Ensino por investigação e aproximações com a aprendizagem baseada em problemas

Andreia de Freitas Zompero, Mariana Aparecida Bologna Soares de Andrade, Tânia Belizario Mastelari, Edilaine Vagula

Resumo


O avanço da tecnologia e a utilização de novas ferramentas digitais gerou um impacto nas instituições de ensino, possibilitando revisões em práticas educativas tradicionais. A presente pesquisa constitui-se em um estudo qualitativo de revisão bibliográfica, com o objetivo de discutir e esclarecer os pontos de convergência que apresentam a perspectiva do ensino por investigação e a Aprendizagem baseada em Problemas, e assim, contribuir com a prática pedagógica de educadores.  Concluímos que ambas apresentam fundamentos teóricos e metodológicos comuns, que buscam   fomentar o pensamento autônomo por parte de alunos e professores, visando uma aprendizagem efetiva e aprimoramento do espírito de investigação.  


Texto completo:

PDF

Referências


AGUERRI, Miriam; BRAVO-TORIJA, Beatriz. El uso de pruebas en la resolución de problemas reales en 4º de ESO:¿ debemos dragar el río Ebro?. Revista Eureka sobre Enseñanza y Divulgación de las Ciencias, p. 300-316, 2017.

FAZENDA, Ivani Catarina Arantes. Didática e interdisciplinaridade. Papirus Editora, 2008.

BERBEL, Neusi Aparecida Navas. A problematização e a aprendizagem baseada em problemas: diferentes termos ou diferentes caminhos?. Interface-Comunicação, Saúde, Educação, v. 2, p. 139-154, 1998.

BERBEL, Neusi Aparecida Navas. As metodologias ativas e a promoção da autonomia de estudantes. Semina: Ciências Sociais e Humanas, v. 32, n. 1, p. 25-40, 2011.

BYBEE, Rodger W. Scientific inquiry and science teaching. In: Scientific inquiry and nature of science. Springer, Dordrecht, 2006. p. 1-14.

CYRINO, Eliana Goldfarb; TORALLES-PEREIRA, Maria Lúcia. Trabalhando com estratégias de ensino-aprendizado por descoberta na área da saúde: a problematização e a aprendizagem baseada em problemas. Cadernos de Saúde Pública, v. 20, p. 780-788, 2004.

DEWEY, John. Como pensamos. Companhia Editora Nacional, 1959a.

DEWEY, John. Democracia e educação: introdução à filosofia da educação. Companhia Editora Nacional, 1959b.

DEWEY, John. Experiência e educação Tradução de: Anísio Teixeira. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1971.

DEBOER, George E. Historical perspectives on inquiry teaching in schools. In: Scientific inquiry and nature of science. Springer, Dordrecht, 2006. p. 17-35.

FARIAS, Pablo Antonio Maia de; MARTIN, Ana Luiza de Aguiar Rocha; CRISTO, Cinthia Sampaio. Aprendizagem ativa na educação em saúde: percurso histórico e aplicações. Rev. bras. educ. méd, v. 39, n. 1, p. 143-150, 2015. Acesso em: 21 de janeiro de 2019. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbem/v39n1/1981-5271-rbem-39-1-0143.pdf

FRANÇA, Cyntia Simioni. Possibilidades e limites na construção do conhecimento histórico em conexão com o mundo virtual. Dissertação (Mestrado em História Social). Universidade Estadual de Londrina, Londrina, 2009. Antíteses, v. 2, n. 3, p. 533-535, 2009.

FREITAS, Raquel Aparecida Marra da Madeira. Ensino por problemas: uma abordagem para o desenvolvimento do aluno. Educação e Pesquisa, v. 38, n. 2, p. 403-418, 2012.

GASPARIN, João Luiz. Uma didática para a pedagogia histórico-crítica. rev. 2. reimpr. Campinas, SP: Autores Associados, 2012.

