A docência e a formação do estudante em produções científicas que tematizam a pesquisa como princípio educativo

Autores

  • Laís Basso Instituto Federal Sul-Rio-Grandense
  • Marcus Eduardo Maciel Ribeiro Instituto Federal Sul-Rio-Grandense
  • Nei Jairo Fonseca dos Santos Júnior Instituto Federal Sul-Rio-Grandense

DOI:

https://doi.org/10.28998/2175-6600.2021v13nEsp2p87-102

Palavras-chave:

Análise Textual Discursiva, Educar pela Pesquisa, Formação de Professores, Pesquisa como Princípio Educativo

Resumo

Este artigo apresenta uma investigação sobre a pesquisa como princípio educativo em artigos publicados em periódicos. Observa-se, com atenção, as relações desse princípio com a docência e com a formação do estudante. Para tanto, buscou-se construir respostas para a questão: que horizontes teóricos e práticos constituem a fundamentação sobre a pesquisa como princípio educativo em artigos publicados no Portal de Periódicos da Capes nos anos 2010 a 2020? Para esse exercício, foi realizada uma busca com o descritor “pesquisa como princípio educativo”, no período e portal informados. Como resultado, obteve-se um conjunto de 22 artigos, que foram tratados qualitativamente pela Análise Textual Discursiva, a fim de perceber os elementos teóricos que constituem as seguintes categorias emergentes do processo analítico: “A docência na perspectiva da pesquisa como princípio educativo” e “Formação do estudante na perspectiva da pesquisa como princípio educativo”. Conclui-se que docente e estudante, precisam do exercício da pesquisa para bem conduzir um ensino competente e para ter um aprendizado significativo. Nessa reciprocidade, a pesquisa assume uma função essencialmente pedagógica, em que a docência e a aprendizagem fundamentam uma postura investigativa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Laís Basso , Instituto Federal Sul-Rio-Grandense

Possui graduação em Química Licenciatura (2009), mestrado (2012) e doutorado (2016) em Educação nas Ciências pela Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (UNIJUÍ), com sanduiche na Universidad Autónoma de Madrid, e Licenciatura em Pedagogia (2021). Atuou como professora do ensino superior e da educação básica na área de Química e Ciências; integrou o Núcleo de Apoio Pedagógico da Universidade Federal de Santa Maria - FW (UFSM); a equipe da Pró-reitoria de Ensino do Instituto Federal do Rio Grande do Sul (IFRS); atuou como Técnica em Assuntos Educacionais e como professora colaboradora na Especialização em Educação pela Pesquisa, no Instituto Federal Sul-rio-grandense (IFSul). Atualmente, trabalha no Núcleo de Processos Seletivos na Pró-reitoria de Ensino da Universidade Federal de Pelotas (UFPel). Desenvolve pesquisa na área de Educação, com ênfase na perspectiva histórico-cultural, nos seguintes temas: qualidade da educação escolar, currículo, avaliação e formação de professores.

 

http://lattes.cnpq.br/5156989271056790

Marcus Eduardo Maciel Ribeiro, Instituto Federal Sul-Rio-Grandense

Doutor em Educação em Ciências e Matemática, graduado em Ciências, em Química (Bacharelado e Licenciatura), todas pela PUCRS. É presidente da Sociedade Brasileira de Ensino de Química - SBEnQ. Atualmente é professor de Química e Diretor Geral do câmpus Novo Hamburgo do Instituto Federal Sul-rio-grandense - IFSul. Professor permanente no Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências Exatas (PPGECE) na Universidade Federal do Rio Grande ? FURG, no qual atua com orientação de mestrandos e do Programa de Pós-graduação em Química (PPGQ) na UFPel, no qual orienta em nível de doutorado e no Programa de Pós-graduação em Educação em Ciências (PPGEC) na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Coordenou os 35º e 38º EDEQ - Encontro de Debates sobre o Ensino de Química (2015 e 2018) e 17° Simpósio Brasileiro de Educação Química (2019). Tem experiência na área de Ensino de Química desde 1987, no Ensino Médio. Avaliador das coleções de Química no PNLD. Pesquisa nas linhas do Ensino pela Pesquisa, PIBID, políticas públicas de Educação e Formação de Professores por meio de Comunidades de Prática e Análise Textual Discursiva. Desenvolve projetos de pesquisa na formação de professores e ensino de Ciências e Química.

