Políticas de estilo nas cenas musicais: contribuições teórico-metodológicas

Autores

  • Luciana Xavier de Oliveira Bacharelado em Ciências e Humanidades e Bacharelado em Planejamento Territorial Centro de Engenharia, Modelagem e Ciências Sociais Aplicadas (CECS) UFABC - Universidade Federal do ABC

DOI:

https://doi.org/10.28998/lte.2018.n.2.5156

Palavras-chave:

Estilos, Cenas musicais, Consumo Cultural, Identidade, Performance.

Resumo

Este artigo propõe uma possibilidade de exame e interpretação das cenas musicais a partir de uma perspectiva semiótica e comunicacional que leve em consideração manifestações performáticas da configuração dos estilos. A reflexão se refere a pesquisa em andamento a respeito da interconexão entre as formas de performatização do gosto musical no espaço urbano. Para isso, é utilizada a noção de estilo subcultural de Dick Hebdige (1976), cujas dinâmicas podem ser observadas nas performances de gosto, nos atos reflexivos de consumo cultural e nos processos de identificação articulados a experiências, afetos e sensibilidades acionados no momento da escuta coletiva da música. Conclui-se que a observação dos estilos nas cenas musicais torna possível, pois, a compreensão de novas estratégias políticas culturais que se materializam no corpo, no gosto e nos atos performáticos desempenhados a partir da fruição musical. 

 

Palavras-chave:Estilos; Cenas musicais; Consumo Cultural; Performance.

 

Abstract

This article proposes a possibility of examination and interpretation of musical scenes from a semiotic and communicational perspective that takes into account performative manifestations of the configuration of styles. This reflection refers to ongoing research on the interconnection between the forms of performatization of musical taste in urban space. For this, Dick Hebdige's (1976) notion of subcultural style is used, whose dynamics can be observed in the performances of taste, by the reflexive acts of cultural consumption and through the identification processes articulated to experiences, affections and sensitivities triggered at the moment of collective listening of music. It is concluded that the observation of the styles in the musical scenes makes possible, therefore, the understanding of new cultural political strategies that are materialized in the body, in the taste and in performative acts originated from the musical fruition.

Keywords: Styles; Musical scenes; Cultural consumption; Performance.

Biografia do Autor

Luciana Xavier de Oliveira, Bacharelado em Ciências e Humanidades e Bacharelado em Planejamento Territorial Centro de Engenharia, Modelagem e Ciências Sociais Aplicadas (CECS) UFABC - Universidade Federal do ABC

Doutora em Comunicação (UFF), Mestre em Comunicação (UFBA) e graduada em jornalismo (UFRJ). Professora Adjunta do Bacharelado em Ciências e Humanidades e Bacharelado em Planejamento Territorial Centro de Engenharia, Modelagem e Ciências Sociais Aplicadas (CECS) UFABC  - Universidade Federal do ABC

Referências

BHABHA, Homi K. O local da cultura. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 1998.

CANCLINI, Néstor Garcia. A globalização imaginada. São Paulo: Iluminuras, 2007.

______. Consumidores e cidadãos. Rio de Janeiro: Ed. UFRJ, 2008.

CARDOSO FILHO, Jorge; OLIVEIRA, Luciana Xavier de. Espaço de experiência e horizonte de expectativas como categorias metodológicas para o estudo das cenas musicais. TRANS – Revista Transcultural de Música/Transcultural Music Review, n.17, 2013. Disponível em: <https://www.sibetrans.com/trans/public/docs/trans-17-02_1.pdf>. Acesso em 30 mai. 2018.

CARILLO, Jesus. Entrevista com Beatriz Preciado. Revista Poiésis, n. 15, p. 47-71, jul.2010.

FACCHINI, Regina. "Não faz mal pensar que não se está só": estilo, produção cultural e feminismo entre as minas do rock em São Paulo. Cadernos Pagu, Campinas, n. 36, p.117-153, Junho de 2011. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-83332011000100006&lng=en&nrm=iso>. Acesso em 17 jan. 2016.

FREIRE FILHO, João; FERNANDES, Fernanda. Jovens, espaço urbano e identidade: reflexões sobre o conceito de cena musical. In: FREIRE FILHO, João & JANOTTI JÚNIOR, Jeder (org.). Comunicação e Música Popular Massiva. Salvador: EDUFBA, 2006, p. 25 – 40.

