BNCC para a educação infantil e a urgência de resistências

Autores

  • Solange Estanislau dos Santos IFSP - Caraguatatuba
  • Elina Elias de Macedo Universidade Federal de São Carlos - Sorocaba

DOI:

https://doi.org/10.28998/2175-6600.2021v13n33p1-14

Palavras-chave:

Crianças pequenas, Currículo, Emancipação

Resumo

Este ensaio teórico tem como objetivo problematizar a ideia de uma Base Nacional Comum Curricular (BNCC) para a educação infantil e a paradoxal proposta universal e homogeneizadora que visa a “construção de uma sociedade justa, democrática e inclusiva”. Ao longo do texto problematizamos as palavras/conceitos que compõem esse documento, dissecando criticamente o que pretensamente denominam de BASE – NACIONAL - COMUM – CURRICULAR. Apontamos para as armadilhas de um currículo universal e a relevância de análises interseccionais que considerem os marcadores de diferenças como etnia, idade, gênero e classe social. Em seguida, abordamos alguns aspectos das políticas públicas neoliberais que defendem iniciativas privatistas e competitivas e colocam a educação como mercadoria e alvo de empresários. Finalizamos indicando elementos de uma Pedagogia emancipatória desde o nascimento que promova resistências e lutas pela equidade e transformação social.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ABRAMOWICZ, Anete; CRUZ, Ana Cristina J.; MORUZZI, Andrea Braga. Alguns apontamentos: a quem interessa a Base Nacional Comum Curricular para a educação infantil? Debates em Educação. Maceió, vol. 8, nº 16, p.I-VI, Jul./Dez. 2016. Disponível em: https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/2830 . Acesso em: 10/7/21.

ANJOS, Cleriston Izidro dos; SANTOS, Solange Estanislau dos. As crianças pequenas precisam de uma Base Nacional Comum Curricular? A guisa de apresentação. Debates em Educação. Maceió, vol. 8, nº 16, p.I-VI, Jul./Dez. 2016. Disponível em: https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/2830 Acesso em: 10/7/21.

ARELARO, Lisete Regina Gomes.Avaliação das políticas de educação infantil no Brasil: avanços e retrocessos. Zero-a-seis, Florianópolis, v. 19, n. 36, p.206-222, jul-dez 2017. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/zeroseis/article/view/1980-4512.2017v19n36p290/35620 Acesso em: 19/7/21.

BENJAMIN, Walter. Reflexões: a criança, o brinquedo, a educação. São Paulo: Summus. 1984 .

BARBOSA, Maria Carmen Silveira, & RITCHER, Sandra Regina Simonis. Campos de Experiência: uma possibilidade para interrogar o currículo. In: FINCO, Daniela; BARBOSA, Maria Carmen Silveira & FARIA, Ana Lucia Goulart de (Eds.). Campos de experiências na escola da infância: contribuições italianas para inventar um currículo de Educação Infantil brasileiro (p. 185-198). Campinas: Edições Leitura Crítica. 2015.

BASSOK, Daphna; LATHAM, Scott; ROREM, Anna.. Is Kindergarten the New First Grade?. AERA Open. 2. 2016.

BRASIL. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil, Brasília, DF, 2010.Disponível em: http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/diretrizescurriculares_2012.pdf

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular: educação é a base. Brasília: MEC, 2018. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf Acesso em: 25 mar. 2020.

CORREA, Bianca Cristina. De que base a educação infantil necessita? In: SILVA. Fabiany de Cássia ; XAVIER, Constantina Filha. (Orgs.) Conhecimentos em disputa na Base Nacional Comum Curricular, Campo Grande/MS, Ed. Oeste, 2019, p. 79- 88.

FARIAS, Rhaisa Naiade Pael; MÜLLER, Fernanda. A Cidade como espaço da infância. Educação & Realidade, Porto Alegre, 42(1), 261-282. 2017. Disponível em: https://www.scielo.br/j/edreal/a/6FSDtKhCPWkPPMdQzwGzSHn/?lang=pt

LARROSA, Jorge. Notas sobre a experiência e o saber de experiência. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n.19, p. 20-28, 2002. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbedu/a/Ycc5QDzZKcYVspCNspZVDxC/?lang=pt&format=pdf

GOBBI, Marcia Aparecida. Entreatos: precisamos de BNCC ou seria melhor contar com a base ? A Base Nacional Comum Curricular de Educação Infantil. Debates em Educação. Maceió, v. 8, nº 16, Jul./Dez. 2016. Disponível em: https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/2401

KULMAN, Moisés Júnior. Educação Infantil e Currículo. In: FARIA, Ana Lucia G.; PALHARES, Marina S. (org.). Educação Infantil pós-LDB: rumos e desafios. Campinas/SP: Autores associados, 1999, p.51- 65.

MACEDO, Elizabeth. Base Nacional Comum para currículos: direitos de aprendizagem e desenvolvimento para quem? Educ. Soc., Campinas, v. 36, nº. 133, p. 891-908, out.-dez., 2015.Disponível em: https://www.scielo.br/j/es/a/MxBmvSrkFgnFRrm5XsRWzgg/?format=pdf&lang=pt

MILLER, Janet. Teorização do Currículo como antídoto contra a cultura da testagem. E-curriculum, v. 12, n. 3, p. 2043-2063, dez. 2014. Disponível em: https://www.redalyc.org/pdf/766/76632904015.pdf

OLIVEIRA, Fabiana de; ABRAMOWICZ, Anete.Políticas Públicas e Direitos das Crianças: uma reflexão a partir da perspectiva étnico-racial. Zero-a-seis, Florianópolis, v. 19, n. 36, p.290-307, jul-dez 2017. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/zeroseis/article/view/1980-4512.2017v19n36p290/35620. Acesso em: 19/7/21.

QVORTRUP, Jens. Infância e Política. Cadernos de Pesquisa. São Paulo, v.40, n.141, p.777-792, set./ Dez. 2010. Disponível em: https://www.scielo.br/j/cp/a/bqRcpxVHmtt6VzH7mvP6VHb/?lang=pt . Acesso em: 10/7/21.

SANTIAGO, Flávio; FARIA, Ana Lúcia Goulart de. Currículo é responsabilidade: discussão contemporânea na Itália. Debates em Educação. Maceió, v. 8, nº 16, p.89-117,Jul./Dez. 2016. Disponível em: https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/2408. Acesso em: 19/7/21

SANTOS, Sandro Vinicius Sales dos. Walter Benjamin e a experiência infantil: contribuições para a Educação Infantil. Pro-Posições, Campinas, n.26, v.2, p. 223-239. 2015. Disponível em: https://www.scielo.br/j/pp/a/g558JZr8XPDrPMcNqTLCXFv/?format=pdf&lang=pt

TODOS PELA EDUCAÇÃO. A educação no Brasil: uma perspectiva internacional. Publicado originalmente pela OCDE em inglês sob o título: Education in Brazil: an international perspective © OECD 2021. Disponível em: https://todospelaeducacao.org.br/wordpress/wp-content/uploads/2021/06/A-Educacao-no-Brasil_uma-perspectiva-internacional.pdf

Publicado

2021-12-22

Como Citar

SANTOS, Solange Estanislau dos; MACEDO, Elina Elias de. BNCC para a educação infantil e a urgência de resistências. Debates em Educação, [S. l.], v. 13, n. 33, p. 1–14, 2021. DOI: 10.28998/2175-6600.2021v13n33p1-14. Disponível em: https://seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/12694. Acesso em: 23 jul. 2024.

Edição

Seção

Dossiê: Educação Infantil e currículo(s):culturas, docência e formação em debate

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.