As canções de Belchior sob a ótica dos Direitos Humanos

Autores

  • Vanessa Laís Cavalcante Vassalo UFAL

Palavras-chave:

Direitos Humanos, Música Popular Brasileira, Literatura, Memória

Resumo

Este artigo visa à demonstração, por meio da análise das músicas do cantor e compositor brasileiro Belchior, da relevância da Arte, como instrumento de crítica à realidade, especialmente, no que se refere à temática dos Direitos Humanos, em tempos
de crise. Para isso, será demonstrada a relação entre Música e Literatura na obra do referido artista, com destaque para a importante função que essas formas de manifestação artística podem desempenhar na preservação da memória de um povo, como aspecto fundamental na evolução democrática de uma sociedade, bem como na afirmação de princípios como a dignidade humana, pedra de toque de uma ordem jurídica legítima.

Referências

ALBUQUERQUE, Larissa. Uma análise do tempo na música popular brasileira: o álbum Alucinação (1976), de Belchior. In: Revista Hydra. v. 2 n. 4: História do tempo no Brasil, 2018. Disponível em: <https://doi.org/10.34024/hydra.2018.v2.9097>. Acesso em: 31 maio 2021.

ANDRADE, Abah. Sujeito de sorte: Belchior e a filosofia como o diabo gosta. João Pessoa: Rubaiyat, 2020.

ANDRADE, Carlos Drummond de. Congresso Internacional do Medo. In: Aeroplanos da Birmânia: Página institucional do professor Aulus Mandagará Martins. Universidade Federal de Pelotas. 2016. Disponível em: <https://wp.ufpel.edu.br/aulusmm/2016/08/21/congresso-internacional-do-medo-carlosdrummond-de-andrade/>. Acesso em: 31 maio 2021.

BBC News Brasil. As razões da Academia Sueca para premiar Bob Dylan com o Nobel de Literatura. 2016. Disponível em: https://www.bbc.com/portuguese/geral37636333>. Acesso em 05 mai 2021.

BELCHIOR, Antonio Carlos Gomes. A palo seco. In: Mote e glosa. Chantecler. 1974.

______. Apenas um rapaz latino-americano. In: Alucinação. PolyGram, 1976.

______. Apenas um rapaz latino-americano. In: Trilhas sonoras. Continental. 1990.

______. Conheço meu lugar. In: Era uma vez um homem e seu tempo/Belchior.

WEA. 1979.

______. Não leve flores. In: Alucinação. PolyGram, 1976.

______. Nossa língua portuguesa. Entrevista, 1996. In: Plataforma Anísio Teixeira. Disponível em: http://ambiente.educacao.ba.gov.br/recursoseducacionais/conteudo/exibir/1996>. Acesso em: 05 maio 2021.

______. Populus. In: Coração selvagem. Warner. 1977.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. 1988.

CÂNDIDO, Antônio. O direito à literatura. In: Vários escritos. 5. ed. Rio de Janeiro: Ouro sobre Azul, 2011.

______. Conversa com Antônio Cândido. Entrevista, 2014. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=4cpNuVWQ44E>. Acesso em: 31 maio 2021.

CARLOS, Josely Teixeira. Muito além de apenas um rapaz latino-americano vindo do interior: investimentos interdiscursivos das canções de Belchior. Universidade Federal do Ceará. Programa de Pós-Graduação em Linguística. Dissertação de Mestrado. Fortaleza, 2007.

______. “Populus”, meu cão. In: Justificando. 2019. Disponível em: <http://www.justificando.com/2019/12/12/populus-meu-cao/>. Acesso em: 05 maio 2021.

COMPARATO, Fábio Konder. A afirmação histórica dos direitos humanos. 12. ed. São Paulo: Saraiva Educação, 2019.

CRISTINA, Paula; ROSSETTI, Regina. Nietzsche e Belchior: muito além do bigode. In: Revista Sonora, 2017, vol. 6, nº 12. p. 1. Disponível em:

<http://www.sonora.iar.unicamp.br>. Acesso em: 25 abr 2021.

DI EUGENIO, Alessia. Literatura, crítica literária e politização dos direitos humanos. In: Veredas: Revista da Associação Internacional de Lusitanistas, n. 32, p. 9–22, jul./dez. 2019. Disponível em: <https://revistaveredas.org/index.php/ver/article/view/600/464>. Acesso em 24 abr 2021.