MARIN, Maria José Sanches et al. Aspectos das fortalezas e fragilidades no uso das metodologias ativas de aprendizagem. Rev bras educ méd, v. 34, n. 1, p. 13-20, 2010.

MASETTO, Marcos Tarciso. PBL na Educação?. In: XII Endipe – Encontro Nacional de Didática e Prática de Ensino, 2004, Curitiba. Anais do XIII Endipe. Curitiba, 2004. v. 1.

MITRE, Sandra Minardi et al. Metodologias ativas de ensino-aprendizagem na formação profissional em saúde: debates atuais. Ciência & saúde coletiva, v. 13, p. 2133-2144, 2008.

MORAN, José Manuel. A educação que desejamos: novos desafios e como chegar lá. Papirus Editora, 2007.

BACICH, Lilian; MORAN, José. Metodologias ativas para uma educação inovadora: uma abordagem teórico-prática. Penso Editora, 2018.

MORIN, E. A cabeça bem-feita: repensar a reforma, reformular o pensamento. (19a ed.). Rio de Janeiro: Beltrand Brasil, 2011.

NATIONAL RESEARCH COUNCIL et al. Inquiry and the national science education standards: A guide for teaching and learning. National Academies Press, 2000.

NATIONAL RESEARCH COUNCIL et al. A framework for K-12 science education: Practices, crosscutting concepts, and core ideas. National Academies Press, 2012.

DA SILVA NUNES, Teresa; MOTOKANE, Marcelo Tadeu. Análise de hipóteses escritas na solução de problemas em sequências didáticas investigativas. Revista de educación en biología, v. 20, n. 1, p. 72-86), 2017. Acesso em: 25 de janeiro de 2018. Disponível em: http://www.revistaadbia.com.ar/ojs/index.php/adbia/article/view/450/pdf

OECD-PISA. Draft Science Framework. Paris: OECD, 2015. Disponível em: http:www.oecd.org/pisa/pisaproducts/Draft%20PISA%202015%20Science%20Framework%20.pdf

PEDASTE, Margus et al. Phases of inquiry-based learning: Definitions and the inquiry cycle. Educational research review, v. 14, p. 47-61, 2015.

PENAFORTE, Julio. John Dewey e as raízes filosóficas da aprendizagem baseada em problemas In: Aprendizagem baseada em problemas: anatomia de uma abordagem educacional. Ceará: Hucitec, 2001.

PRADO, Marta Lenise do et al. Arco de Charles Maguerez: refletindo estratégias de metodologia ativa na formação de profissionais de saúde. Esc. Anna Nery Rev. Enferm, v. 16, n. 1, p. 172-177, 2012. Acesso em: 14 de novembro de 2017. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ean/v16n1/v16n1a23.pdf

PRAIA, João; CACHAPUZ, António; GIL-PÉREZ, Daniel. A hipótese e a experiência científica em educação em ciência: contributos para uma reorientação epistemológica. Ciência & Educação (Bauru), v. 8, n. 2, p. 253-262, 2002. Acesso em: 27 de dezembro de 2017. Disponível em: http://scielo.br/pdf/ciedu/v8n2/09.pdf

RIBEIRO, Luis Roberto de Camargo. A aprendizagem baseada em problemas (PBL): uma implantação na educação em engenharia na voz dos atores. 2005. Tese (Programa de pós-graduação em Educação) ¬– Centro de Educação e Ciências Humanas, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos.

ROCHA, Juliana Schaia et al. O uso da aprendizagem baseada em problemas na Odontologia: uma revisão crítica da literatura. Revista da ABENO, v. 16, n. 1, p. 25-38, 2016.

DOS SANTOS, Cenilza Pereira; SOARES, Sandra Regina. Aprendizagem e relação professor-aluno na universidade: duas faces da mesma moeda. Estudos em Avaliação Educacional, v. 22, n. 49, p. 353-369, 2011.

