Design experiencial no turismo: uma revisão integrativa sobre o tema

Autores

  • Daniela Estaregue Doutoranda do Programa de Pós-graduação em Design - UFSC
  • Giselle Schmidt Alves Díaz Merino Professora do Programa de Pós-graduação em Design da Universidade Federal de Catarina - UFSC
  • Eugenio Andrés Díaz Merino Professor associado IV da Universidade Federal de Santa Catarina Universidade Federal de Catarina - UFSC e coordenador do Núcleo de Gestão de Design e o Laboratório de Design e Usabilidade - UFSC
  • Marília Matos Gonçalves Professora associada I da Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC

Palavras-chave:

Design, Gestão de Design, Turismo Experiencial, Revisão Integrativa

Resumo

O movimento turístico tem experimentado um crescimento nos últimos 50 anos, apoiando-se em muitos fatores inter-relacionados que incluem avanços tecnológicos e várias formas de intercambio global acelerado em virtude da liberalização do comercio mundial (PAGE, 2011). Este desenvolvimento gera novos padrões comportamentais e, para acompanhar estas mudanças, diversos setores já estão se adaptando para formatar e oferecer produtos e serviços compatíveis que satisfaçam às novas necessidades. Deste modo, percebe-se que o crescimento do turismo pela Economia de Experiência, como é conhecido no turismo, pode se tornar um novo meio de conceituar os diversos aspectos dessa nova oferta (SOARES, 2009). Acredita-se que essa nova abordagem enfatiza a experiência, tendo como foco a criatividade e autenticidade como bases na formatação de produtos e serviços que proporcionem sensações únicas e inesquecíveis, que contem histórias e trabalhem com sonhos.  Como afirma Sanz, Merino, Gomez (201?) a experiência ou vivência que ocorre entre empresas ou organizações e pessoas vem sendo cada vez mais explorada no sentido de identificar e potencializar os fatores que as conectam emocionalmente. Logo, é preciso que sejam implantadas estratégias de divulgação, além de investimentos e iniciativas para desenvolver e criar um diferencial que chame a atenção dos turistas (NASCIMENTO; MAIA; DIAS, 2012). Nesse sentido, o presente artigo objetiva apresentar as informações obtidas em uma revisão sistemática integrativa da literatura sobre os termos “gestão de design”, “turismo experiencial”, com o intuito de mapear as publicações científicas atuais sobre a temática e verificar como se estabelece a relação da gestão de design e experiência turística.

Biografia do Autor

Daniela Estaregue, Doutoranda do Programa de Pós-graduação em Design - UFSC

Mestre em Design em Produção Visual pelo Instituto Superior de Artes, Design e Marketing, Portugal(2010)

Giselle Schmidt Alves Díaz Merino, Professora do Programa de Pós-graduação em Design da Universidade Federal de Catarina - UFSC

Doutora em Engenharia de Produção, com ênfase em Engenharia de Produto e Processo  pela Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC (2014). 

Eugenio Andrés Díaz Merino, Professor associado IV da Universidade Federal de Santa Catarina Universidade Federal de Catarina - UFSC e coordenador do Núcleo de Gestão de Design e o Laboratório de Design e Usabilidade - UFSC

PhD pela Universidad Politécnica de Valencia (Espanha) 2015-16.

Marília Matos Gonçalves, Professora associada I da Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC

Doutora em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Santa Catarina- UFSC (2005) 

Downloads

Publicado

16/05/2017

Edição

Seção

Artigos