Cultura vira emprego

Autores

  • Belmira Magalhães UFAL
  • Gabriel Magalhães UFAL

DOI:

https://doi.org/10.28998/lte.2009.n.1.642

Palavras-chave:

Gênero e projetos sociais. Cultura e desemprego. Cultura popular, gênero e desigualdades sociais

Resumo

Este artigo realiza uma análise do Programa Cultura Viva, do Ministério da Cultura, enfatizando o papel da mulher na condução de projetos sociais e mostrando a relação que esse tipo de atividade possui com a problemática do desemprego da população jovem brasileira. Os dados demonstram que não há nenhuma melhoria para essa população através das atividades desenvolvidas pelos “Pontos de Cultura”, da mesma forma que revelam a não resolução do problema da marginalização da cultura popular, apregoada pelo Programa. Como suporte das análises utilizamos as teorias sociológicas e de análise do discurso. Pudemos concluir que não há uma política que leve em conta as diferenças de gênero, sendo que o programa acaba por fazer parte da política econômica do governo Lula, que trata as disparidades sociais através de políticas compensatórias.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2018-05-17

Como Citar

MAGALHÃES, Belmira; MAGALHÃES, Gabriel. Cultura vira emprego. Latitude, Maceió-AL, Brasil, v. 3, n. 1, 2018. DOI: 10.28998/lte.2009.n.1.642. Disponível em: https://seer.ufal.br/index.php/latitude/article/view/642. Acesso em: 20 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.