The difficulties faced by the teachers of child education in the beginning of career

Authors

  • Caroline Ferreira Leal Xavier Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, Itapetinga, Bahia
  • Lúcia Gracia Ferreira UFRB/UESB

DOI:

https://doi.org/10.20952/jrks1111757

Abstract

The beginning of the teaching career is always a period full of yearnings. The entry into the teaching profession, in a changing society, is difficult, conflicting and sometimes frustrating, and can provoke an identity crisis. For these issues, the present work focuses on the theme: The difficulties faced by teachers at the beginning of their careers. Thus, we tried to build this work based on the questioning: what are the difficulties encountered by early childhood education teachers? The objective of this study was to identify and analyze the difficulties faced by early childhood teachers in Early Childhood Education and, in a specific way, the objective was to know the theoretical conceptions about the beginning of a teaching career; Identify the profile of Early Childhood teachers at the beginning of their careers; To find the main difficulties faced by these subjects and how they deal with them. The work was done from a qualitative research carried out in the municipality of Itapetinga-BA with four early childhood education teachers. With the study, it can be concluded that the difficulties encountered by teachers at the beginning of their careers are real and real and they make them feel unprotected and disenchanted with the teaching career, and that the training is insufficient to face such difficulties, but Serves to make them find strategies to solve adverse situations.

Author Biographies

Caroline Ferreira Leal Xavier, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, Itapetinga, Bahia

Pedagoga pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia-Itapetinga (UESB).

Lúcia Gracia Ferreira, UFRB/UESB

Doutora em Educação pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Pós-doutorado pela Universidade Federal da Bahia (UFBA) e Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB). Professora da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) e da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia-Itapetinga (UESB). Professora do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal da Bahia e Programa de Pós-Graduação em Educação Científica, Inclusão e Diversidade da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia e do Grupo de Pesquisa e Estudos Pedagógicos/UESB e Docência, Currículo e Formação/UFRB.

References

Amorim, A. D. de; Silva Fernandes, M. J. da. (2018). A formação inicial, a prática pedagógica e o processo de tornar-se professor. Práxis Educacional, 14(30), 85-110. https://doi.org/10.22481/praxis.v14i30.4362

Angotti, M. (1998). Aprendizagem profissional: os primeiros passos no magistério pré-escolar. Tese. (Doutorado em Educação). Centro de Educação e Ciências Humanas, Universidade Federal de São Carlos: São Carlos - SP.

Barreto, A. C. F. (2020). A profissão docente no Brasil e a carreira profissional: entre sonhos e realidades. In: Nascimento, M. das G. C de A.; Garcia, A.; Reis, G. R. F. da S.; Rust, N. M.; Giraldo, V. (Orgs.). Didática(s) entre diálogos, insurgências e políticas: tensões e perspectivas na relação com a formação docente. 1. ed. v. 2. Rio de Janeiro/Petrópolis: Faperj; CNPq; Capes; Endipe. DP et Alii. E-book, p. 297-306.

Bezerra, P. O. (2020). A constituição da identidade profissional e dos saberes docente: territórios da experiência. Revista De Estudos em Educação e Diversidade, v. 1, n. 2, p. 432-445. DOI: https://doi.org/10.22481/reed.v1i2.7902.

Cruz, L. M.; Barreto, A. C. F.; Ferreira, L. G. (2020). Caminhos do desenvolvimento profissional docente na perspectiva freireana. Com a Palavra o Professor, v. 5, n. 12, maio-agosto, Vitória da Conquista (BA). DOI: https://doi.org/10.23864/cpp.v5i12.529.

Cruz, L. M. (2020). Desenvolvimento profissional docente e formação continuada: possíveis diálogos. In: Nascimento, M. das G. C de A.; Garcia, A.; Reis, G. R. F. da S.; Rust, N. M.; Giraldo, V. Didática(s) entre diálogos, insurgências e políticas: tensões e perspectivas na relação com a formação docente. 1. ed. v. 2. Rio de Janeiro/Petrópolis: Faperj; CNPq; Capes; Endipe. DP et Alii. E-book, p. 287-296.

Ferraz, R. de C. S. N.; Ferreira, L. G. ; Ferreira, L. G.; Almeida, M. T. (2017). Saberes e experiência: formação de professores da rede pública em atividades extensionistas. Revista Conexão UEPG, v. 13, n. 3, p. 390-401. DOI: https://doi.org/10.5212/Rev.Conexao.v.13.i3.0003.

