Dimensões Essenciais das Bibliotecas Públicas

Autores

  • Marina Nogueira Ferraz Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da Universidade Federal de Minas Gerais
  • Ligia Maria Moreira Dumont Escola de Ciência da Informação Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação Universidade Federal de Minas Gerais

DOI:

https://doi.org/10.28998/cirev.2018v5n1b

Palavras-chave:

Bibliotecas públicas. Papel social. Atuação do bibliotecário.

Resumo

A partir de uma reflexão teórica acerca do papel social das bibliotecas públicas, o presente artigo apresenta doze dimensões essenciais para se pensar sua atuação junto às comunidades em que estão inseridas, demonstrando sua relevância para a participação democrática e cidadã. Discute a importância da atuação do profissional bibliotecário como agente fundamental para a interlocução com a comunidade, para o contato com a leitura e a informação e, consequentemente, para o estabelecimento de relações pessoais, profissionais e afetivas na biblioteca.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marina Nogueira Ferraz, Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da Universidade Federal de Minas Gerais

É doutoranda e mestre em Ciência da Informação pela Escola de Ciência da Informação da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), possui graduação em Biblioteconomia pela UFMG (2002) e graduação em Psicologia pela FEAD (2012). Atualmente é bibliotecária da Biblioteca J. Baeta Vianna da Faculdade de Medicina da UFMG na área de pesquisa bibliográfica em bases de dados da área de saúde nacionais e internacionais. Atuou como coordenadora do Espaço de Leitura da Biblioteca Central da UFMG, Diretora do Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas Municipais de Minas Gerais (2013-2016), Coordenadora da Hemeroteca Histórica de Minas Gerais (2010-2013), Coordenadora do Setor de Referência e Estudos da BPELB (2007-2012) e Coordenadora das bibliotecas escolares do Colégio Pitágoras- Cidade Jardim (2006-2007). Tem experiência na área de Ciência da Informação, com ênfase em Biblioteconomia, atuando principalmente nos seguintes temas: bibliotecas públicas, bibliotecas escolares, bibliotecas universitárias, sistemas de bibliotecas, formação do leitor, biblioterapia, periódicos históricos e raros. Ministrou as disciplinas Biblioterapia, Leitura e Formação do Leitor e Orientação de Estágio Supervisionado para o curso de Biblioteconomia da ECI/UFMG. Atua em psicologia clínica para adolescentes e adultos com abordagem Existencial-Fenomenológico. Desenvolve pesquisa de doutoramento sobre as representações sociais das bibliotecas públicas.

Ligia Maria Moreira Dumont, Escola de Ciência da Informação Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação Universidade Federal de Minas Gerais

Possui graduação em Biblioteconomia pela Universidade Federal de Minas Gerais, graduação em Letras pela Universidade Federal de Minas Gerais - ênfases em alemão e em francês, mestrado em Biblioteconomia pela Universidade Federal de Minas Gerais, doutorado em Ciência da Informação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro em convênio com o IBICT e pós-doutorado pela École des Hautes Études en Sciences Sociales, Paris. Exerceu os mandatos de vice-diretora e de diretora da Escola de Ciência da Informação da Universidade Federal de Minas Gerais e de diretora de Cooperação Institucional da Reitoria da UFMG. Possui experiência na área de Ciência da Informação, com ênfase nos seguintes temas: usuários de sistemas de informação, apropriação de conhecimento através da leitura, leitura e competência informacional, bibliotecas universitárias. Consultora ad hoc institucional e de cursos do INEP/MEC. Atualmente é professora titular do Departamento de Teoria e Gestão da Informação da Escola de Ciência da Informação da Universidade Federal de Minas Gerais, coordenadora do Colegiado do Curso de Biblioteconomia e líder da linha de pesquisa Usuários, Gestão do Conhecimento e Práticas Informacionais, do Programa de Pós-graduação em Ciência da Informação.

Referências

ARAÚJO, W. T. A biblioteca pública e o compromisso social do bibliotecário. Revis-ta da Escola de Biblioteconomia da UFMG, Belo Horizonte, v. 14, n.1, p. 106-122, mar. 1985.

BERNARDINO, M. C. R.; SUAIDEN, E. J. O papel social da biblioteca pública na interação entre a informação e o conheci-mento no contexto da ciência da informação. Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v.16, n.4, p.29-41, out./dez. 2011.

BETANCUR, A. M. La biblioteca pública em la perspectiva del desarrollo local: uma estratégia para la democracia. In: IFLA Council and General Conference, 68, 2002, Glasgow. Anais eletrônicos... Glasgow: IFLA, 2002. Disponível em: <https://archive.ifla.org/IV/ifla68/papers/124-084s.pdf >. Acesso em: 02 abr. 2017.

CASTRILLÓN, S. O direito de ler e de escrever. São Paulo: Pulo do Gato, 2011.

CESARINO, M. A. N. Bibliotecas públi-cas municipais: orientações básicas. Belo Horizonte: Secretaria de Estado da Cultura de Minas Gerais, Superintendência de Bibli-otecas Públicas, 2007.

CUNHA, V. A. A biblioteca pública no cenário da sociedade da informação. BIBLIOS, Brasília, Ano 4, n. 15, abr./jun. 2003.

DUMONT, L. M. M. Contexto, leitura e subjetividade. Transinformação, Campi-nas, v. 13, n. 1, p.43-47, jan./jun. 2001.

