O risco de ser jovem na contemporaneidade: aspectos sociais e culturais que definem condições de alta vulnerabilidade entre parcelas da juventude alagoana

Autores

  • Ruth Vasconcelos UFAL
  • Maria de Fátima Machado de Albuquerque UFAL
  • Jairo Calado

DOI:

https://doi.org/10.28998/lte.2013.n.2.1293

Palavras-chave:

Risco de homicídio, jovem, sociabilidade violenta

Resumo

Este artigo faz uma reflexão em torno das condições de vida e morte dos jovens na atualidade, tomando como locus de análise o Estado de Alagoas que se posiciona como campeão de homicídios de jovens na federação brasileira. Os dados do Mapa da Violência 2012 e do Observatório das Favelas 2011 revelam que o risco relativo de um adolescente alagoano, do sexo masculino, ser vítima de violência letal é de 82,7. Buscamos problematizar essa realidade trazendo elementos culturais e subjetivos que contribuem para a compreensão dessa perversa realidade que transforma o jovem alagoano numa vítima potencial nesse contexto de sociabilidade violenta. Reconhecemos as diferenças e desigualdades entre os jovens, fator que explica porque experimentam realidades de vida absolutamente diferenciadas em função de sua condição étnico-racial, de sua posição socioeconômica, de sua inserção nos espaços políticos, em função do acesso aos ambientes culturais e aos diferentes processos de socialização que vivenciam em suas trajetórias de vida. Nesses termos, propomos uma reflexão que considere as condições de vida e morte dos jovens alagoanos reconhecendo a pluralidade e heterogeneidade entre eles como fator intrinsecamente definidor das diferentes posições e lugares que ocupam no tecido social, fazendo com a condição de ser jovem transforme-se, para alguns, num fator de risco no contexto de vida em Alagoas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2018-05-16

Como Citar

VASCONCELOS, Ruth; ALBUQUERQUE, Maria de Fátima Machado de; CALADO, Jairo. O risco de ser jovem na contemporaneidade: aspectos sociais e culturais que definem condições de alta vulnerabilidade entre parcelas da juventude alagoana. Latitude, Maceió-AL, Brasil, v. 7, n. 2, 2018. DOI: 10.28998/lte.2013.n.2.1293. Disponível em: https://seer.ufal.br/index.php/latitude/article/view/1293. Acesso em: 20 jul. 2024.

Edição

Seção

Dossiê Violência

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

Artigos Semelhantes

1 2 3 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.