.

Brasil. (2014). República Federativa., Gabinete Civil, Ministério de Educação e Cultura, Lei 12.960, de 27 de março de 2014.

Brito, C. D. A., & Nunes, C. P. (2020). The intensification of teaching work in the context of the commercialization of higher education in Brazil. Journal of Research and Knowledge Spreading, 1(1), e11420. https://doi.org/10.20952/jrks1111420

Boa Sorte, P. (2020). Mark the correct answer? To whom? Deconstructing reading comprehension. Journal of Research and Knowledge Spreading, 1(1), e11550. https://doi.org/10.20952/jrks1111550

Caldart, R. S. (2004). Elementos para uma Construção do Projeto Político e Pedagógico da Educação do Campo. In: Molina. M. C., Jesus, S. M. S. A. de (Org.). Contribuições para a construção de um projeto de educação do campo. Brasília, DF: Articulação Nacional, p.24.

Caldart, R. S. (2008). Por uma educação do campo: campo-políticas públicas – educação. IN: Santos, C. A. org. Sobre a Educação do Campo. INCRA/MDA, Brasília, DF, p. 67-86.

Caldart, R. S. (2010). Pedagogia do movimento sem terra: escola é mais do que escola. 2ª edição, Editora Vozes, Petrópolis, RJ.

Costa, F. A. S., Akkari, A., & Silva, R. V. (2012). Educação básica no Brasil: políticas públicas e qualidade. Revista Práxis. Educacional, 7(11), 73-91.

Cunha, C., Sousa, J. O., & Silva, M. A. (2014). O Método dialético na pesquisa em educação. Autores Associados: Campinas, SP.

Dashti, E. (2020). Examining the relationship between unwillingness to translate and personality type of Iranian translation students. Journal of Research and Knowledge Spreading, 2020, 1(1), e11467. https://doi.org/10.20952/jrks1111467

Dórea, C. R. D. (2013). A Arquitetura Escolar como objeto de pesquisa em história da educação. Educar em Revista, 29(49), 161-181.

http://dx.doi.org/10.1590/S0104-40602013000300010

Ebrahimi, M. A. (2020). Cultural value of translation of proverbs and synopsis. Journal of Research and Knowledge Spreading, 1(1), e11484. https://doi.org/10.20952/jrks1111484

Frago, A. V., & Escolano, A. (2013). Currículo, espaço e subjetividade: a arquitetura como programa. Educar em Revista, 29(49), 161-181.

https://doi.org/10.1590/S0104-40602013000300010

Freira, M. A. S. (2005). Práxis pedagógica e professores intelectuais: refletindo as tensões e concepções da formação/prática docente. Revista Práxis Educacional, 1(1), 135-150.

Gonh, M. G. (2006). Educação não-formal, participação da sociedade e estruturas colegiadas. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, 14(50), 27-58.

Heckler, V., Fazio, A. A., & Ruas, F. P. (2020). Investigation with experimental practical activities in training geographically distant teachers. Journal of Research and Knowledge Spreading, 1(1), e11403. https://doi.org/10.20952/jrks1111403

Kowaltowski, D. C.C. K. (2011). Arquitetura escolar: o projeto do ambiente de ensino. Oficina de textos FAPESP, São Paulo/SP.

Macedo, L. R. (2012). Colégio Estadual do Campo Lúcia Rocha Macedo. Biografia de Lúcia

Rocha Macedo, Assentamento Cangussu, Barra do Choça.

Macedo, L. R. (2020). Colégio Estadual do Campo Lúcia Rocha Macedo – CECLRM. Assentamento Cangussu. Análise do Aspecto Físico da Escola, Barra do Choça.

Molina, M. C., & Freitas, H. C. A. (2011). Avanços e Desafios na construção da Educação do Campo. Em Aberto, 24(85), 17-31. http://dx.doi.org/10.24109/2176-6673.emaberto.24i85.2483

Oliveira, E. S., & Barreto, D. A. B. (2020). Contemporary studies on knowledge, teaching in higher education and social representations in Brazil. Journal of Research and Knowledge Spreading, 1(1), e11585. http://dx.doi.org/10.20952/jrks1111585

Rodrigues, B. M., Santos, J. E. B., & Vasconcelos, C. A. (2020). Conceptions of undergraduate students in Chemistry on the use of interactive interfaces in and for the activities developed in the distance course. Journal of Research and Knowledge Spreading, 1(1), e11649. http://dx.doi.org/10.20952/jrks1111649

Santos, A. R. (2010). A gestão educacional do MST e a burocracia do Estado. Dissertação de Mestrado. FAE/Universidade Federal de Minas Gerais.