 

http://lattes.cnpq.br/5628561909586804

Nei Jairo Fonseca dos Santos Júnior, Instituto Federal Sul-Rio-Grandense

Possui Licenciatura em Filosofia pela Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul - UNIJUÍ (2005). Atuou na avaliação do Projeto Escola Aberta para a Cidadania do Estado do Rio Grande do Sul/PEAC, promovido pela UNESCO (2005). Lecionou, no ensino fundamental e médio, no Centro de Educação Básica Francisco de Assis - EFA/UNIJUÍ (2005). Possui mestrado em Filosofia, pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos - UNISINOS (2008). No ano de 2009 lecionou no ensino fundamental pela Secretaria de Educação do Município de Porto Alegre. Trabalhou como professor substituto de Ética, Filosofia, Relações Humanas, Sociologia e Extensão Rural no Instituto Federal Farroupilha - IFFar Campus Alegrete. Trabalhou como professor do ensino superior na Universidade Regional do Alto Uruguai e Missões/URI, em Cerro Largo, nos anos de 2010 e 2011. Possui doutoramento pelo Programa de Pós-Graduação em Educação, na linha de Pesquisa: Filosofia e História da Educação, pela Universidade Federal de Pelotas - UFPel (2017) e Especialização em Ensino de Filosofia pela mesma instituição (2019). Desde 2011, atua como professor efetivo de filosofia no Instituto Federal Sul-Rio-Grandense (IFSul). Em 2020, credenciou-se ao Programa de Pós-Graduação em Educação Profissional e Tecnológica, ProfEPT IFSul. Coordenou o Núcleo de Gênero e Diversidade (NUGED), de 2017 a 2021, e coordena o Núcleo de Estudos Afro-brasileiros e Indígenas (Neabi), desde 2017, do Câmpus Avançado Novo Hamburgo. Desenvolve pesquisa na área de Filosofia e Educação, com ênfase na filosofia política contemporânea, nos seguintes temas: Gênero, Ética, Educação Profissional e Tecnológica e gestão da educação.

 

http://lattes.cnpq.br/8201130764970264

Referências

ARAÚJO, Wêdma Moreira de; FERREIRA, Lúcia Gracia. A pesquisa como princípio educativo: um estudo na formação inicial em pedagogia no município de Itapetinga (BA). Cadernos CIMEAC, v. 9, n. 2, p. 260-283, 2019.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais da Educação Básica. Diretoria de Currículos e Educação Integral. Brasília: MEC, SEB, DICEI, 2013.

CAETANO. Maria Raquel; MAGANELI, Marineiva Teresinha de Melo. A pesquisa como princípio educativo no Ensino Médio Integrado à Educação Profissional: uma experiência pedagógica no IFSul. Revista Insignare Scientia, v. 3, n. 3, p. 174-189, 2020.

CAVALCANTE, Ilane F.; HENRIQUE, Ana L. S. A experiência da pesquisa na formação docente: unindo teoria à prática. RBEPT, v. 1, n. 12, p. 16-35, 2017.

DELIZOICOV, Demetrio. Problemas e Problematizações. In: PIETROCOLA, Mauricio. (org.). Ensino de Física? Conteúdo, metodologia e epistemologia numa concepção integradora. Florianópolis: Ed. da UFSC, 2002. p. 125-150.

DEMO, Pedro. Pesquisa: princípio científico e educativo. 12. Ed. São Paulo: Cortez, 2006.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia. São Paulo: Cortez, 1996.

GADOTTI, Moacir. Perspectivas Atuais da Educação. São Paulo em Perspectiva, v. 14, n. 2, p. 3-11. 2000.