Ferreira, L. G. (2014a). Professores da zona rural em início de carreira: narrativas de si e desenvolvimento profissional. Tese. (Doutorado Em educação). Centro de Educação e Ciências Humanas, Universidade Federal de São Carlos: São Carlos - SP.

Ferreira, L. G. (2014b). Fazer Docente: reflexões em torno da formação, do trabalho e das especificidades da área de atuação docente. In: Ferreira, L. G.; Ferraz, R. de C. S. N. Formação Docente: identidade, diversidade e saberes. Curitiba, PR: Editora CRV, p. 167-179.

Ferreira, L. G.; Ferreira, L. G.; Ferreira, A. G. (2014b). Formação e identidade docente: práticas e políticas de formação. In: Ferreira, L. G.; Ferraz, R. de C. S. N. Formação Docente: identidade, diversidade e saberes. Curitiba, PR: Editora CRV, p. 77-88.

Ferreira, L. G. (2010). Professoras da zona rural: formação identidade, saberes e práticas. Dissertação (Mestrado em Educação e Contemporaneidade). Universidade do Estado da Bahia: Salvador.

Ferreira, L. G. (2017). Desenvolvimento profissional e carreira docente: diálogos sobre professores iniciantes. Revista Acta Scientiarum. v. 39, Jan.-Mar., p. 79-89. DOI: https://doi.org/10.4025/actascieduc.v39i1.29143.

Ferreira, L. G. (2020a). Desenvolvimento profissional docente: percursos teóricos, perspectivas e (des)continuidades. Revista Educação em Perspectiva. v. 11. jul. p. 1-18. DOI: https://doi.org/10.22294/eduper/ppge/ufv.v11i.9326.

Ferreira, L. G. (2020b). Formação de professores e ludicidade: reflexões contemporâneas num contexto de mudanças. Revista De Estudos em Educação e Diversidade, v. 1, n. 2, p. 410-431. DOI: https://doi.org/10.22481/reed.v1i2.7901.

Ferreira, L. G. (2020c). Memórias e a formação para a docência: trajetórias de escolarização de professores rurais iniciantes. Revista de Estudos em Educação e Diversidade. v. 1, n. 1. p. 57-71. DOI: https://doi.org/10.22481/reed.v1i1.7449.

Ferreira, L. G.; Anunciato, R. M. M. (2020). Início da carreira docente: o que dizem as dissertações e teses brasileiras. Revista Educação e Cultura Contemporânea. V. 17, N. 50, p. 421-459. PPGE/UNESA. Rio de Janeiro.. http://periodicos.estacio.br/index.php/reeduc/article/viewArticle/5413.

Ferreira, Á. de C.; Guerra, A. (2020). A construção da identidade docente de licenciados em Física e Matemática: relatos sobre o processo formativo. Revista de Estudos em Educação e Diversidade. v. 1, n. 1. p. 86-99. DOI: https://doi.org/10.22481/reed.v1i1.7455.

Fontana, R. A. C. (2000). Como nos tornamos professoras? Belo Horizonte: Autêntica.

Galiza, L. dos S.; Silva, J. G. da; Silva, M. A. A. (2020). As contribuições do PIBID para a formação continuada dos professores da Educação Básica: algumas reflexões dos professores supervisores. Kiri-kerê: Pesquisa em Ensino, Dossiê, n. 5, vol. 1, nov., p. 200-223. DOI: https://doi.org/10.47456/krkr.v1i5.32534.

Gil, A. C. (1989). Métodos e técnicas da pesquisa social. 2 ed. São Paulo: Editora Atlas.

Gonçalves, J. A. M. (2007). A carreira das professoras do ensino primário. In: Nóvoa, A. (Org.). Vidas de Professores. 2 ed. Porto: Porto Editora, p. 141-169.

Huberman, M. (2002). O ciclo de vida profissional dos professores. In: NOVOA, A. (Org.). Vida de professores. 2 ed. Porto: Porto Editora, p.31-61.

Marcelo Garcia, C. (1999). Formação de professores: para uma mudança educativa. Porto: Porto Editora.