Santos, A. R., Cardoso, E. A. M. C., & Oliveira, N. B. (2017). Os Impactos do PAR nos municípios de Vitória da Conquista, Ilhéus e Itabuna (2013–2017). Revista Práxis Educacional, 13(26), 110-139. https://doi.org/10.22481/praxis.v13i26.2823

Santos, A. R., & Nunes, C. P. (2020). Reflexões sobre políticas públicas educacionais para o campo no contexto brasileiro. Salvador: EDUFBA.

Santos, I. T. R., Barreto, D. A. B., & Soares, C. V. C. O. (2020). Formative assessment in the classroom: the dialogue between teachers and students. Journal of Research and Knowledge Spreading, 1(1), e11483. https://doi.org/10.20952/jrks1111483

Santos, J. E. B. (2020). Cartographic narratives: the teaching of mathematics and ICT. Journal of Research and Knowledge Spreading, 1(1), e11645. http://dx.doi.org/10.20954/jrks1111645

Silva, T. O., & Rios, P. P. (2020). Gender, sexual diversity and field education: “in rural communities many people do not understand and treat it as a disease”. Journal of Research and Knowledge Spreading, 1(1), e11418. https://doi.org/10.20952/jrks1111418

Silva, F. O., Alves, I. S., & Oliveira, L. C. (2020). Initial teaching training by homology in PIBID: experiential learning from professional practice. Journal of Research and Knowledge Spreading, 1(1), e11638. http://dx.doi.org/10.20952/jrks1111638

Silva, C. V. S., & Santos, G. O. (2020). Digital interfaces: a methodological proposal as a strategy of teaching and learning in Mathematics classes. Journal of Research and Knowledge Spreading, 1(1), e11651. https://doi.org/10.20952/jrks1111651

Silva, L. R., Brito. N. O., & Santos. A. R. (2016). Trabalho docente, políticas e gestão educacional. In: Cardoso, B. L. C., & Nuces, C. P. (2016). A proposta pedagógica de educação do campo e quilombola e o seu reflexo na formação. Curitiba: Editora CRV.

Silva, L. R. (2017). A política municipal de educação do campo em Vitória da Conquista período 2010 a 2017. Dissertação (Mestrado Profissional em Educação Básica). Universidade Estadual de Santa Cruz, Ilhéus.

Silva, L. R., Fernandes, R. C., & Oliveira, N. B. (2019). Educação do Campo em Vitória da Conquista/BA e sua interrelação com a formação docente. IN: Santos, A. R., Cardoso, E. A. M., & Caetano, M. R. C. Org. (2019). Políticas educacionais no cenário brasileiro: reificações e contradições no sistema capitalista. Curitiba: Editora Appris.

Socorro, P. E. V., Santos, A. R., & Nunes, C. P. (2017). Políticas públicas educativas en Latinoamérica: el contexto brasileño y el venezolano. Educação em Questão, 55(45), 12-41. https://doi.org/10.21680/1981-1802.2017v55n45ID12743

Soares, É. A. (2002). Conselho Municipal de Educação, Câmara de Educação Básica, CME/CEB, Parecer 036/2001. In: Brasil. (2002). Diretrizes Operacionais para Educação do Campo, Resolução CNE/CEB, DE 03 de abril de 2002. Brasília, DF.

Souza, M. A. (2016). Educação e movimentos sociais do campo: a produção do conhecimento no período de 1987 a 2015. Paraná: Editora UFPR.

Souza, M. A. (2017). Educação do campo: território, escolas, políticas e práticas educativas. Paraná: Editora UFPR.

Zapata, E. M. E. (2010). Projeto político pedagógico, assentamento Cangussu, Barra do Choça.

Published

30/12/2020