Viagens “independentes” de longa duração: política, economia e cultivo da mobilidade

Autores

  • Igor Monteiro Silva Universidade Federal do Ceará - UFC

Palavras-chave:

Backpackers, viagens, turismo, política da mobilidade, economia da mobilidade

Resumo

As viagens “independentes” de longa duração são caracterizadas, por seus praticantes, a partir da distinção frente às “práticas turísticas institucionalizadas”. Enquanto os primeiros buscam uma experiência de deslocamento mais alargada em termos espaciais e temporais, priorizando o contato íntimo com as comunidades visitadas e demais viajantes, os turistas – segundo os termos desse segmento conhecido popularmente como mochileiro ou backpacker – resignam-se ao abrigo de um tipo de “bolha ambiental”, não prescindindo em suas viagens das mediações de agências e guias. A presente comunicação objetiva, justamente, explorar este universo de práticas e sentidos construído pelos sujeitos das viagens “independentes”, procurando compreender, mais detidamente, a relação estabelecida entre estes viajantes e suas comunidades de origem.

 

Biografia do Autor

Igor Monteiro Silva, Universidade Federal do Ceará - UFC

Bolsista de Pós-doutorado (FUNCAP), desenvolvendo pesquisa nas áreas da sociologia urbana e do turismo no Departamento de Ciências Sociais da Universidade Federal do Ceará (UFC). Doutorado em Sociologia pelo Programa de Pós-Graduação em Sociologia da Universidade Federal do Ceará. Pesquisador do Laboratório de Estudos da Oralidade (LEO-UFC) e do Laboratório de Estudos e Pesquisas em Política e Cultura (LEPEC-UFC), ambos situados no Departamento de Ciências Sociais da citada instituição.

Downloads

Publicado

01/08/2016

Edição

Seção

Artigos