A assistência estudantil no Brasil: uma avaliação na gestão da Universidade Federal do Pará.

Geraldine Fifame Dona Fadairo, Carlos André Corrêa de Mattos, Ana Margarida Santiago, Carlos André de Mattos Teixeira

Resumo


O objetivo desse estudo foi analisar a operacionalização da política de assistência estudantil na Universidade Federal do Pará. O método foi descritivo, feito na forma de levantamento, com amostragem não probabilística por tipicidade e tratamento quantitativo de dados. O universo de pesquisa foi formado por estudantes que recebiam ou já haviam recebido alguma forma de assistência estudantil, incluindo estrangeiros. Participaram da pesquisa 74 entrevistados e os dados foram tratados com estatística descritiva e técnicas multivariadas. Os resultados mostraram três fatores, denominados como Qualidade do Atendimento, Acompanhamento Institucional e Relevância da Assistência Estudantil. Os escores revelaram entrevistados satisfeitos com a gestão por parte da instituição. A análise de agrupamentos classificou os entrevistados em três grupos, com diferentes avaliações quanto à instituição, mas que convergiram quanto à necessidade da assistência estudantil. Os resultados recomendam a ampliação da assistência estudantil na instituição e o aprimoramento das técnicas de gestão

Palavras-chave


Análise multivariada. Gestão universitária. Políticas públicas. Universidades

Texto completo:

PDF

Referências


ANDIFES – Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior. PNAES é tema de seminário promovido pela Andifes, 2018. Disponível em: http://www.andifes.org.br/pnaes-e-tema-de-seminario-promovido-pela-andifes/. Acesso em: 05 jan. 2019.

ANDRADE, A. M. J.; TEIXEIRA, M. A. P. Áreas da política de assistência estudantil: relação com o desempenho acadêmico, permanência e desenvolvimento psicossocial de universitários. Avaliação (Campinas; Sorocaba), São Paulo, v. 22, n.2, p. 512-528, jul. 2017.

ARAÚJO, C. B. Z. M. A permanência de estudantes nos cursos de graduação no Brasil: uma categoria em construção. Temas em Educação, João Pessoa, v. 22, n. 2, p. 25-43, jul. / dez. 2013.

ARAÚJO; J. C. F.; LEITE, L. S. Avaliação da política de apoio ao estudante desenvolvida pela UNIRIO: o projeto bolsa permanência. Ensaios: avaliação e políticas públicas em educação, Rio de Janeiro, v. 22, n. 84, p. 777-806, jul. / set. 2014.

BARDAGI; M. P.; HUTZ, C. S. “Não havia outra saída”: percepção de alunos evadidos sobre o abandono do curso superior. Psico-USF, Itatiba, v. 14, n. 1, p. 95-105, jun. / abr. 2009.

BRASIL, Ministério da Educação. Portaria Normativa nº 39, de 12 de dezembro de 2007. Institui o Programa Nacional de Assistência Estudantil - PNAES. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/portaria_pnaes.pdf. Acesso em 22 de set. 2018.

COSTA, F. J. Mensuração e desenvolvimento de escalas. Rio de Janeiro: Ciência Moderna, 2011.

COSTA, S.L.; DIAS, S. M. B. A permanência no ensino superior e as estratégias institucionais de enfrentamento da evasão. Jornal de Políticas Educacionais, Curitiba, v. 9, n. 17 e 18, jan. / dez. 2015.

CRUZ, A. G. Desafios da inclusão no processo contemporâneo de expansão da educação superior brasileira: democratização ou massificação do acesso? Eccos, São Paulo, n. 49, p. 1-23, abr./jun. 2019.

DILLON, W. R.; GOLDSTEIN, M. Multivariate analysis: methods and applications. New York: John Wiley & Sons, 1984.

DUTRA, N. G. R.; SANTOS, M. F. S. Assistência estudantil sob múltiplos olhares: a disputa de concepções. Ensaios: avaliação e políticas públicas em educação, Rio de Janeiro, v. 25, n. 94, p. 148-191, jan. / mar. 2017.

