Qualidade de dados dos sistemas de informação do Datasus: análise crítica da literatura

Daiane Marcela Piccolo

Resumo


Obter dados precisos com garantia de qualidade é um fator primordial para análises e melhores tomadas de decisões, em todos os campos. A área da saúde disponibiliza dados por meio do sistema do DATASUS, que integra diversos sistemas relacionados a questões de saúde. Entretanto, a garantia da qualidade dos dados é condição essencial para a análise objetiva da situação sanitária, assim como para a tomada de decisões e para a programação de ações de saúde. O trabalho constitui-se de uma pesquisa exploratória com abordagem qualitativa e quantitativa, cujo objetivo é identificar e analisar estudos que têm abordado questões de qualidade em sistemas de informação do DATASUS, no qual se obteve um total de sete artigos selecionados que abordaram questões de qualidade. Entretanto, notou-se que ainda há a necessidade de desenvolver novos estudos que tenham como objetivo avaliar a qualidade dos sistemas do DATASUS, como estratégia de melhoria para melhor utilizá-los.


Palavras-chave


Estatísticas vitais. Sistemas de informação. Qualidade.

Texto completo:

PDF

Referências


AROUCK, O. Atributos de qualidade da informação. 2011. 117 f. Dissertação (mestrado em Ciência da Informação) – Universidade de Brasília, Faculdade de Ciência da Informação. Brasília, 2011.

ASSAF, A.; SENART, A. Data Quality Principles in the Semantic Web. In: ICSC’12 proceedings of the 2012 IEEE Sixth International Conference on Semantic Computing. Pages 226-229 IEEE Computer Society Washington, DC, USA, 2012.

FERREIRA, A. S. J. et al. Avaliação da qualidade da informação: linkage entre SIM e SINASC em Jaboatão dos Guararapes (PE). Ciência saúde coletiva, Rio de Janeiro, v.16 supl.1. p. 1241-1246, 2011. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232011000700056. Acesso em: 25 abr. 2018.

JORGE, M. H. P. M., LAURENTI R.; GOTLIEB, D. L. S. Análise da qualidade das estatísticas vitais brasileiras: a experiência de implantação do SIM e do SINASC. Ciência saúde coletiva, Rio de Janeiro, v. 12 n. 3, 2007. Disponível em http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232007000300014. Acesso em: 25 abr. 2018.

MASCARENHAS, M. D. M.; GOMES, K. R. O. Confiabilidade dos dados do Sistema de Informações sobre Nascidos Vivos em Teresina, Estado do Piauí, Brasil - 2002. Ciência saúde coletiva, Rio de Janeiro, v. 16, suppl.1, p.1233-1239, 2011. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232011000700055. Acesso em: abr. 2018.

O´BRIEN, J. A. et al. Les systemes d´information de gestion: la perspective du gestionnaire utilisateur. Quebec: Editions du Renouveau Pedagogique, 1995. 767p.

PALVIA, P. C. A model and instrument for measuring small bussiness user satisfaction with information technology. Information & Magagement, v. 31, p. 151-163, 1996.

REDE INTERAGENCIAL DE INFORMAÇÕES PARA A SAÚDE. Indicadores básicos de saúde no Brasil: conceitos e aplicações. Brasília: Organização Pan-Americana da Saúde; 2008.

ROCHA, R. et al. Aplicação da técnica de linkage entre as bases de dados de nascidos vivos e óbitos para estudo da mortalidade neonatal no Recife (PE), Brasil. Revista Espaço para a Saúde, Londrina, v. 12, n. 2, p. 38-44, jun. 2011. Disponível em: http://dx.doi.org/10.22421/1517-7130.2011. Acesso em: 25 abr. 2018.

RODRIGUES, M. et al. Análise espacial da mortalidade infantil e adequação das informações vitais: uma proposta para definição de áreas prioritárias. Revista Ciência e Saúde Coletiva, v. 19, n.7, p. 2047 – 2054, 2014. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S141381232014000702047&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 25 abr. 2018.

SILVA, A. A. M. et al. Avaliação da qualidade dos dados do Sistema de Informações sobre Nascidos Vivos em 1997-1998. Revista Saúde Pública, v. 35, n. 6, p. 508-514, 2001. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89102001000600003. Acesso em: 25 abr. 2018.

SILVA, L. P. et al. Avaliação da qualidade dos dados do Sistema de Informações sobre Nascidos Vivos e do Sistema de Informações sobre Mortalidade no período neonatal, Espírito Santo, Brasil, de 2007 a 2009. Ciência e saúde coletiva, v. 19, n. 7, p. 2011-2020, 2014. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/1413-81232014197.08922013. Acesso em: 25 abr. 2018.

STRONG, D. M. et al. Data quality in context. Communications of the ACM, v. 40, n. 5, p. 103-110, May 1997.

WANG, R. Y.; STRONG, D. M. Beyond accuracy: what data qaulity means to data consumers. Journal of management information systems, v. 12, n.4, p. 5-34, 1996.

WANG, Y. M; WANG, Y. S. Examining the dimensionality and measurement of user perceived knowledge and information quality in the KMS contexto. Journal of Information Science, v. 35, n.1, p. 94-109, 2009.






Direitos autorais 2019 Os autores são detentores dos direitos autorais e concedem à Ciência da Informação em Revista o direito de publicação simultaneamente disponibilizada de acordo com uma Licença Creative Commons 4.0 Internacional.


Ciência da Informação em Revista | E-ISSN 2358-0763 | Citações no Google Acadêmico

        

Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação

Instituto de Ciências Humanas, Comunicação e Artes

Universidade Federal de Alagoas, Campus A. C. Simões
Av. Lourival Melo Mota, s/n, Tabuleiro dos Martins, Maceió, Alagoas, Brasil
CEP: 57072-900 | Telefone: +55 82 3214 1342 | e-mail: cirev@ichca.ufal.br

 

Este periódico é afiliado à Associação Brasileira de Editores Científicos.


 Os originais publicados na Ciência da Informação em Revista estão disponibilizados de acordo com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.