Das muitas formas do silêncio: 23 de junho de 1958 e as narrativas de um acidente

Autores

  • Waleska Rodrigues de Matos Oliveira Martins Universidade Federal do Recôncavo da Bahia
  • Auriluci Carvalho de Souza Alves Discente do Programa de Especialização em Educação da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia

DOI:

https://doi.org/10.28998/2317-9945.2020v0n66p66-84

Palavras-chave:

Santo Amaro, Memória, Análise de discurso, Silenciamento

Resumo

A linguagem, em uma de suas faces, sempre foi compreendida como um instrumento socializador da memória e das experiências. É com base nessa proposição que se elegerá a linguagem para refletir sobre a memória e as formas que o silêncio dá ao discurso sobre a explosão ocorrida no Mercado do Bembé, em Santo Amaro da Purificação, Bahia, no ano de 1958. Para o desenvolvimento desse artigo, analisamos os discursos de fragmentos de textos que foram produzidos na época. Nosso objetivo principal foi, à luz de uma proposta interdisciplinar, discutir como essas narrativas produziram uma Memória como resistência ao silenciamento e como as formas do silêncio discursivo atravessaram as narrativas desse acidente. A análise, cuja metodologia se serve de uma perspectiva retórico-discursiva, possibilitou elucidar alguns elementos que são pistas para a compreensão do silenciamento do fato que durou 50 anos (1958-2008).

Biografia do Autor

Waleska Rodrigues de Matos Oliveira Martins, Universidade Federal do Recôncavo da Bahia

Mestre em Estudo de Linguagens e doutora em Estudos Literários. Docente do Centro de Cultura, Linguagens e Tecnologias Aplicadas da UFRB, na área de Literatura e cultura.

Auriluci Carvalho de Souza Alves, Discente do Programa de Especialização em Educação da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia

Graduação em Pedagogia, com especialização em Cidadania e ambientes culturais, também da UFRB.

Downloads

Publicado

12/12/2020

Como Citar

RODRIGUES DE MATOS OLIVEIRA MARTINS, W.; CARVALHO DE SOUZA ALVES, A. Das muitas formas do silêncio: 23 de junho de 1958 e as narrativas de um acidente. Leitura, [S. l.], n. 66, p. 66–84, 2020. DOI: 10.28998/2317-9945.2020v0n66p66-84. Disponível em: https://seer.ufal.br/index.php/revistaleitura/article/view/9788. Acesso em: 5 jul. 2022.

Edição

Seção

Estudos Linguísticos