O GÊNERO TEXTUAL CARTA ABERTA EM LIVRO DIDÁTICO DE PORTUGUÊS DO 9° ANO

A SEQUÊNCIA DIDÁTICA E A PROPOSTA DE PRODUÇÃO ESCRITA

Autores

  • Lucas Henrique de Omena Universidade Federal de Alagoas
  • Dafhine Alves Silva Santos
  • Fabiana Pincho de Oliveira

Palavras-chave:

Carta Aberta, Gêneros Discursivos, Produção Textual, Sequência Didática, Sociointeracionismo

Resumo

O presente trabalho discute e investiga o ensino de Língua Portuguesa por meio de gêneros discursivos e de possíveis influências normativas decorrentes da gramática tradicional, dando continuidade a um viés estruturalista e descontextualizado da produção de textos. Para tanto, é realizada a análise de um capítulo sobre o gênero Carta Aberta em um livro didático de Língua Portuguesa para estudantes do 9° ano do ensino Fundamental II, discutindo sobre as propostas de produção escrita dentro de uma Sequência Didática (SD). Os teóricos mobilizados para esse estudo, além das orientações da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), são Antunes (2003), Araújo (2013), Garcia (2010) e Pasquier e Dolz (1996). As reflexões advindas da análise sugerem pequenos movimentos em direção a uma produção textual socialmente contextualizada e preocupada com demandas sociais da comunidade local. No entanto, no que concerne à sequência didática, percebe-se uma saturação devido ao número de outros gêneros trabalhados no capítulo analisado. Além disso, o material didático dá pouca atenção para o trabalho em torno das possíveis inadequações gramaticais e coesivas no contexto da produção da Carta Aberta. Entende-se que cabe ao professor ou à professora analisar os percursos dessa SD, a fim de melhor adequar o conteúdo às necessidades dos alunos e alunas e às limitações de tempo na sala de aula.

Referências

ANTUNES, Irandé. Capítulo 2: Assumindo a dimensão interacional da linguagem. In:________. Aulas de Português. Parábola Editorial. 2003. p. 39 – 66.

ARAÚJO, Denise Lino de. O que é (e como faz) sequência didática?. Entrepalavras, Fortaleza - ano 3, v.3, n.1, p. 322-334, jan/jul 2013.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular. 2ª versão. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Diretoria de Currículos e Educação Integral. Brasília: MEC, SEB, DICEI, 2016.

GARCIA, Ana Luiza Marcondes. Produção de textos na escola: perspectivas teórico-metodológicas, tendências e desafios. Encontro leitura e produção de textos na escola, CENPEC: São Paulo, dezembro de 2010.

ORMUNDO, Wilton; SINISCALCHI, Cristiane. Capítulo 2 – Carta Aberta: O Coletivo em Primeiro Plano. In: _______. Se liga na língua: leitura, produção de texto e linguagem. Moderna. 1ª Edição. São Paulo, 2018. p. 48 – 83.

PASQUIER, Auguste; DOLZ, Joaquim. Um decálogo para ensinar a escrever. 2ª ed. Cultura e Educação, 1996. p. 31-41.

Downloads

Publicado

30/05/2022

Como Citar

OMENA, L. H. de; ALVES SILVA SANTOS, D. .; PINCHO DE OLIVEIRA, F. O GÊNERO TEXTUAL CARTA ABERTA EM LIVRO DIDÁTICO DE PORTUGUÊS DO 9° ANO: A SEQUÊNCIA DIDÁTICA E A PROPOSTA DE PRODUÇÃO ESCRITA. Revista Areia, [S. l.], v. 5, n. 6, p. 41–56, 2022. Disponível em: https://seer.ufal.br/index.php/rea/article/view/13332. Acesso em: 11 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)