SCHMIDT, Henk G. Foundations of problem‐based learning: some explanatory notes. Medical education, v. 27, n. 5, p. 422-432, 1993. Acesso em: 05 de dezembro de 2018. Disponível em: https://pdfs.semanticscholar.org/10fa/dd08dadab95a2ed4626214371c81aaf58d31.pdf

VIGNOCHI, Carine Moraes et al. Considerações sobre aprendizagem baseada em problemas na educação em saúde. Revista HCPA. Porto Alegre. Vol. 29, n. 1 (2009), p. 45-50, 2009.

ZABALA, Antoni. A prática educativa: como ensinar. Porto Alegre: Artmed, 1998.




DOI: https://doi.org/10.28998/2175-6600.2019v11n25p222-239

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

_________________________________________________________________________________________________________________________

CONTATO:

E-mail: debatesemeducacao@gmail.com

Universidade Federal de Alagoas – UFAL
Centro de Educação – CEDU
Programa de Pós-graduação em Educação – PPGE
Campus A. C. Simões
Av. Lourival Melo Mota, s/n - Tabuleiro do Martins
57072-900 - Maceió - AL, Brasil.
Telefone: +55 82 3214 1196
Link: http://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/

ISSN ELETRÔNICO: 2175-6600

DOI (Digital Object Identifier - Identificador de Objeto Digital)

Em 14 de dezembro de 2017, a Revista Debates em Educação passou a atribuir o DOI às suas publicações, padrão para identificação de documentos em redes digitais. 

Prefixo: 10.28998/2175-6600

QUALIS/CAPES (2013 - 2016):

– Ensino B1
– Interdisciplinar B4
– Letras / Linguística B4
– Psicologia B4
– Comunicação e Informação B4
– Sociologia B4
– Educação B5

PERIODICIDADE – QUADRIMESTRAL

De 2009 a 2016, a periodicidade da Revista Debates em Educação era semestral. A partir de 2017, a revista se tornou quadrimestral, de acordo com as datas abaixo:

– Primeiro quadrimestre: jan./abr. - limite para publicar a edição 30 abril.
– Segundo quadrimestre: maio/ago. - limite para publicar a edição 31 agosto.
– Terceiro quadrimestre: set./dez. - limite para publicar a edição 31 dezembro.

Os dizeres acima dizem respeito somente à data de publicação da edição e não ao envio de artigos.

O recebimento de artigos caracteriza-se por fluxo contínuo sem que seja possível prever a data de sua publicação.

________________________________________________________________________________________________________________________

A Revista Debates em Educação foi contemplada com o Edital Fapeal Nº 5/2016 Apoio à Editoração e Publicação de Periódicos Científicos e com o Edital Fapeal Nº 9/2018 Apoio à Editoração e Publicação de Periódicos Científicos.

________________________________________________________________________________________________________________________

A Revista Debates em Educação está indexada nas seguintes bases científicas.

 

. Open Journal Systems (OJS);

. Portal de Periódicos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES);

. Sistema Regional de Información en Línea para Revistas Científicas de América Latina, el Caribe, España y Portugal (Latindex);

. Citas Latinoamericanas en Ciencias Sociales y Humanidades (CLASE);

. Diretório de Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras (Diadorim);

. Directory of Open Access Journals (DOAJ);

Indice de Revistas de Educación Superior e Investigación Educativa (IRESIE);

European Reference Index for the Humanities (ERIH);

. Google Scholar;

. Clasificación Integrada de Revistas Científicas (CIRC);

. Periódicos de livre acesso (LivRe);

. Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Cientifico (REDIB);

. Sumários de Revistas Brasileiras (Sumários.org);

. Journals for Free (J4F);

. Information Matrix for the Analysis of Journals (MIAR);

. Directory of Research Journals Indexing (DRJI);

. Elektronische Zeitschriftenbibliothek (EZB);

. Bielefeld Academic Search Engine (BASE);

. World Catalog (WorldCat);

Finna | Satakunta University of Applied Sciences Library;

. CiteFactor;

International Institute of Organized Research (I2OR).

 

                 

_________________________________________________________________________________________________________________________

Licença Creative Commons

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.