O estágio docente no Ensino Remoto Emergencial (ERE)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.28998/2175-6600.2023v15n37p1-20.e14198

Palavras-chave:

Estágio docente, Ensino remoto emergencial, Pós-graduação, Prática pedagógica

Resumo

O objetivo deste estudo foi relatar as experiências vivenciadas na pós-graduação, no estágio docente do ensino superior, no Ensino Remoto emergencial (ERE), e suas contribuições para a formação docente. Tratou-se de um estudo qualitativo, com o apoio da observação participante e da Análise Textual Discursiva (ATD). Elencamos três categorias de análise: Adoção das Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs); Prática Educativa e as Estratégias no ERE; e o estágio de docência no ERE. Concluímos que a utilização das TICs precisou ser redimensionada em atenção às dificuldades discentes; que a prática educativa e as estratégias de ensino empregadas foram fundamentais para a qualificação do ERE; e que o estágio docente permitiu um olhar ressignificado para a formação e a prática docente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Geane das Chagas Silva, Universidade Federal do Amazonas - UFAM; Secretaria Estadual de Educação do Amazonas -SEDUC

Mestra em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Faculdade de Educação da Universidade Federal do Amazonas - UFAM (2021), integrante do Laboratório de Estudos em Comportamento Motor Humano - LECOMH. Possui Graduação no curso Licenciatura em Ciências Biológicas pela Universidade do Estado do Amazonas - UEA (2013); Graduação em Licenciatura Educação Física pela Universidade Federal do Amazonas - UFAM (2004) e Especialização em Didática do Ensino Superior - FASE (2005). Atualmente é Supervisora Pedagógica da Coordenadoria Regional de Educação de Manacapuru da Secretaria de Estado de Educação e Desporto. Desenvolve pesquisas em Educação Especial, Educação Inclusiva, Educação Física Escolar, Meio Ambiente e Educação. Tem experiência na área de Educação Física Escolar, em Ciências Biológicas e Supervisão Pedagógica. 

Darianny Araújo dos Reis, UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS (UFAM)

Professora Adjunta da Universidade Federal do Amazonas (UFAM). Doutora em Ciências da Educação pela Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD/Portugal). Mestre em Educação pela Universidade Federal do Amazonas (UFAM). Especialista em Metodologia do Ensino Superior pela Universidade Federal do Amazonas (UFAM) e em Desenvolvimento Curricular e Inovação Educativa pela Universidade do Minho (UMINHO/Portugal). Graduada em Pedagogia pela Universidade Federal do Amazonas, com Habilitação em Orientação Educacional e Supervisão Escolar. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em formação docente, atuando principalmente nos seguintes temas: currículo escolar, educação integral, formação e identidade docente, pedagogia e didática histórico-crítica, didática desenvolvimental, planejamento educacional e avaliação educacional e das aprendizagens.É atualmente vice-líder do Grupo de Pesquisa Sociologia Política da Educação (GRUPESPE/UFAM), onde coordena as Linhas de Pesquisa "Políticas Curriculares, educação e formação" e "Estudos da criança e do adolescente: abordagens multidisciplinares" e coordenadora de área do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID/PEDAGOGIA/UFAM).

Referências

ARROYO, Miguel González. Os coletivos empobrecidos repolitizam os currículos. In: SACRISTÁN, José Gimeno (Org.). Saberes e incertezas sobre o currículo. Porto Alegre,RS: Penso, 2013. p. 108-125.

ASSÍNCRONO. In. Michaelis, Dicionário Brasileiro da Língua Portuguesa. Disponível em: http://michaelis.uol.com.br/busca?r=0&f=0&t=0&palavra=educa%C3%A7%C3%A3o. Acesso em 06/12/2020.

BEHRENS, Marilda Aparecida. Formação pedagógica on-line: caminhos para a qualificação da docência universitária. Em aberto, v. 23, n.o 84, p. 47 – 66, 2010. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/reveducacao/article/viewFile/2976/2423. Acesso em: 01 out. 2022.

BRASIL, Lei n.o 5.540 de 28 de novembro de 1968, fixa normas de organização e funcionamento do ensino superior e sua articulação com a escola média, e dá outras providências. DOU, Seção 1 - 29/11/1968, Página 10369. Disponível em: https://www2.camara.leg.br/legin/fed/lei/1960-1969/lei-5540-28-novembro-1968-359201 publicacaooriginalpl.html#:~:text=Fixa%20normas%20de%20organiza%C3%A7%C3%A3o. Acesso em 01 out. 2022.

BRASIL. Portaria n.º 325 / ANVISA, de 27 de março de 2020, estabelece medidas para o enfrentamento da emergência de saúde pública de importância internacional decorrente do novo coronavírus, no âmbito da ANVISA. DOE, ed.126, seção 1, p. 6, 30 jun. 2020. Disponível em: https://www.in.gov.br/en/web/dou/-/portaria-n-325-de-30-de-junho-de-2020-264914044. Acesso em: 11 nov. 2021.