ETCHEVERRY, C. M; MONTEIRO, C. Fotografia e cultura visual nas ditaduras latino-americanas (1960-1980). Diálogos, v. 23, n. 3, p. 196-215, 15 out. 2019. Disponível em: <https://doi.org/10.4025/dialogos.v23i3.48486>. Acesso em: 11 maio 2021.

FAMÍLIA de Herzog recebe nova certidão de óbito. In: Revista Consultor Jurídico, 15 de março de 2013. Disponível em: https://www.conjur.com.br/2013-mar-15/familiaherzog-recebe-certidao-obito-causa-morte-alterada>. Acesso em: 05 maio 2021.

LEHNEN, L. Literatura e direitos humanos na obra de Sacolinha. Estudos de Literatura Brasileira Contemporânea, [S. l.], n. 49, p. 79–104, 2016. DOI: 10.1590/2316-4018495. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/estudos/article/view/10152. Acesso em: 29 maio.

LEMOS, Walter Gustavo; SOUZA, Iury Peixoto. Como nossos pais: o retorno ao estado de exceção criado por nossas próprias antinomias políticas. Disponível em: <https://jus.com.br/artigos/57830/como-nossos-pais-o-retorno-ao-estado-de-excecaocriado-por-nossas-proprias-antinomias-politicas>. Acesso em: 05 maio 2021.

LOPES, Ana Maria D‟Ávila. A era dos direitos de Bobbio: Entre a historicidade e a atemporalidade. Brasília a. 48 n. 192 out./dez. 2011. Disponível em: <https://www12.senado.leg.br/ril/edicoes/48/192/ril_v48_n192_p7.pdf>. Acesso em: 11 maio 2021.

OLIVEIRA, Luciano. Do nunca mais ao eterno retorno: uma reflexão sobre a tortura. 2. ed. São Paulo: Brasiliense, 2009.

PEREIRA, Cires. Lorca, uma caneta perigosa. In: Escrita Global. 2013. Disponível em: <http://www.escritaglobal.com.br/2014/04/lorca-uma-caneta-perigosa.html>. Acesso em: 05 maio 2021.

RAMOS, André de Carvalho. Curso de direitos humanos. 4. ed. São Paulo: Saraiva, 2017.

REIS, Marco Antonio et al. Letra de música é literatura?. In: Rádio Senado. 15 maio 2020. Disponível em: https://www12.senado.leg.br/radio/1/autores-elivros/2020/05/15/letra-de-musica-e-literatura>. Acesso em 01 mai 2021.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Se Deus fosse um ativista dos direitos humanos. São Paulo: Cortez, 2014. e-PUB.

______. Por uma Concepção Multicultural de Direitos Humanos. In: Revista Crítica de Ciências Sociais, nº 48, jun. 1997. <http://www.boaventuradesousasantos.pt/media/pdfs/Concepcao_multicultural_direitos

_humanos_RCCS48.PDF>. Acesso em: 11 maio 2021.

SANTOS, Cecília Macdowell. Memória na Justiça: A mobilização dos direitos humanos e a construção da memória da ditadura no Brasil. In: Revista Crítica de Ciências Sociais, 88, Março 2010: 127-154. https://doi.org/10.4000/rccs.1719>. Acesso em: 11 maio 2021.

SANTOS, Leandro Martan Bezerra. Belchior e o regime militar brasileiro: autoritarismo estatal e a migração inter regional em suas letras. In: Mosaico – Volume 10 – Nº 17 – Ano 2019. Disponível em: <https://doi.org/10.12660/rm.v11n17.2019.80338. >. Acesso em: 11 maio 2021.

SOUZA et al. Todos os sentidos de Belchior. In: Papo Cultural. 25 out 2017. Disponível em: <https://papocultura.com.br/todos-os-sentidos-debelchior/#:~:text=Um%20dos%20maiores%20letristas%20da,notoriamente%20parafras

eou%20em%20seu%20versos>. Acesso em: 25 abr 2021.

SOUZA, Jessé. A elite do atraso. 1. ed. Rio de Janeiro: Estação Brasil, 2019. ePub.

Downloads

Publicado

16/08/2021

Como Citar

Vassalo, V. L. C. . (2021). As canções de Belchior sob a ótica dos Direitos Humanos. CADERNOS CÊNICOS, 3(4), 1–13. Recuperado de https://seer.ufal.br/index.php/CadCenicos/article/view/12819

Edição

Seção

Dossiê