O disciplinamento heterossexista no conto A moralista de Dinah Silveira de Queiroz

Autores

  • Frédéric Grieco Universidade Federal de Goiás

DOI:

https://doi.org/10.28998/2317-9945.2020v0n66p323-335

Palavras-chave:

A moralista. Disciplinamento heterossexista. Performatividade de gênero. Masculinidade. Homofobia

Resumo

No conto A moralista, da escritora brasileira Dinah Silveira de Queiroz (1980), publicado originalmente em 1957, uma narradora rememora como sua mãe se tornou uma moralista na pequena cidade fictícia chamada Laterra. Exercendo o papel de uma conselheira comportamental e moral, a mãe da narradora reverbera os ideais da pastoral cristã e dos paradigmas heterossexistas e patriarcalistas que perpassam e regulam as relações sociais de Laterra. O conflito principal do conto ocorre com o surgimento de um rapaz percebido por essa sociedade como “viciado”, por não se adequar totalmente aos ideais performativos de masculinidade, que faz com que a moralista tente discipliná-lo e conformá-lo aos padrões tradicionais de gênero. E é exatamente sobre esse conflito narrativo que este artigo se debruça hermeneuticamente, dialogando com as leituras de Suely Leite (2012), Carlos Eduardo Albuquerque Fernandes (2012) e Patrícia Sheyla Bagot de Almeida (2017). Embaso teoricamente minha crítica literária em reflexões sobre a homofobia desenvolvidas por Didier Eribon (2008) e Daniel Borrillo (2016), em postulações de Michel Foucault (2012, 2014, 2015, 2016a, 2016b, 2016c, 2016d) sobre o poder disciplinar e seus dispositivos, e no conceito de performatividade de gênero de Judith Butler (2003).

Biografia do Autor

Frédéric Grieco, Universidade Federal de Goiás

Atualmente, sou doutorando na área de estudos literários do Programa de Pós-Graduação em Letras e Linguística da Universidade Federal de Goiás, desenvolvendo um projeto intitulado "Os críticos retratos sobre a masculinidade e a homofobia nas obras literárias Em nome do desejo e Brokeback Mountain". Sou mestre em estudos literários pelo Programa de Pós-Graduação em Letras e Linguística da UFG (2016-2018), tendo apresentado, como produto final de mestrado, a dissertação intitulada "O heteroerotismo em Uma aprendizagem ou O livro dos prazeres de Clarice Lispector: das performatividades de gênero às paródias narrativas". Pesquiso principalmente sobre representações literárias dos gêneros sexuais e do (hetero/homo)erotismo, refletindo criticamente sobre questões sócio-histórico-culturais subjacentes a essas representações. Sou graduado em licenciatura de Letras-Português (2011-2014) pela Universidade Federal de Goiás e, atualmente, sou graduando em licenciatura de Filosofia nessa mesma instituição de ensino superior.

Downloads

Publicado

12/12/2020

Como Citar

GRIECO, F. O disciplinamento heterossexista no conto A moralista de Dinah Silveira de Queiroz. Leitura, [S. l.], n. 66, p. 323–335, 2020. DOI: 10.28998/2317-9945.2020v0n66p323-335. Disponível em: https://seer.ufal.br/index.php/revistaleitura/article/view/10571. Acesso em: 5 jul. 2022.

Edição

Seção

Estudos Literários