BRASIL, Portaria n.o 544/MEC, de 16 de junho de 2020, Dispõe sobre a substituição das aulas presenciais por aulas em meios digitais, enquanto durar a situação de pandemia do novo coronavírus - Covid-19. DOU, ed. 114, seção 1, p. 62. 16 jun. 2020. Disponível em: https://abmes.org.br/arquivos/legislacoes/Portaria-mec-544-2020-06-16.pdf. Acesso em: 30 set. 2022.

CHAMLIAN, Helena Coharik. Docência na Universidade: Professores inovadores na USP. Cadernos de Pesquisa, n.o 118, p. 41 – 64, 2003.

CORTE, Anelise C. dalla; LEMKE, Cibele K. O estágio supervisionado e sua importância para a formação docente frente aos novos desafios de ensinar. Educere, Brasília, v. 31, n.o 3, p.31002-31010, 29 out. 2015. Disponível em: https://docplayer.com.br/48677602-O-estagio-supervisionado-e-sua-importancia-para-a-formacao-docente-frente-aos-novos-desafios-de-ensinar.html. Acesso em: 25 set. 2022.

BIANCHINI, Leise Cristina; ERRAM, Claudiane Aparecida; PINHEIRO, Elaine Vieira. Aprender e Ensinar: o estágio de docência na graduação. In Anais do XVIII ENDIPE, 2016. Disponível em: https://www.andipe.com.br/_files/ugd/fd8b07_fcccb6104f454310b023bff34514317f.pdf. Acesso em: 01 out. 2022.

FELÍCIO, Helena Maria dos Santos; OLIVEIRA, Ronaldo Alexandre de. A formação prática de professores no estágio curricular. Educar, Curitiba, n.o 32, p. 215-232, 2008. Disponível em: https://www.scielo.br/j/er/a/Dv5GXZrkpBcJ4YjqBthZrDt/?lang=pt&format=pdf. Acesso em: 01 out. 2022.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da tolerância. FREIRE, Ana Maria Araújo (Org.) São Paulo: UNESP, 2004.

GIL, Antonio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6.ª ed. São Paulo: Atlas, 2008.

KULCSAR, Rosa. O estágio supervisionado como atividade integradora. In: FAZENDA et al. A prática de ensino e o estágio supervisionado. Campinas, São Paulo, Papirus, 1991.

LIBÂNEO, José Carlos. Democratização da Escola Pública: a pedagogia crítico-social dos conteúdos. São Paulo: Loyola, 1985.

LIBÂNEO, José Carlos. Didática. 2.ª ed. São Paulo: Cortez, 2013.

MORAN, José Manuel. Avaliação das mudanças que as tecnologias estão provocando na educação presencial e a distância. Educação e Cultura Contemporânea, Rio de Janeiro, v. 2, n.o 4, p. 89-108, jun./dez. 2005. Disponível em: http://periodicos.estacio.br/index.php/reeduc/article/viewArticle/4899. Acesso em: 25 set. 2022.

LIMA, Gabriella Cristina Araújo de; CÂMARA, Iury Antônio Medeiros Palácio da. O estágio docente e a formação para a docência na pós-graduação: possibilidades com base nas inteligências múltiplas. Educação: Teoria e Prática, v. 3, n.o 64, p. 1 -13, 2021. Disponível em: https://www.periodicos.rc.biblioteca.unesp.br/index.php/educacao/article/view/14444. Acesso em 01 out. 2022.

MORAES, Roque; GALIAZZI, Maria do Carmo. Análise textual discursiva. 3.a ed. rev. e ampl. Ijuí: Unijuí, 2016.

MORESI, Eduardo (org.). Metodologia da pesquisa. Brasília: Universidade Católica de Brasília, 2003. Disponível em: http://www.inf.ufes.br/~pdcosta/ensino/2010-2- metodologia-de-pesquisa/MetodologiaPesquisa-Moresi2003.pdf. Acesso em: 20 nov. 2018.

NETO, Alexandre Shigunov; MACIEL, Lizete Shizue Bomura. A importância da pesquisa para a prática pedagógica dos professores que atuam na educação superior brasileira: algumas discussões iniciais. Revista Brasileira de Docência, Ensino e Pesquisa em Administração, v. 1, n.o 1, p. 04-23, 2009. Disponível em: https://www.univille.edu.br/community/novoportal/VirtualDisk.html?action=readFile&file=A_importancia_da_pesquisa_para_a_pratica_pedagogica_dos_profs_que_atuam_na_educacao_superior_br.pdf&current=/AI/CIP/Estrategias_e_Metodos. Acesso em 25 set. 2022.