FERNANDEZ, C. (Coord.). Bibliotecas públicas: um equipamento cultural para o desenvolvimento local. Recife: Centro de Desenvolvimento e Cidadania, 2016.

INTERNATIONAL FEDERATION OF LIBRARY ASSOCIATIONS AND INSTI-TUTIONS. Acesso e oportunidades para todos: como as bibliotecas contribuem para a agenda de 2030 das Nações Unidas. Dis-ponível em: <https://www.ifla.org/files/assets/hq/topics/libraries-development/documents/access-and-opportunity-for-all-es.pdf>. Acesso em: 02 abr. 2017.

INTERNATIONAL FEDERATION OF LIBRARY ASSOCIATIONS AND INSTI-TUTIONS. Diretrizes da IFLA. [S. l.]: IFLA, 2012.

INTERNATIONAL FEDERATION OF LIBRARY ASSOCIATIONS AND INSTI-TUTIONS. Responding! Públic libraries and refugees. 2015. Disponível em: <https://www.ifla.org/files/assets/public-librari-es/publications/library_service_to_refugees.pdf>. Acesso em: 02 abr. 2017.

LANKES, D. Expect more: melhores bi-bliotecas para um mundo complexo. [S.l.]: FEBAB, 2016. Disponível em:<https://davidlankes.org/new-librarianship/expect-more-demanding-better-libraries-for-todays-complex-world/1-the-arab-spring-expect-the-exceptional/>. Acesso em: 11 jul. 2017.

MACHADO, E. C.; ELIAS JUNIOR, A. C.; ACHILLES, D. A biblioteca pública no espaço público: estratégias de mobilização cultural e atuação sócio-política do bibliote-cário. Perspectivas em Ciência da Infor-mação, Belo Horizonte, v.14, número especial, p. 115-127, out./dez. 2014.

MANGUE, D. C. S. Organizações de defe-sa do cidadão. In: MOURA, M. A. (Org.). Cultura informacional e liderança comunitária: concepções e práticas. Belo Horizonte: UFMG/PROEX, p. 39-44, 2011.

MARSHALL, T. H. Cidadania, classe social e status. Rio de Janeiro: Zahar, 1967.

MILANESI, Luís. Biblioteca pública: do século XIX para o XXI. Revista USP, São Paulo, n. 97, p. 59-70, mar./abr./maio, 2013.

PAIVA, M. A. M. Bibliotecas públicas: políticas do estado brasileiro de 1990 a 2006. 2008. 144 f. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) – Universidade Federal de Minas Gerais, Escola de Ciência da Informação, Belo Horizonte, 2008.

PÉREZ IGLESIAS, J. Las bibliotecas co-mo bien público: el fator humano. Educa-ción y biblioteca, Madrid, n. 97, p. 25-27, 1999.

RANGANATHAN, S. R. Cinco leis da Biblioteconomia. Brasília: Briquet de Le-mos Livros, 2009.

SANTA MARIA, G. M. R. La biblioteca pública que queremos. Colômbia: Ministério da Cultura, 2011.

SILVEIRA, F. J. N.; REIS, A. S. Biblioteca pública como lugar de práticas culturais: uma discussão sócio-histórica. Informação & Sociedade, João Pessoa, v.21, n.1, p. 37-54, jan./abr. 2011.

SUAIDEN, E. J. A biblioteca pública no contexto da sociedade da informação. Ciência da Informação, Brasília, v. 29, n. 2, p. 52-60, maio/ago. 2000.

______. Biblioteca pública e informação a comunidade. São Paulo: Global, 2008.

______. El impacto social de las bibliotecas públicas. Anales de Documentación, Murcia (Esp.), n. 5, p. 333-344, 2002.

TELLO, F. M. Bibliotecas y sociedade: al paradigma social de la biblioteca pública. Investigacion bibliotecológica, Cidade do México, v.27, n.61, p.157-173, sep./dic., 2013.

UNITED NATIONS EDUCATIONAL, SCIENTIFIC AND CULTURAL OR-GANIZATION. Declaración de Caracas sobre la biblioteca pública como factor de desarrollo e instrumento de cambio en América Latina y el Caribe. Caracas, 1985. Disponível em: <http://snbp.culturadi:gital.br/manifestos/manifesto-de-caracas-sobre-bibliotecas-publicas/>. Acesso em: 02 abr. 2017.

UNITED NATIONS EDUCATIONAL, SCIENTIFIC AND CULTURAL OR-GANIZATION. Manifesto da Unesco para bibliotecas públicas. 1994. Disponí-vel em: <http://www.ifla.org/VII/s8/unesco/port.htm>. Acesso em: 15 ago. 2016.

VERGUEIRO, W. Seleção de materiais de informação: princípios e técnicas. Brasília: Briquet de Lemos, 2010.

VIEIRA, L. A. Informação utilitária: definição, uso e perspectiva. In: MOURA, Maria Aparecida (Org.). Cultura informacional e liderança comunitária: concepções e práticas. Belo Horizonte: UFMG/PROEX, p. 71-74. 2011.

Downloads

Publicado

2018-05-07

Como Citar

Ferraz, M. N., & Dumont, L. M. M. (2018). Dimensões Essenciais das Bibliotecas Públicas. Ciência Da Informação Em Revista, 5(1), 11–28. https://doi.org/10.28998/cirev.2018v5n1b

Edição

Seção

Artigos Originais | Original Articles

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.