ESTRADA, A.A.; RADAELLI, A. A política de assistência estudantil em uma universidade pública: a perspectiva estudantil. Revista Eletrônica de Política e Gestão Educacional, São Paulo, v.1, n. 16, p. 32-47, jan. / jul. 2014.

FÁVERO, L. P.; BELFIORE, P.; SILVA, F. L.; CHAN, B. L. Análise de dados: modelagem multivariada para a tomada de decisão. Rio de Janeiro: Elsevier, 2009.

FÁVERO, M. L. A. Universidade no Brasil: das origens a Reforma Universitária de 1968. Educar em Revista, Curitiba, n. 28, p. 17-36, jul. / dez. 2006.

FERRARI, M. A. L. D.; SEKKEL, M. C. Educação inclusiva: um novo desafio. Psicologia: Ciência e Profissão, Brasília, n. 27, v. 4, p. 636-647, out. /dez. 2007.

FONTOURA, J. S. D.; MOROSINI, M. C. A gestão da educação superior no contexto da educação profissional e tecnológica: os diferentes focos na pesquisa. Revista Brasileira da Educação Profissional e Tecnológica. Natal, v. 2, n. 13, p. 137-149, jul. / dez. 2017.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo, Atlas, 2014.

GIMENEZ, F. V. ; MACIEL, C. E. Bolsa permanência na UFSM: novas configurações e velhos desafios. Eccos, São Paulo, n. 47, p. 215-236, set./dez, 2018.

HAIR, J.F.; WILLIAM, B.; BABIN, B.; ANDRESON, R.E. Análise multivariada de dados. Porto Alegre: Bookman, 2009.

IMPERATORI, T. K. A trajetória da assistência estudantil na educação superior brasileira. Serviço Social & Sociedade, São Paulo, n. 129, p. 285-303, maio / ago. 2017.

LIMA, W. A. S.; DAVEL, E. Implementação de políticas públicas de assistência estudantil: estratégias organizacionais na perspectiva da efetividade. Organizações em Contexto, São Bernardo do Campo, v. 14, n. 27, p. 53 – 91, jan. / jun. 2018.

MARQUES, A. C. H.; CEPÊDA, V. A. Um perfil sobre a expansão do ensino recente no Brasil: aspectos democráticos e inclusivos. Perspectivas, São Paulo, v. 42, p. 161-192, jul. / dez, 2012.

MARTINS, G. A.; THEÓPHILO, C. R. Metodologia da investigação científica para ciências sociais aplicadas. São Paulo: Atlas, 2016.

MAXIMIANO, A.C.; NOHARA, I.R. Gestão pública: abordagem integrada da administração e do direito administrativo. São Paulo: Atlas, 2017.

NASCIMENTO, C. M.; ARCOVERDE, A. C. B. O serviço social na assistência estudantil: reflexões acerca da dimensão político-pedagógica da profissão. In: Fórum Nacional de Pró-Reitores de Assuntos Comunitários e Estudantis – Fonaprace. Revista Comemorativa 25 anos: histórias, memórias e múltiplos olhares. Uberlândia: UFU-PROEX, 2012.

OLIVEIRA, G. E.; OLIVEIRA, M. R. N. S. A permanência escolar e suas relações com a política de assistência estudantil. Revista Eletrônica de Educação, São Paulo, v. 9, n. 3, p. 198-215, ago. / dez. 2015.

REIS, L. C. R. Agentes de implementação: uma maneira de analisar políticas públicas na educação brasileira. In: GODOY, M. A. B.; POLON, S. A. M. (orgs). Políticas públicas na educação brasileira. Ponta Grossa: Atena Editora, 2017.

SEN, A. Elements of a theory of human rights. Philosophy & Public Affair, v. 32, n. 4, p. 315-429, oct. 2004.

SILVA, G.P. Análise de evasão no ensino superior: uma proposta de diagnóstico de seus determinantes. Revista Avaliação, Campinas, v. 18, n 2, p. 311-333, maio / ago. 2013.

SILVA, M. G. M.; NOGUEIRA, P. S. A permanência dos estudantes na educação superior para além da assistência estudantil. Revista da Faculdade de Educação, Cuiabá, v. 25, n. 1, p. 111-129, jan. / jun. 2016.

