Os verbos botar e colocar no estado do Maranhão em dados do ALiB: uma pesquisa variacionista

Autores

  • Cassio Murilio Alves de Lavor Universidade Estadual do Ceará
  • Aluiza Alves de Araújo Universidade Estadual do Ceará
  • Maria Lidiane de Sousa Pereira Universidade Estadual do Ceará

DOI:

https://doi.org/10.28998/2317-9945.2020v0n66p146-164

Resumo

Este trabalho aborda a variação entre os verbos botar e colocar em amostra de fala do estado do Maranhão e pretende investigar quais fatores linguísticos e extralinguísticos condicionam o uso de botar em coocorrência com colocar. Tomando como aporte teórico-metodológico a Sociolinguística variacionista, construímos uma amostra de linguagem em uso composta por 36 inquéritos extraídos do Projeto Atlas Linguístico do Brasil (doravante ALiB) e representativos de 9 localidades do estado do Maranhão, a saber: Alto Paranaíba; Bacabal; Balsas; Brejo; Imperatriz; São João de Patos; Tuntum; Turiaçu e São Luís. A partir disso, testamos a atuação de uma variável linguística (forma verbal) e quatro extralinguísticas (tipo de inquérito, localidade, sexo e faixa etária) sobre a realização do verbo botar na amostra deste estudo. Com o auxílio do Programa GoldVarb X, analisamos um total de 711 ocorrências dos verbos investigados. Desse total, 71,30% dos casos são de botar e 28,70% do verbo colocar. Os resultados mostram que são pertinentes, nessa mesma ordem de importância, a localidade (com São Luís do Maranhão, Brejo e Bacabal favorecendo o botar e Turiaçu beneficiando o colocar) e a faixa etária (falantes com 18-30 anos condicionando o botar e os informantes com 35-60 anos favorecendo o colocar).

Biografia do Autor

Cassio Murilio Alves de Lavor, Universidade Estadual do Ceará



Possui graduação em Letras (Licenciatura plena) pela Universidade Estadual do Ceará (2014). Mestrado em Linguística Aplicada, pela Universidade Estadual do Ceará (2018). Tem experiência na área de Linguística, com ênfase em Sociolinguística.

Aluiza Alves de Araújo, Universidade Estadual do Ceará


Possui graduação em Letras (Português/Literatura) pela Universidade Estadual do Ceará (1996), mestrado (2000) e doutorado (2007) em Linguística pela Universidade Federal do Ceará. Professor Associado M da Universidade Estadual do Ceará. Foi Coordenadora do Curso de Letras da Universidade Estadual do Ceará (2009-2011). Integra o corpo docente do Programa de Pós-Graduação em Linguística Aplicada da Universidade Estadual do Ceará (Conceito 5). Coordenou o Projeto NORPOFOR (Norma Oral do Português Popular de Fortaleza) e participou, como bolsista do CNPq, da equipe do projeto PORCUFORT (Português Oral Culto de Fortaleza). Atualmente coordena o projeto Descrição do português oral culto de Fortaleza - PORCUFORT (fase II): uma pesquisa em tempo real. Também é coordenadora do Laboratório de Pesquisas Sociolinguísticas do Ceará (LAPESCE). Lidera o Grupo de Pesquisas Sociolinguísticas de Fortaleza-Ce (SOCIOFOR). É membro do Conselho Editorial das revistas Entrepalavras, Percursos Linguísticos e Sociodialeto. Além disso, participa dos grupos de pesquisa do ALiB, SOCIOLIN-CE e PRAETECE.Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Língua Portuguesa, atuando principalmente na área de Sociolinguística e Dialetologia.

Maria Lidiane de Sousa Pereira, Universidade Estadual do Ceará

Mestre (2016) e doutoranda em Linguística Aplicada pelo Programa de Pós-Graduação em Linguística Aplicada (PosLA) da Universidade Estadual do Ceará (UECE). Graduada em Letras - Língua Portuguesa (2014), pela Universidade Regional do Cariri (URCA). Atua na área de Letras com ênfase em Língua Portuguesa, Linguística e Sociolinguística Variacionista. Atualmente, é colaboradora dos Projetos Fotografias sociolinguísticas de aspectos fonológicos e morfossintáticos do falar de Fortaleza-CE e Projeto variação linguística de aspectos lexicais e morfossintáticos de Fortaleza. É membro do Laboratório de Pesquisas Sociolinguísticas do Ceará (LAPESCE) vinculado ao PosLA.

Downloads

Publicado

12/12/2020

Como Citar

LAVOR, C. M. A. de; ARAÚJO, A. A. de; PEREIRA, M. L. de S. Os verbos botar e colocar no estado do Maranhão em dados do ALiB: uma pesquisa variacionista. Leitura, [S. l.], n. 66, p. 146–164, 2020. DOI: 10.28998/2317-9945.2020v0n66p146-164. Disponível em: https://seer.ufal.br/index.php/revistaleitura/article/view/10543. Acesso em: 11 ago. 2022.

Edição

Seção

Estudos Linguísticos