A defesa da escola pública e gratuita a partir da concepção de homem e história do Materialismo Histórico e Dialético

Susimeire Vivien Rosotti de Andrade, Patrícia Sandalo Pereira, Anemari Roesler Luersen Vieira Lopes

Resumo


Este artigo, derivado de um estudo teórico de uma tese em andamento, apresenta uma pesquisa bibliográfica visando a compreensão da contribuição da concepção do homem e história fundamentada no Materialismo Histórico-Dialético (MHD) na luta em defesa da escola pública e gratuita. O MHD foi elaborado por Karl Marx (1818-1883) e Friedrich Engels (1820-1895), e criou meios para analisar cientificamente o funcionamento das sociedades e da história. Nele constata-se que o homem, como ser histórico, social e político, a partir do trabalho, transcendeu a natureza e, como consequência, acabou modificando a sua própria. Nessa perspectiva, a história da humanidade é a história da luta de classes e a escola pública e gratuita considera a educação como apropriação cultural, legitimando sua compreensão de que os seres humanos são o concreto e que, além de viver a história, também a criam, consequentemente, não é possível aceitar o determinismo da natureza humana que visa tornar pessoas meros objetos para melhor explorá-las.


Palavras-chave


Materialismo Histórico-Dialético. Escola. História. Homem.

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, G. L. O Trabalho Didático na Escola Moderna: Formas Históricas. Campinas: Autores Associados, 2005.

BOTTO, C. Na Revolução Francesa, os Princípios Democráticos da Escola Pública, Laica e Gratuita: o Relatório de Concorcet. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/es/v24n84/a02v2484.pdf > Acesso em: 10 dez. 2017.

CHAUI, M. Convite à filosofia. São Paulo: Ática, 1997.

FORD, H. Minha vida e minha obra. Rio de Janeiro: Freitas Bastos S.A, 1964.

LEONTIEV, A.N. O desenvolvimento do psiquismo. Lisboa: Livros Horizonte, 1978.

KRAPÍVINE, V. Que é o Materialismo Dialético? Moscovo: Edições Progresso, 1986.

KONDER, L. Marx e a Sociologia da Educação. In: TURA, M. de L. R. (Org). Sociologia para Educadores. 4 ed. Rio de Janeiro: Quartet, 2006.

KONDER, L. O que é Dialética. 2 ed. São Paulo: Ed. Brasiliense, 1981.

MARX, K.; ENGELS, F. Manifesto do Partido Comunista. São Paulo: Escala, 2009.

MARX, K.; ENGELS, F. A ideologia Alemã: Feuerbach — a oposição entre as cosmovisões materialista e idealista. São Paulo: Martin Claret, 2010.

MARX, K.; ENGELS, F. A ideologia alemã: crítica da mais recente filosofia alemã em seus representantes Feuerbach, B. Bauer e Stirner, e do socialismo alemão em seus diferentes profetas (1845-1846). São Paulo: Boitempo, 2007.

MARX, K. Contribuição à crítica da economia política. Tradução e introdução de Florestan Fernandes. 2. ed. São Paulo: Expressão Popular, 2008.

MARX, K. Trabalho assalariado e capital. 1970. Disponível em: http://forumeja.org.br/sites/forumeja.org.br/files/3._Marx_Trabalho_Assalariado_e_Capital.pdf. Acesso em: 7 fev. 2018.

MARX, K. O capital. Crítica da economia política. Livro I. O processo de produção do capital. Trad. Rubens Enderle. 2 ed. São Paulo: Boitempo, 2017.

NETTO, J. P. Introdução ao estudo do método de Marx. São Paulo: Expressão Popular, 2011.

PARO, V. H. Administração escolar: introdução crítica. 17. ed. São Paulo: Cortez, 2012.

PARO, V. H. Educação como exercício do poder: crítica ao senso comum em educação. 3 ed. São Paulo: Cortez, 2014.

TAYLOR. F. W. Princípios da administração científica.7 ed. São Paulo: Atlas, 1970.




DOI: https://doi.org/10.28998/2175-6600.2020v12n27p94-104

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

_________________________________________________________________________________________________________________________

CONTATO:

E-mail: debatesemeducacao@gmail.com

Universidade Federal de Alagoas – UFAL
Centro de Educação – CEDU
Programa de Pós-graduação em Educação – PPGE
Campus A. C. Simões
Av. Lourival Melo Mota, s/n - Tabuleiro do Martins
57072-900 - Maceió - AL, Brasil.
Telefone: +55 82 3214 1196
Link: http://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/

ISSN ELETRÔNICO: 2175-6600

DOI (Digital Object Identifier - Identificador de Objeto Digital)

Em 14 de dezembro de 2017, a Revista Debates em Educação passou a atribuir o DOI às suas publicações, padrão para identificação de documentos em redes digitais. 

Prefixo: 10.28998/2175-6600

QUALIS/CAPES (2013 - 2016):

– Ensino B1
– Interdisciplinar B4
– Letras / Linguística B4
– Psicologia B4
– Comunicação e Informação B4
– Sociologia B4
– Educação B5

PERIODICIDADE – QUADRIMESTRAL

De 2009 a 2016, a periodicidade da Revista Debates em Educação era semestral. A partir de 2017, a revista se tornou quadrimestral, de acordo com as datas abaixo:

– Primeiro quadrimestre: jan./abr. - limite para publicar a edição 30 abril.
– Segundo quadrimestre: maio/ago. - limite para publicar a edição 31 agosto.
– Terceiro quadrimestre: set./dez. - limite para publicar a edição 31 dezembro.

Os dizeres acima dizem respeito somente à data de publicação da edição e não ao envio de artigos.

O recebimento de artigos caracteriza-se por fluxo contínuo sem que seja possível prever a data de sua publicação.

________________________________________________________________________________________________________________________

A Revista Debates em Educação foi contemplada com o Edital Fapeal Nº 5/2016 Apoio à Editoração e Publicação de Periódicos Científicos e com o Edital Fapeal Nº 9/2018 Apoio à Editoração e Publicação de Periódicos Científicos.

________________________________________________________________________________________________________________________

A Revista Debates em Educação está indexada nas seguintes bases científicas.

 

. Open Journal Systems (OJS);

. Portal de Periódicos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES);

. Sistema Regional de Información en Línea para Revistas Científicas de América Latina, el Caribe, España y Portugal (Latindex);

. Citas Latinoamericanas en Ciencias Sociales y Humanidades (CLASE);

. Diretório de Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras (Diadorim);

. Directory of Open Access Journals (DOAJ);

Indice de Revistas de Educación Superior e Investigación Educativa (IRESIE);

European Reference Index for the Humanities (ERIH);

. Google Scholar;

. Clasificación Integrada de Revistas Científicas (CIRC);

. Periódicos de livre acesso (LivRe);

. Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Cientifico (REDIB);

. Sumários de Revistas Brasileiras (Sumários.org);

. Journals for Free (J4F);

. Information Matrix for the Analysis of Journals (MIAR);

. Directory of Research Journals Indexing (DRJI);

. Elektronische Zeitschriftenbibliothek (EZB);

. Bielefeld Academic Search Engine (BASE);

. World Catalog (WorldCat);

Finna | Satakunta University of Applied Sciences Library;

. CiteFactor;

International Institute of Organized Research (I2OR).

 

                 

_________________________________________________________________________________________________________________________

Licença Creative Commons

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.