SILVESTRE, H, C. Gestão pública: modelos de prestação no serviço público. Lisboa: Escolar, 2010.

TRIOLA, M.F. Introdução e estatística. Rio de Janeiro: LTC, 2014.

UFPA – Universidade Federal do Pará. SAEST - Relatório Anual de Atividades 2018. Disponível em: http://saest.ufpa.br/documentos/relatorio/rel.2018.pdf. Acesso em: 30 nov. 2019.

VASCONCELOS, N. Programa Nacional de Assistência Estudantil: uma análise da assistência estudantil ao longo da história da educação superior no Brasil. Ensino em Re-vista, Uberlândia, v. 2, n. 3, p. 399 - 411, jul. / dez. 2010.




DOI: https://doi.org/10.28998/2175-6600.2020v12n27p370-387

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

_________________________________________________________________________________________________________________________

CONTATO:

E-mail: debatesemeducacao@gmail.com

Universidade Federal de Alagoas – UFAL
Centro de Educação – CEDU
Programa de Pós-graduação em Educação – PPGE
Campus A. C. Simões
Av. Lourival Melo Mota, s/n - Tabuleiro do Martins
57072-900 - Maceió - AL, Brasil.
Telefone: +55 82 3214 1196
Link: http://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/

ISSN ELETRÔNICO: 2175-6600

DOI (Digital Object Identifier - Identificador de Objeto Digital)

Em 14 de dezembro de 2017, a Revista Debates em Educação passou a atribuir o DOI às suas publicações, padrão para identificação de documentos em redes digitais. 

Prefixo: 10.28998/2175-6600

QUALIS/CAPES (2013 - 2016):

– Ensino B1
– Interdisciplinar B4
– Letras / Linguística B4
– Psicologia B4
– Comunicação e Informação B4
– Sociologia B4
– Educação B5

PERIODICIDADE – QUADRIMESTRAL

De 2009 a 2016, a periodicidade da Revista Debates em Educação era semestral. A partir de 2017, a revista se tornou quadrimestral, de acordo com as datas abaixo:

– Primeiro quadrimestre: jan./abr. - limite para publicar a edição 30 abril.
– Segundo quadrimestre: maio/ago. - limite para publicar a edição 31 agosto.
– Terceiro quadrimestre: set./dez. - limite para publicar a edição 31 dezembro.

Os dizeres acima dizem respeito somente à data de publicação da edição e não ao envio de artigos.

O recebimento de artigos caracteriza-se por fluxo contínuo sem que seja possível prever a data de sua publicação.

________________________________________________________________________________________________________________________

A Revista Debates em Educação foi contemplada com o Edital Fapeal Nº 5/2016 Apoio à Editoração e Publicação de Periódicos Científicos e com o Edital Fapeal Nº 9/2018 Apoio à Editoração e Publicação de Periódicos Científicos.

________________________________________________________________________________________________________________________

A Revista Debates em Educação está indexada nas seguintes bases científicas.

 

. Open Journal Systems (OJS);

. Portal de Periódicos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES);

. Sistema Regional de Información en Línea para Revistas Científicas de América Latina, el Caribe, España y Portugal (Latindex);

. Citas Latinoamericanas en Ciencias Sociales y Humanidades (CLASE);

. Diretório de Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras (Diadorim);

. Directory of Open Access Journals (DOAJ);

Indice de Revistas de Educación Superior e Investigación Educativa (IRESIE);

European Reference Index for the Humanities (ERIH);

. Google Scholar;

. Clasificación Integrada de Revistas Científicas (CIRC);

. Periódicos de livre acesso (LivRe);

. Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Cientifico (REDIB);

. Sumários de Revistas Brasileiras (Sumários.org);

. Journals for Free (J4F);

. Information Matrix for the Analysis of Journals (MIAR);

. Directory of Research Journals Indexing (DRJI);

. Elektronische Zeitschriftenbibliothek (EZB);

. Bielefeld Academic Search Engine (BASE);

. World Catalog (WorldCat);

Finna | Satakunta University of Applied Sciences Library;

. CiteFactor;

International Institute of Organized Research (I2OR).

 

                 

_________________________________________________________________________________________________________________________

Licença Creative Commons

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.