A Produção Arquitetônica dos Espaços Imaginários no Cinema

Autores

  • Verônica Moralli de Andrade

Palavras-chave:

Arquitetura. Cinema. Cenário. Direção de arte.

Resumo

Os cenários cinematográficos, construídos com auxílio da arquitetura, são partes fundamentais na concepção de um filme em razão de contextualizarem o espectador em questões como espaço e época de uma narrativa. O presente artigo é um recorte de um trabalho final de graduação de Arquitetura e Urbanismo, e tem como objetivo apresentar uma perspectiva histórica da representação desses cenários arquitetônicos nas mídias audiovisuais. Para isso, foi realizada, primeiramente, uma análise com foco na arquitetura de obras cinematográficas selecionadas. Também foi necessária uma revisão  literária, bem como pesquisas em artigos científicos relacionados para, a partir de então, gerar hipóteses relacionadas aos cenários e como estes são responsáveis pelo diálogo entre arquitetura e cinema. A relevância deste estudo se dá no ponto que é necessário compreender como uma área técnica, que muitas vezes é deixada em segundo plano, pode ser também a protagonista da história.

Referências

A ORIGEM. Direção de Christopher Nolan. Estados Unidos da América: Warner Bros, 2010. (148 min.), son., color. Legendado. Clipe

ALTAMIRANO, Rafael. Cinema e Arquitetura: "Blade Runner". 2014. Disponível em: https://www.archdaily.com.br/br/601530/cinema-e-arquiteturablade-runner. Acesso em: 15 fev. 2019.

BLADE Runner - O Caçador de Androides. Direção de Ridley Scott. Produção de Michael Deeley. Música: Vangelis. 1982. (117 min.), son., color. Legendado.

CANUDO, R. Manifeste des sept arts. Paris: Séguier. 1923

DANGEROUS Days: Making Blade Runner. Direção de Charles de Lauzirika. Estados Unidos: Warner Bros. Pictures, 2007. (214 min.), son., color. Legendado.

DOGVILLE. Direção de Lars von Trier. Dinamarca: Lions Gate Entertainment, 2003. (177 min.), son., color. Legendado.

E o Vento Levou. Direção de Victor Fleming. Produção de David O. Selznick. Atlanta: Metro-goldwyn-mayer, 1939. (245 min.), Son., color. Legendado.

FINN, Pat. The Architecture of Inequality: On Bong Joon-ho’s ‘Parasite’. 2019. Disponível em: ttps://architizer.com/blog/inspiration/stories/the-architecture-ofparasite/. Acesso em: 10 maio 2021.

HAMBURGER, Vera. Arte em Cena: A direção de arte no cinema brasileiro. São Paulo: Editora Senac São Paulo, 2014. 420 p.

HAMBURGER, Vera Império. O Desenho do Espaço Cênico: da experiência vivencial à forma. 2014. 323 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Artes, Área de Concentração Artes Cênicas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2014.

JACOBSEN, W.; SUDENDORF, W. Metropolis: A Cinematic Laboratory for Modern Architecture. Munich: Edition Axel Menges, 2000.

LEZO, Denise. Arquitetura, Cidade e Cinema: Vanguardas e Imaginário. 2010. 229 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo, São Carlos, 2010.

METRÓPOLIS. Direção de Fritz Lang. Produção de Thea von Harbou. Alemanha: Universum Film Ag, 1927. (153 min.), P&B. Legendado.

NIOLA, Gabriele. Parasite: the movie of the year uses architecture to talk to everyone. 2019. Disponível em: https://www.domusweb.it/en/art/2019/11/17/parasite-is-the-film-of-the-year-and-ituses-architecture-to-talk-to-everyone.html. Acesso em: 28 dez. 2019.

O GABINETE do Dr. Caligari. Direção de Robert Wiene. Polônia: Universum Film Ag, 1920. P&B. Legendado.

PALLASMAA, Juhani. Os olhos da pele: a arquitetura e os sentidos. Porto Alegre: Bookman, 2011. 76 p.

PARASITA. Direção de Bong Joon-Ho. Coreia do Sul: Cj Entertainment, 2019. (132 min.), son., color. Legendado.

PERRONE, Rafael Antonio Cunha. OS CROQUIS E OS PROCESSO DE PROJETO DE ARQUITETURA. São Paulo: Altamira Editorial, 2018. 159 p.

ISBN 9788599518250

SABADIN, Celso. A História do Cinema para quem tem Pressa. Rio de Janeiro: Valentina, 2018. 192 p. ISBN 978-85-5889-066-3

SADOUL, Georges. História do Cinema Mundial: das origens a nossos dias. São Paulo: Martins Fontes, 1963. 213 p. ISBN: 9789722405577

SOUZA, Géssica de; TRENTIN, Ludiani Retka. CONSTRUÇÃO E REPRESENTAÇÃO DO ESPAÇO SOCIAL NO FILME DOGVILLE, DE LARS

VON TRIER. Revista Topus, Uberaba, v. 1, p. 145-158, jun. 2015. Semestral. Disponível em: http://www.revistatopus.com.br/edicao.asp?cod=1. Acesso em: 01 maio 2021.

STAR Wars. Direção de Irvin Kershner, J. J. Abrams. Realização de George Lucas. Estados Unidos: Lucasfilm Ltd., Disney, 1980 - 2019. Son., color. Legendado.

VIAGEM a Lua. Direção de Georges Méliès. França: Star Film, 1902. (14 min.), P&B. Legendado

ZEVI, Bruno. Saber ver a arquitetura. 6. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1948. 298 p. (Coleção Mundo da Arte). ISBN 978-85-7827-084-1

ZANELLA, Arthur Simon. A imagem da arquitetura no cinema e novas mídias: os espaços de Star Wars. 2019. 256 f. Dissertação (Arquitetura e Urbanismo) - Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo, 2019

Downloads

Publicado

16/08/2021

Como Citar

Andrade, V. M. de. (2021). A Produção Arquitetônica dos Espaços Imaginários no Cinema. CADERNOS CÊNICOS, 3(4), 1–15. Recuperado de https://seer.ufal.br/index.php/CadCenicos/article/view/12805

Edição

Seção

Artigos