Moreira, J. da S. (2020). Implicações do estágio supervisionado na constituição da identidade profissional: relato de experiência. Revista De Estudos em Educação e Diversidade, v. 1, n. 2, p. 410-431. DOI: https://doi.org/10.22481/reed.v1i2.7681.

Moreno, S. M. (2005). O trabalho docente do professor iniciante: o que faço agora? (o estudo de caso dos egressos do curso de pedagogia da Universidade Federal do Ceará). Dissertação (Mestrado em Educação). Universidade Federal do Ceará: Fortaleza – CE.

Nono, M. A. (2005). Casos de ensino e professoras iniciantes. Tese. (Doutorado em Educação). Centro de Educação e Ciências Humanas, Universidade Federal de São Carlos: São Carlos - SP.

Nova, C. C. C. da. (2014). Professor, profissional e intelectual: em busca de uma identidade alternativa. In: Ferreira, L. G.; Ferraz, R. de C. S. N. Formação Docente: identidade, diversidade e saberes. Curitiba, PR: Editora CRV, p. 161-166.

Nóvoa, A. (1995). O Passado e o Presente dos Professores. In: Nóvoa, A. (Org.). Profissão Professor. 2 ed. Porto: Editora Porto, p. 13-34.

Oliveira, E. S., & Barreto, D. A. B. (2020). Contemporary studies on knowledge, teaching in higher education and social representations in Brazil. Journal of Research and Knowledge Spreading, 1(1), e11585. http://dx.doi.org/10.20952/jrks1111585

Pienta, A. C. G. (2007). Aprendendo a ser professor: dificuldades e iniciativas na construção da práxis pedagógica do professor iniciante. Dissertação (Mestrado em Educação). Pontifícia Universidade Católica do Paraná: Curitiba – PR.

Santos, J. R. dos; Ferreira, L. G.; Ferraz, R. de C. S. N. (2020). Professores iniciantes em situação de ausência de bem-estar: perspectivas sobre dilemas no desenvolvimento profissional. Revista Cocar. Edição Especial N.8. Jan./Abr./ p. 347-370. https://periodicos.uepa.br/index.php/cocar/article/view/3063.

Santos, J. R. dos; Ferreira, L. G. (2016). Desenvolvimento profissional, vida e carreira: histórias de professores atingidos pelo mal-estar docente. Revista Educação e Emancipação. São Luiz, v. 9, n. 2, jul./dez, p. 108-137. DOI: http://dx.doi.org/10.18764/2358-4319.v9n2p108-137.

Silva, F. O., Alves, I. S., & Oliveira, L. C. (2020). Initial teaching training by homology in PIBID: experiential learning from professional practice. Journal of Research and Knowledge Spreading, 1(1), e11638. http://dx.doi.org/10.20952/jrks1111638

Soares, M. P. do S. B. (2019). Formação permanente de professores: um estudo inspirado em Paulo Freire com docentes dos anos iniciais do ensino fundamental. Educação & Formação. v. 5, n. 13, p. 151-171. DOI: https://doi.org/10.25053/redufor.v5i13.1271.

Souza, E. M. F.; Ferreira, L. G. (2020). Ensino remoto emergencial e o estágio supervisionado nos cursos de licenciatura no cenário da Pandemia COVID 19. Revista Tempos e Espaços em Educação. v. 13, n. 32, p. 1-19. DOI: https://doi.org/10.20952/revtee.v13i32.14290.

Souza, E. C. de. (2006). O conhecimento de si: estágio e narrativas de formação de professores. Rio de Janeiro: DP&A; Salvador, BA: UNEB.

Stascxak, F.; Santana, J. (2019). Narrativas autobiográficas de professoras da educação básica: a constituição da identidade docente como processo permanente. Práticas Educativas, Memórias e Oralidades - Rev. Pemo, v. 1, n. 2. DOI: https://doi.org/10.47149/pemo.v1i2.3512.

Ribeiro, N. M.; Souza, E. C. de. (2011). Aprendizagem da docência em Língua Portuguesa nos anos iniciais da carreira: narrativas, tempos e movimentos. In: Souza, E. C. de (Org.). Memória, (auto)biografia e diversidade: questões de método e trabalho docente. Salvador: EDUFBA, p. 169-175.

Tardif, M. (2002). Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis: Vozes.

Published

30/12/2020