NÓVOA, Antonio. Os professores na virada do milênio: do excesso dos discursos à pobreza das práticas. Educação e Pesquisa, v. 25, n.o 1, 1999. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ep/a/FVqZ5WXm7tVyhCR6MRfGmFD/?format=pdf&lang=pt. Acesso em 28 set. 2022.

OLIARI, Fátima Albertina Sangaletti et al. Refletindo sobre a identidade e a formação do professor da educação superior. Revistas eletrônicas: Educação em Foco. 2012 Disponível em: https://portal.unisepe.com.br/unifia/wpcontent/uploads/sites/10001/2018/06/1refletindo_sobre_identidade.pdf. Acesso em: 11 abril 2021.

PADILHA, M. A. S. et al. Ensinagem na docência online: um olhar à luz das coreografias didáticas. Revista de Educação Matemática e Tecnológica Iberoamericana, v. 1, n.º 1, p. 1 -11, 2010. Disponível em: https://periodicos.ufpe.br/revistas/emteia/article/view/2185/1756. Acesso em: 29 set. 2022.

PERRENOUD, PHILIPPE. A prática reflexiva no ofício de professor: profissionalização e razão pedagógicas. Porto Alegre: Artmed, 2002.

PIMENTA, Selma Garrido; LIMA, Maria Socorro Lucena. Estágio e docência. São Paulo: Cortez, 2012.

PRODANOV, Cleber Cristiano; FREITAS, Ernani César de. Metodologia do trabalho científico [recurso eletrônico]: métodos e técnicas da pesquisa e do trabalho acadêmico. 2.a ed. Novo Hamburgo: Feevale, 2013.

RODRIGUES, Karin Débora; BARROS, Irany Gomes; FRAGUAS, Andreia Dutra. Tendências pedagógicas atuais. In Anais do VII Congresso Nacional de Educação 2020. Disponível em: https://editorarealize.com.br/index.php/artigo/visualizar/69591. Acesso em 01 out. 2022.

ROSA, Geraldo Antônio da; TREVISAN, Amarildo Luiz. Filosofia da tecnologia e educação: conservação ou crítica inovadora da modernidade? Avaliação, v. 21, n.o 3, p. 719-737, nov. 2016. Disponível em: https://www.scielo.br/j/aval/a/QRzmwDCBPp34vcTJ9CJQYtm/abstract/?lang=pt. Acesso em 01 out. 2022.

SANTOS, Jucelino Alves dos. Perspectivas de aprendizagem e o uso das TICs como ferramentas de ensino no espaço escolar. Discurso em Cena, [S. l.], v. 2, n.o 1, p. 22–34, 2018. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/redcen/article/view/18261. Acesso em: 1 out. 2022.

SEVERINO, Antonio Joaquim; SOARES, Marisa. A prática da pesquisa no ensino superior: conhecimento pertencente na formação humana. Avaliação, v. 23, n.o 2, p. 372 -390, 2018. Disponível em: https://www.scielo.br/j/aval/a/7drNKF8x7ch6rgGxmrKf7yz/?lang=pt&format=pdf. Acesso em: 01 out. 2022.

SÍNCRONO. In. Michaelis, Dicionário Brasileiro da Língua Portuguesa. Disponível em: http://michaelis.uol.com.br/busca?r=0&f=0&t=0&palavra=educa%C3%A7%C3%A3o. Acesso em 06 dez. 2020.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. 8.a ed. Petrópolis: Vozes, 2007.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS, CONSEP. Resolução n.º 019 de 2000, institui a obrigatoriedade do Estágio de Docência na Pós-graduação Stricto sensu.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS. Comissão de Biossegurança da UFAM. Plano de biossegurança da Universidade Federal do Amazonas frente à pandemia da doença pelo SARS-COV-2 (COVID-19). Manaus: Universidade Federal do Amazonas, 2020. Disponível em: https://edoc.ufam.edu.br/bitstream/123456789/3438/1/Plano_de_Biosseguranca_Co

nsuni_14jul20.pdf. Acesso em: 11 nov. 2021.

SCALABRIN, Izabel Cristina; MOLINARI, Adriana Maria Corder. A importância da prática do estágio supervisionado nas licenciaturas. Revista Unar, v. 7, n.º 1, p. 1 – 12, 2013.

Disponível em: http://revistaunar.com.br/cientifica/volumes-publicados/volume-7-no1-2013. Acesso em: 01 out. 2022.

Downloads

Publicado

2023-02-02

Como Citar

SILVA, Geane das Chagas; ARAÚJO DOS REIS, Darianny. O estágio docente no Ensino Remoto Emergencial (ERE). Debates em Educação, [S. l.], v. 15, n. 37, p. 1–20.e14198, 2023. DOI: 10.28998/2175-6600.2023v15n37p1-20.e14198. Disponível em: https://seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/14198. Acesso em: 13 jun. 2024.

Edição

Seção

Dossiê: O estágio de docência nos programas de pós-graduação stricto sensu

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.