HÁBITO CULTURAL DE VISITAR MUSEUS: ESTUDO DE PÚBLICO SOBRE O MUSEU DO HOMEM DO NORDESTE, BRASIL

Autores

  • Luciana Ferreira da Costa Universidade Federal da Paraíba, Brasil
  • João Carlos Pires Brigola Universidade de Évora

Palavras-chave:

Museu. Público visitante. Estudo de público. Museu do Homem do Nordeste. Museologia. Ciência da Informação. Turismo Acadêmico.

Resumo

A relação museu e público visitante é recorrente em investigações das áreas da Museologia e da Ciência da Informação, sendo na primeira sob a denominação de estudo de público e na última ancorada pelos estudos de usuários. Desta forma, a pesquisa em relato tem como objetivo analisar o hábito cultural de visitar museus e a percepção do público/visitante, no caso estudantes do Curso de Graduação em Biblioteconomia da Universidade Federal da Paraíba, sobre o Museu do Homem do Nordeste. Para tanto, a partir da compreensão de Turismo Acadêmico, apresenta enquadramento teórico sobre definição, importância e funções dos espaços museais; iniciativas e diagnósticos de estudos de público; relação dos estudos de público da área da Museologia e os estudos de usuários da área da Ciência da Informação. Utiliza como instrumento de coleta de dados questionários elaborados mediante o aplicativo Google docs. Como principais resultados, constata que o grupo investigado frequenta raramente os espaços museais, apontando majoritariamente, o desconhecimento dos museus da cidade em que vivem, seguido da falta de interesse, falta de tempo e dificuldade de acesso aos espaços museais. Conclui que o hábito cultural de visitar museus precisa e deve ser fomentado na formação dos estudantes, considerando a raiz cultural e epistemológica que une a Museologia e a Biblioteconomia, com possibilidade de enriquecimento teórico-prático na utilização do Turismo Acadêmico como estratégia didático-metodológica na formação destas áreas.

Biografia do Autor

Luciana Ferreira da Costa, Universidade Federal da Paraíba, Brasil

Doutoranda em História e Filosofia da Ciência pela Universidade de Évora, Portugal; Mestre em Ciência da Informação e Bacharela em Biblioteconomia pela Universidade Federal da Paraíba, Brasil. Professora Assistente do Departamento de Ciência da Informação da Universidade Federal da Paraíba.

João Carlos Pires Brigola, Universidade de Évora

Doutor em História com Agregação em História da Museologia pela Universidade de Évora, Portugal. Professor da Universidade de Évora, Portugal.

Downloads

Publicado

18/10/2014