GALIAZZI, Maria do Carmo. Educar pela pesquisa: espaço de transformação e avanço na formação inicial de professores de Ciências. 336 f. 2000. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, 2000.

GALIAZZI, Maria do Carmo. O professor na sala de aula com pesquisa. In: MORAES, Roque; LIMA, Valderez Marina do R. (Orgs). Pesquisa em sala de aula: tendências para a educação em novos tempos. 2. ed. Porto Alegre: Edipucrs, 2004. p. 293-316.

GALIAZZI, Maria do Carmo. Educar pela pesquisa: ambiente de formação de professores de Ciências. Ijuí: Editora Unijuí, 2011.

GIL, Antônio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo. Atlas. 1991.

HATTGE, Morgana Domênica. et al. A pesquisa movimentando o currículo: as potências do professor pesquisador. Interfaces da Educação, Paranaíba, v. 6, n. 18, p. 178-196, 2015.

IDELBRANDO, Amália Galvão. Representações de professores e gestores de uma escola que se diz pesquisadora. Revista Latinoamericana de Ciencias Sociales, Niñez y Juventud, v. 17, n. 2, p. 1-23, jul./dez. 2019.

JÚNIOR, Claudio Roberto. Saberes docentes e culturas escolares na pesquisa como princípio educativo da Educação de Jovens e Adultos de Florianópolis (SC). Cadernos Cajuína, v. 3, n. 1, p. 115-127. 2018.

KOEPPE, Cleise Helen Botelho; RIBEIRO, Marcus Eduardo Maciel; CALABRÓ, Luciana. Por um Ensino investigativo: concepções docentes acerca da pesquisa como atitude e como estratégia pedagógica. Revista Insignare Scientia. v. 3, n. 3, p. 64-84, 2020.

KUHN, Martin; ZILLI, Gilvane Teresinha Savariz. Redesenho curricular: áreas do conhecimento e componentes curriculares. Rev. Fac. Educ., v. 23, ano 13, n.1, p. 99-114, jan./ jun. 2015.

LIMA, Aldinete Silvino de; LIMA, Iranete Maria da Silva; OLIVEIRA, Hélia Margarida. Diversidade, investigação e emancipação humana como princípios da formação de professores de Matemática em cursos de licenciatura em Educação do Campo. Educ. Matem. Pesq., São Paulo, v. 22, n. 1, p. 731-752, 2020.

MERTINS, Simone; GALLE, Lorita Aparecida Veloso; SILVA, Carla Melo da. Pesquisa como princípio educativo: contribuições das perguntas dos estudantes para a aprendizagem de Química. Revista Insignare Scientia. v. 3, n. 3, p. 190-207, 2020.

MORAES, Roque; GALIAZZI, Maria do Carmo. Análise Textual Discursiva. Ijuí: Editora UNIJUÍ, 2007.

NEVES, Carmen Moreira de Castro. A Capes e a formação de professores para a educação básica. Revista Brasileira de Pós-graduação, Brasília, supl. 2, v. 8, p. 353 - 373, mar. 2012.

OLIGURSKI, liana Maria; PACHANE, Graziela Giusti. A possibilidade de incorporar a pesquisa na prática cotidiana do professor do ensino fundamental. Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 26, n. 2, p.249-276, ago. 2010.

PACHECO, Eliezer. (Org.). Perspectivas da educação profissional técnica de nível médio: Proposta de Diretrizes Curriculares Nacionais. Secretaria de educação Profissional e tecnológica do ministério da educação – SETEC/MEC. Brasília: Editora Moderna, 2012.

PEIXOTO, Cintia Terezinha Barbosa; LARA, Isabel Cristina Machado de. A Pesquisa como Possibilidade para Significar Conceitos Matemáticos Abordados em Cálculo Numérico. Educ. Matem. Pesq., São Paulo, v. 22, n. 2, p. 55-80, 2020.

PEREIRA, Ulisséia Ávila; FRANÇA, Magna. Novas diretrizes educacionais e novos projetos pedagógicos – (ETFRN E CEFET-RN): entre o pensar e o fazer. HOLOS, ano 31, v. 6, p. 328-337, 2015.