GALLO, Ivone Cecília. Punk: Cultura e Arte. Varia Historia, Belo Horizonte, vol. 24, nº 40, p.747-770, jul/dez 2008. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/vh/v24n40/24.pdf>. Acesso em 29 abr. 2018.

GIDDENS, Anthony. Modernidade e Identidade. Rio de Janeiro, Zahar, 2002.

FRITH, Simon. Performing rites: on the value of popular music. Cambridge: Harvard University Press, 1996.

______. Music for Pleasure: Essays in the Sociology of Pop. Oxford: Polity Press, 1988.

HEBDIGE, Dick. (1979). Subculture: The Meaning of Style. Florence, KY, USA: Routledge.

HENNION, Antoine. Pragmáticas do gosto. Desigualdade & Diversidade – Revista de Ciências Sociais da PUC-Rio, n. 8, jan/jul, 2011, pp. 253-277.

HERSCHMANN, Micael. O Funk e o Hip Hop invadem a cena. Rio de Janeiro: UFRJ, 2000.

JANOTTI JÚNIOR, Jeder; PIRES, Victor. Entre os afetos e os mercados culturais: as cenas musicais como formas de mediatização dos consumos musicais. In: Dez anos a mil: mídia e música popular massiva em tempos de internet. Jeder Janotti Jr., Tatiana Lima e Victor Pires (orgs.). Porto Alegre: Simplíssimo, 2011.

______. “Partilhas do Comum”: cenas musicais e identidades culturais. Anais do XXXV Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação, Fortaleza, 2012b.

LESSER, Beth. Rub-a-Dub Style: The Roots of Modern Dancehall. Canadá: ECW Press, 2008.

MONÇORES, Aline Moreira. Moda Mangue - A influência do movimento Manguebeat na moda pernambucana. Rio de Janeiro, 2006. Dissertação (Mestrado em Design), Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, 273p. Disponível em: <https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/9466/9466_4.PDF>. Acesso em: 20 maio 2018.

OLIVEIRA, Luciana Xavier de. Cenas musicais, experiências identitárias e práticas de consumo: os bailes black no Rio de Janeiro. IS Working Papers, 3.ª Série, n. 9, Porto, Portugal: Instituto de Sociologia da Universidade do Porto, 2015. Disponível em: <http://www.isociologia.pt/App_Files/Documents/wp9_151218035035.pdf>. Acesso em: 15 abr. 2016.

______. A cena musical da Black Rio: estilo e mediações nos bailes soul dos anos 1970. Salvador: EDUFBA, 2018.

PINHO, Osmundo de Araújo. Etnografias do brau: corpo, masculinidade e raça na reafricanização em Salvador. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, v. 13, n. 1, p. 127, jan. 2005. ISSN 1806-9584. Disponível em: <https://periodicos.ufsc.br/index.php/ref/article/view/S0104-026X2005000100009/7816>. Acesso em: 23 abr. 2018.

RICOEUR, P. Tempo e narrativa. (vol. 1). São Paulo: Martins Fontes, 2010.

STRAW, Will. Systems of articulation, logics of change: scenes and communities in popular music. Cultural Studies, v. 05, n. 03, p. 361 – 375, Oct. 1991.

______. Scenes and Sensibilities. E-Compos: Revista da Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Comunicação. Agosto de 2006 – 3/16. Disponível em: <http://www.compos.org.br/e-compos>. Acesso em: 2 nov 2010.

TROTTA, Felipe. Cenas musicais e anglofonia: sobre os limites da noção de cena no contexto brasileiro. In: Cenas musicais. Simone Pereira de Sá e Jeder Janotti Jr. (orgs.). São Paulo: Anadarco, 2013.

ZUMTHOR, Paul. Performance, recepção, leitura. Trad. Jerusa Pires Ferreira. São Paulo: Educ (PUC-SP), 2000.

Downloads

Publicado

13/10/2019

Como Citar

DE OLIVEIRA, L. X. Políticas de estilo nas cenas musicais: contribuições teórico-metodológicas. Latitude, Maceió-AL, Brasil, v. 12, n. 2, p. 60–74, 2019. DOI: 10.28998/lte.2018.n.2.5156. Disponível em: https://seer.ufal.br/index.php/latitude/article/view/5156. Acesso em: 27 fev. 2024.

Edição

Seção

Dossiê "Cenas musicais: performances artísticas, consumos e estilos de vida"