Quando o eu leitora e o eu da professora em formação continuada, que ensina/aprende a ler, se encontram

Autores

DOI:

https://doi.org/10.28998/2317-9945.2020v0n66p122-129

Palavras-chave:

Leitura, Pesquisa, Docência.

Resumo

Neste espaço, revelo uma intimidade: como depreendo a minha relação com a leitura, considerando papéis intercambiados que assumo nas interações pessoais e profissionais, num recorte de tempo-espaço que traz em seu bojo cenas peculiares a minha infância, às atividades que realizo na condição de docente de Língua Portuguesa e de formadora de professores. Esse entendimento surgiu de uma busca cuidadosa de como me constituí como leitora e como mediadora de leituras na complexa e gratificante tarefa de construir sentido por meio da prática leitora. A autoetnografia, então, entrou em cena em uma pesquisa qualitativa, descritiva e interpretativista. Apoio-me em discussões que tratam de concepções de leitura e estudos de gêneros discursivos. A pesquisa, então, permite entender melhor o que é leitura e como torná-la viável aos educandos e educadores que estabelecem parcerias comigo no processo contínuo e producente da construção do sentido do que “vivelemos”.

Downloads

Publicado

12/12/2020

Como Citar

SANTANA, M. O. de S. Quando o eu leitora e o eu da professora em formação continuada, que ensina/aprende a ler, se encontram. Leitura, [S. l.], n. 66, p. 122–129, 2020. DOI: 10.28998/2317-9945.2020v0n66p122-129. Disponível em: https://seer.ufal.br/index.php/revistaleitura/article/view/10046. Acesso em: 17 ago. 2022.

Edição

Seção

Estudos Linguísticos