PEREIRA, Ulisséia Ávila et al. A orientação educacional no Cefet-RN frente às políticas de educação profissional e de ensino médio no Brasil (1995-2005). HOLOS, ano 30, v. 5, p. 12-21, 2014.

RAMOS, Maurivan Güntzel. Educar para a pesquisa é educar para a argumentação. In: MORAES, Roque; LIMA, Valderez Marina do R. (orgs) Pesquisa em sala de aula: tendências para a educação em novos tempos. 2. ed. Porto Alegre: Edipucrs, 2004. p. 25-49.

RANZOI, Naira Lisboa; OLIVEIRA, Maria Clarice de. Ensino, pesquisa e desenvolvimento local na formação de trabalhadores. Trabalho & Educação, Belo Horizonte, v. 22, n. 3, p.183-195, set./dez. 2013.

RIBEIRO, Marcus Eduardo Maciel. A proposta do ensino pela pesquisa em um instituto federal de educação, ciência e tecnologia. Debates em Educação. v. 11, n. 24, p. 383-401, mai/ago. 2019.

ROTHEN, José Carlos; BERNARDES, Joelma dos Santos; BORGES, Regilson Maciel; GRIBOSKI, Claudia Maffini. Cursos de graduação no Sinaes: a prática institucional entre parâmetros nacionais e internacionais de avaliação e acreditação da qualidade. Acta Scientiarum, v. 40, n. 4, p. 1-14, 2018.

SALCEDO, Diego; CRUZ, Marcílio Bezerra. Biblioteconomia, ciência e filosofia: um debate necessário sobre teoria e prática no campo acadêmico-científico. Inf. & Soc.: Est., João Pessoa, v. 27, n. 1, p. 47-58, jan./abr.

SANTIAGO, Anna Rosa Fontella. O Ensino de História da Educação na UNIJUÍ. História da Educação, ASPHE/FaE/UFPel, n. 19, p. 243-251, abr. 2006.

SANTOS, Fábio Alexandre Araújo et al. Práticas pedagógicas integradoras no ensino médio integrado. HOLOS, ano 34, v.. 6, p. 185-199, 2018.

SEVERINO, Antônio Joaquim. Docência universitária: a pesquisa como princípio pedagógico. Revista @mbienteeducação, São Paulo, v. 2, n.1, p. 120-128, jan./jul. 2009.

SEVERINO, Antônio Joaquim. Metodologia do trabalho científico. São Paulo: Cortez, 2013.

SILVA, Iris Gabrielle de Sena Santos; LEÃO, Marcelo Brito Carneiro; SOUZA, Francislê Neri de. Plataforma FlexQuest®: Uma estratégia didática para a promoção de flexibilidade cognitiva e interdisciplinaridade com recursos Web 2.0. Revista Ibérica de Sistemas e Tecnologias de Informação - RISTI, n. e4, p. 35-49, set./2015.

VIEIRA, Marilandi Maria Mascarello;VIEIRA, Josimar de Aparecido. Produção de conhecimentos na educação profissional. HOLOS, ano 30, v. 2, p.. 24-36, 2004.

VIGOTSKI, Lev Semenovich. A construção do pensamento e da linguagem. Tradução de Paulo Bezerra. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

WELLS, Gordon. Indagación dialógica: hacia una teoria y una práctica socioculturales de la educación. Barcelona: Paidós, 2001.

Downloads

Publicado

2021-11-30

Como Citar

BASSO , Laís; RIBEIRO, Marcus Eduardo Maciel; SANTOS JÚNIOR, Nei Jairo Fonseca dos. A docência e a formação do estudante em produções científicas que tematizam a pesquisa como princípio educativo. Debates em Educação, [S. l.], v. 13, n. Esp2, p. 87–102, 2021. DOI: 10.28998/2175-6600.2021v13nEsp2p87-102. Disponível em: https://seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/13047. Acesso em: 13 jul. 2024.

Edição

Seção

Dossiê: Formação Docente em Química: foco e intersecções para ampliar o entendim

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.