Anarquia sexual ou eros civilizado?

Novos parâmetros sexuais, família e monogamia entre homens gays evangélicos

Autores

  • Carlos Lacerda Coelho Universidade Federal de Alagoas

Palavras-chave:

Homossexualidade, Cristianismo, Protestantismo, Igrejas Inclusivas

Resumo

O discurso fatalista de que estaríamos caminhando para um mundo sem regras cujos instintos mais primitivos estariam remodelando a vida nas sociedades contemporâneas é fortemente presente e bem diluído no tecido social. Tal narrativa é constantemente explorada por setores religiosos fundamentalistas, sobretudo quando utilizam-se do pânico moral em torno das questões atinentes ao campo das sexualidades dissidentes da norma heterossexual. A realidade tem apontado o inverso. No campo da moral sexual, sobretudo relacionado às minorias sexuais, o fenômeno das igrejas inclusivas indica uma clara evidência da reconfiguração de uma ética sexual, adaptada à realidade da população LGBTI+. O artigo tem por objetivo discutir, a partir de investigações realizadas através de pesquisas de campo, durante alguns anos em igrejas inclusivas da cidade de Maceió (AL), a reconfiguração da noção de “pecado da homossexualidade”, oriunda do discurso cristão hegemônico, assim como a importância destinada às noções de casamento monogâmico, fidelidade, códigos de santidade e pureza enquanto guias para a ação de LGBTI+ evangélicos nos espaços do templo e da sociedade como um todo.  É possível apontar, em concordância com Gilles Lipovetsky, que o crescimento da autonomia individual não levou a decadência da vida coletiva. Tampouco o liberalismo cultural impulsionou uma sexualidade sem regras.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carlos Lacerda Coelho, Universidade Federal de Alagoas

Cientista Social e mestre em sociologia pela Universidade Federal de Alagoas - UFAL. Membro do Núcleo de Pesquisa sobre a Violência em Alagoas (NEVIAL) e do Núcleo de Estudos em Gênero, Saúde e Direitos Humanos (MANDACARU).

Referências

BAUMAN, Zygmunt. Vida líquida. Rio de Janeiro: Zahar, 2007.

BERGER, Peter. Uma gloria remota: Avere fede nell´epoca del pluralismo. Bologna: Il Mulino, 1994.

BERGER, Peter. A dessecularização do mundo: Uma visão global. Religião e Sociedade, v. 21, n. 1, 2000.

BERGER, Peter. Os múltiplos altares da modernidade: Rumo a um paradigma da religião numa época pluralista. Petrópolis: Vozes, 2017.

BERGER, Peter. Rumor de anjos: A sociedade moderna e a redescoberta do sobrenatural. Petrópolis: Vozes, 2018.

BURITY, Joanildo. A ascensão política dos pentecostais no Brasil na avaliação de líderes religiosos. DADOS – Revista de Ciências Sociais, Rio de Janeiro, v. 57, n. 03, p. 601-631, 2014.

BUTLER, Judith. Problemas de gênero: Feminismo e subversão da identidade. 3. ed. Rio de Janeiro: Civilização brasileira, 2010.

CAMURÇA, Marcelo Ayres. Secularização e reencantamento: A emergência dos novos movimentos religiosos. BIB, São Paulo, n. 56, p. 55-69, 2003.

CASTELLS, Manuel. A galáxia da internet: Reflexões sobre a internet, os negócios e a sociedade. Rio de Janeiro: Zahar, 2003.

COELHO JÚNIOR, Carlos Lacerda. “Somos as ovelhas coloridas do Senhor”: Uma análise sociológica da vivência homossexual em uma igreja inclusiva. 2014, 188 f. Dissertação (Mestrado em Sociologia) – Universidade Federal de Alagoas, Maceió.

CRESPI, Franco. A experiência religiosa na pós-modernidade. Bauru: EDUSC, 1999.

DOMINGUES, José M. Sociologia e modernidade: Para entender a sociedade contemporânea. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1999.

ELIAS, Norbert; SCOTSON, John L. Os estabelecidos e os outsiders: Sociologia das relações de poder a partir de uma pequena comunidade. Rio de Janeiro: Zahar, 2000.

FERREIRA, Davi. Casamentos homoafetivos crescem quatro vezes em 10 anos de permissão no Brasil: mulheres lideram. O GLOBO. 15 de maio de 2023. Disponível em: <https://oglobo.globo.com/brasil/noticia/2023/05/casamentos-homoafetivos-crescem-quatro-vezes-em-10-anos-de-permissao-no-brasil-mulheres-lideram.ghtml>. Acessado em: 17 de julho de 2023.

FACCHINI, Regina. Sopa de letrinhas? Movimento homossexual e produção de identidades coletivas nos anos 90. Rio de Janeiro: Garamond, 2005.

FACCHINI, Regina; DO CARMO, Íris N; LIMA, Sthepanie P. Movimentos feminista, negro e LGBTI no Brasil: Sujeitos, teias e enquadramentos. Educ. soc., v. 41, p. 2-22, jun. 2020.

