A cooperação no desenvolvimento de destinos turísticos: importância como política pública e como instrumento propulsor na comercialização de produtos turísticos locais.

Eduardo Jorge Costa Mielke, Jorge Antonio Santos Silva

Resumo


Desde 2003, os planos nacionais de turismo pouco alteraram a direção sobre a importância dos processos endógenos de comercialização de produtos turísticos nos destinos brasileiros, por meio da cooperação. A responsabilidade compartilhada parte, em tese, do envolvimento dos atores sociais e agentes econômicos que efetivamente geram emprego e renda localmente. Com método exploratório, o presente artigo analisa e discute o turismo, fenômeno social e atividade econômica, como constituído por uma complexa cadeia de valor, abordando a relação entre cooperação, comercialização e desenvolvimento de destinos turísticos. A demanda por processos endógenos que sejam efetivamente reconhecidos e fomentados como parte central da política pública, deve corresponder a uma agenda mais inclusiva a fim de que o turismo no Brasil possa avançar de forma sustentada e responsável.


Palavras-chave


Cooperação, destinos, comercialização, política pública.

Texto completo:

PDF



Locations of visitors to this page

Revista Iberoamericana de Turismo - RITUR Penedo, Alagoas, Brasil. ISSN: 2236-6040.


Licença Creative Commons
Os originais publicados na Revista Iberoamericana de Turismo estão disponibilizados de acordo com uma Licença Creative Commons 3.0 Brasil (obrigatoriedade de atribuição de créditos/vedado uso comercial/vedada criação de obras derivadas/permitida citação referenciada).