A dona de casa estava cansada: revolução e trabalho doméstico na poesia de Fernanda Laguna

Autores

  • Eduarda Rocha Góis da Silva Universidade Federal do Rio de Janeiro

DOI:

https://doi.org/10.28998/2317-9945.202378.78-94

Resumo

Este texto propõe analisar as relações entre escrita literária e políticas do desejo na obra da multiartista argentina Fernanda Laguna, cuja atuação abarca a literatura, as artes visuais, a gestão cultural e o ativismo feminista. A poesia de Laguna antecipou diversos temas da ordem do dia nas reivindicações atuais dos movimentos feministas, tais como: o trabalho doméstico, a caça às bruxas, as greves feministas, entre muitos outros. Movimentos como o Ni Una Menos, do qual a autora é ativista, dialogam com esses temas, enfrentando-os como questões centrais em suas pautas de reivindicação. Inclusive, um de seus slogans é, justamente, Nos mueve el deseo. De tal modo, é pertinente refletir sobre como a poesia pode chegar a ser um lugar de produção de novas subjetividades, capaz de recriar o mundo em que se quer viver, de acordo com uma ética feminista da vida. Para isso, serão analisados poemas em que a autora aborda questões como revolução e trabalho doméstico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eduarda Rocha Góis da Silva, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Doutora em Estudos Literários pelo Programa de Pós-Graduação em Letras e Linguística da Universidade Federal de Alagoas (2021). Possui Mestrado em Estudos Literários (2016) e graduação em Letras Espanhol e Literaturas de Língua Espanhola (2013) pela mesma instituição. Atualmente, realiza Pós-doutorado na Universidade Federal do Rio de Janeiro com bolsa do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico.

Downloads

Publicado

2023-10-23

Como Citar

ROCHA GÓIS DA SILVA, Eduarda. A dona de casa estava cansada: revolução e trabalho doméstico na poesia de Fernanda Laguna. Revista Leitura, [S. l.], v. 1, n. 78, p. 78–94, 2023. DOI: 10.28998/2317-9945.202378.78-94. Disponível em: https://seer.ufal.br/index.php/revistaleitura/article/view/15503. Acesso em: 22 abr. 2024.