FOUCAULT, Michel. História da sexualidade: A vontade de saber. 21. ed. São Paulo: Graal, 2011.

GIDDENS, Anthony. As consequências da modernidade. São Paulo: Editora Unesp, 01991.

GIDDENS, Anthony. As transformações da intimidade: Sexualidade, amor e erotismo nas sociedades modernas. São Paulo: Editora Unesp, 1993.

GIUMBELLI, Emerson A. Da religião como problema social: Secularização, retorno do sagrado, liberdade religiosa, espaço e comportamento religioso. Rio de Janeiro, PPGA/Museu Nacional, 1996.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. 12. ed. São Paulo: Lamparina, 2015

HONNETH, Axel. Luta por reconhecimento: A gramática moral dos conflitos sociais. São Paulo: Ed. 34, 2003.

JESUS, Fátima Weiss de. Unindo a cruz e o arco-íris: vivência religiosa, homossexualidades e trânsitos de Gênero na Igreja da Comunidade Metropolitana de São Paulo. 2012, 309 f. Tese (Doutorado em Antropologia) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis.

JÚNIOR, Carlos L. C. “Batizamos e aceitamos pessoas homoafetivas”: Um estudo sobre a produção de discursos acerca de sexualidades não hegemônicas na Igreja Batista do Pinheiro, Maceió - AL. 2019, 248 f. Tese (Doutorado em Sociologia) – Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa.

LAQUEUR, Thomas. Inventando o sexo: Corpo e gênero dos gregos a Freud. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2001.

LIPOVETSKY, Gilles. Metamorfoses da cultura liberal: Ética, mídia, empresa. Porto Alegre: Sulina, 2004.

LIPOVETSKY, Gilles. A sociedade pós-moralista: O crepúsculo do dever e a ética indolor dos novos tempos democráticos. Barueri: Manole, 2005.

MACRAE, Edward. A construção da igualdade: Identidade sexual e política no Brasil da abertura. Campinas: Editora da Unicamp, 1990.

MISKOLCI, Richard. A teoria queer e a sociologia: O desafio de uma analítica da normalização. Sociologia, v. 11, n. 21, p. 150-182, jun. 2009.

MUSSKOPF, André. Identidade masculina e corporeidade: Uma abordagem queer. In: MUSSKOPF, André; STRÖHER, Marga (Orgs.). Corporeidade, etnia e masculinidade: reflexões do 1 Congresso Latino-Americano de Gênero e Religião. São Leopoldo: Sinodal, 2015. pp. 80-107.

MUSSKOPF, André. Igrejas e grupos cristãos inclusivos e a luta por direitos. Mandrágora, v. 28, n. 1, p. 157-177, jul. 2022.

NATIVIDADE, Marcelo; OLIVEIRA, Leandro. As novas guerras sexuais: Diferença, poder religioso e identidades LGBT no Brasil. Rio de Janeiro: Garamond, 2013.

NATIVIDADE, Marcelo; OLIVEIRA, Leandro. Cantar e dançar para Jesus: Sexualidade, gênero e religião nas Igrejas Inclusivas Pentecostais. Religião e Sociedade, v. 37, n. 1, p. 15-33, jan. 2017

NATIVIDADE, Marcelo; OLIVEIRA, Leandro. Uma homossexualidade santificada? Etnografia de uma comunidade inclusiva pentecostal. Religião e Sociedade, v. 30, n. 02, p. 91-121, ago. 2010.

NATIVIDADE, Marcelo; OLIVEIRA, Leandro. Deus me aceita como eu sou? A disputa sobre o significado da homossexualidade entre evangélicos no Brasil. 2008, 342 f. Tese (Doutorado em Sociologia e Antropologia) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.

TREVISAN, João Silvério. Devassos no paraíso: A homossexualidade no Brasil, da colônia à atualidade. Ed. revisada e ampliada – 6. ed. Rio de Janeiro: Record, 2004.

VELHO, Gilberto. Violência, reciprocidade e desigualdade: Uma perspectiva antropológica. VELHO, Gilberto; ALVITO, Marcos (Orgs.). In: Cidadania e violência. Rio de Janeiro: Editora UFRJ; Editora FGV, 1996.

VIDAL, Marciano. Sexualidade e condição homossexual na moral cristã: História e atualização. 2. ed. Aparecida: Ed. Santuário, 2008.

VIDAL, Marciano. Moral cristã em tempos de relativismos e fundamentalismos. 2. ed. Aparecida: Ed. Santuário, 2010.

Downloads

Publicado

2024-03-19

Como Citar

COELHO, Carlos Lacerda. Anarquia sexual ou eros civilizado? : Novos parâmetros sexuais, família e monogamia entre homens gays evangélicos. Latitude, Maceió-AL, Brasil, v. 17, n. 2, p. 1–28, 2024. Disponível em: https://seer.ufal.br/index.php/latitude/article/view/15831. Acesso em: 13 jul. 2024.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)