Clarice Lispector e a redenção de Mineirinho: o escritor como agente social

Autores

  • Tiago Rodrigues Fernandes Universidade Federal do Paraná

Resumo

Em 1962, Clarice Lispector escreve a crônica Mineirinho, baseada na execução de um bandido com treze tiros, pela polícia do Rio de Janeiro. Em vista disso, esse artigo se propôs a uma discussão sobre o papel do escritor como agente social, dentro de um contexto de literatura engajada. Assim, investiga-se como a literatura assume uma função fundamental para desnudar as mazelas ocasionadas pelas desigualdades sociais. Por meio de pesquisas de caráter bibliográfico, com fundamentação teórica em textos ficcionais e teórico-metodológicos, concluiu-se que o escritor, assim como Clarice em Mineirinho, expõe, redime e imortaliza em obras literárias personagens marginalizados da vida real.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Tiago Rodrigues Fernandes, Universidade Federal do Paraná

Graduado em Licenciatura em Letras Português/Espanhol pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG). Aluno de Mestrado do Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade Federal do Paraná (UFPR). E bolsista CAPES desde 2020. 

Downloads

Publicado

2023-12-05

Como Citar

RODRIGUES FERNANDES, Tiago. Clarice Lispector e a redenção de Mineirinho: o escritor como agente social. Leitura, [S. l.], v. 1, n. 79, p. 56–70, 2023. Disponível em: https://seer.ufal.br/index.php/revistaleitura/article/view/13958. Acesso em: 28 fev. 2024.

Edição

Seção

Dossiê de Estudos Literários: Desvairadas para além de 22