Os procedimentos avaliativos na educação de jovens e adultos e a relação com a dialogicidade

Antonio Carlos dos Santos Cruz

Resumo


A Educação de Jovens e Adultos (EJA) está relacionada com o processo de exclusão social, e os procedimentos avaliativos, nesse contexto, corroboram para a manutenção dessa população em um estado de imobilidade social. A observação da dialogicidade pode favorecer tanto a aprendizagem, como motivar a permanência desses estudantes na escola. Diante disso, tomou-se como objetivo geral:  Averiguar como a evasão escolar e o processo de aprendizagem dos estudantes da EJA podem ser afetados a partir da inobservância da necessidade dialógica na avaliação e nos conteúdos ensinados. Trata-se de uma pesquisa bibliográfica e qualitativa, cuja justificativa se encontra na busca pela melhoria da qualidade na atuação de professores diretamente com os jovens e adultos em questão, e pela evolução da própria EJA. O resultado dessa investigação mostrou que a avaliação, em suma, não se constitui uma tarefa exclusivamente do professor, mas, na medida em que funciona como instrumento de crescimento do estudante, age como um termômetro, e deveria ser entendida como um objeto de incentivo, mais que de classificação.   


Palavras-chave


Educação Libertadora; Evasão Escolar; EJA

Texto completo:

PDF

Referências


AUSUBEL, David. P. Aquisição e retenção de conhecimentos: Uma perspectiva cognitiva. Lisboa: Paralelo Editora, 2000.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Continuada. Alfabetização e Diversidade. Coleção Cadernos de EJA. Brasília. 2006

FEITOSA, S. C. S. Método Paulo Freire: princípios e práticas de uma concepção popular de educação. (Dissertação) Mestrado. (1999). Universidade de São Paulo. São Paulo, Brasil, 1999.

FERNANDES, Eliane; et al. Vivência, contexto para motivar a aprendizagem na EJA. 2014. (Especialização) 42f. Universidade de Brasília. Faculdade de Educação. Brasília, 2014.

FRANCO, Maria Laura P. B. Pressupostos epistemológicos da avaliação educacional. In: Cadernos de Pesquisa, n. 74, p. 63-67, 1990.

FREIRE, P. A importância do ato de ler. São Paulo. Cortez, 1986

FREIRE, P. Pedagogia da Autonomia. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

FREITAS, L. C. Ciclos, seriação e avaliação. São Paulo: Editora Moderna, 2003.

HOFFMANN, J. Avaliação: mito e desafio. São Paulo: Editora Mediação, 23ª ed., 1998.

KOVAKS, Joseph D. Meaningful learning: The essential factor for conceptual change in Limited or Inappropriate Propositional Hierarchies (LIPHs) leading to empowerment of learners. In Teoria da aprendizagem significativa. Contributos do III Encontro Internacional sobre Aprendizagem Significativa, Org. MOREIRA, M. A.; et al, Peniche, 2000.

LIMA, A. O. Avaliação escolar: julgamento ou construção? Petrópolis: Vozes, 1994.

LUCKESI, C. C. Avaliação educacional escolar: para além do autoritarismo. In: Avaliação da aprendizagem escolar. São Paulo: Cortez, 1995.

LUCKESI, C. C. Avaliação da aprendizagem escolar. 12ª ed., São Paulo: Editora Cortez, 2002.

LUCKESI, C. C. Avaliação da aprendizagem: componente do ato pedagógico, São Paulo: Cortez Editora, 2011.

MARQUES, Cristiane Eufrásio. A construção do conhecimento na Educação de Jovens e Adultos. 2010. (Artigo) Graduação. 21f. Instituto Superior de Educação da Faculdade Alfredo Nasser, Aparecida de Goiânia, 2010.

PELLOSO, Silvia M. Reflexões sobre avaliação: esboçando retrato da EJA. In: Os desafios da escola pública paranaense na perspectiva do professor PDE. v. 1, Curitiba: Governo do Estado do Paraná, 2014.

PICONEZ, Stela C. Bertholo. Educação escolar de jovens e adultos. Campinas: Papirus, 2002.

PORCARO, Rosa Cristina. Os desafios enfrentados pelo educador de jovens e adultos no desenvolvimento de seu trabalho docente. In: EccoS Revista Científica, n. 25, p. 39-57, jan./jun., 2011.

ROMÃO, J. E. Avaliação Dialógica: Desafios e perspectivas. São Paulo: Cortez, 1998.

ROSA, Alexandre Rafael da. Evasão na modalidade EJA: uma análise sob a perspectiva pedagógica na EMEF João Paulo I. 2012. (Monografia) Especialização. 57f. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Educação. Porto Alegre, 2012.

SANT’ANNA, I. M. Por que avaliar? Como Avaliar? Critérios e instrumentos. Petrópolis: Vozes, 1995.

SAUL, A. M. Avaliação emancipatória: desafio à teoria e à prática de avaliação e reformulação de currículo. 5. ed. São Paulo: Cortez, 2000.

VITA, Jaqueline Gedoz; LUCHESE, Terciane Ângela. A sala de aula da EJA, um lugar de relações. In Anais do Seminário Diálogos com a Educação – Desafios da EJA contemporânea. Universidade de Caxias do Sul, 19 out. e 22 nov. 2013.




DOI: https://doi.org/10.28998/2175-6600.2020v12n27p254-265

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

_________________________________________________________________________________________________________________________

CONTATO:

E-mail: debatesemeducacao@gmail.com

Universidade Federal de Alagoas – UFAL
Centro de Educação – CEDU
Programa de Pós-graduação em Educação – PPGE
Campus A. C. Simões
Av. Lourival Melo Mota, s/n - Tabuleiro do Martins
57072-900 - Maceió - AL, Brasil.
Telefone: +55 82 3214 1196
Link: http://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/

ISSN ELETRÔNICO: 2175-6600

DOI (Digital Object Identifier - Identificador de Objeto Digital)

Em 14 de dezembro de 2017, a Revista Debates em Educação passou a atribuir o DOI às suas publicações, padrão para identificação de documentos em redes digitais. 

Prefixo: 10.28998/2175-6600

QUALIS/CAPES (2013 - 2016):

– Ensino B1
– Interdisciplinar B4
– Letras / Linguística B4
– Psicologia B4
– Comunicação e Informação B4
– Sociologia B4
– Educação B5

PERIODICIDADE – QUADRIMESTRAL

De 2009 a 2016, a periodicidade da Revista Debates em Educação era semestral. A partir de 2017, a revista se tornou quadrimestral, de acordo com as datas abaixo:

– Primeiro quadrimestre: jan./abr. - limite para publicar a edição 30 abril.
– Segundo quadrimestre: maio/ago. - limite para publicar a edição 31 agosto.
– Terceiro quadrimestre: set./dez. - limite para publicar a edição 31 dezembro.

Os dizeres acima dizem respeito somente à data de publicação da edição e não ao envio de artigos.

O recebimento de artigos caracteriza-se por fluxo contínuo sem que seja possível prever a data de sua publicação.

________________________________________________________________________________________________________________________

A Revista Debates em Educação foi contemplada com o Edital Fapeal Nº 5/2016 Apoio à Editoração e Publicação de Periódicos Científicos e com o Edital Fapeal Nº 9/2018 Apoio à Editoração e Publicação de Periódicos Científicos.

________________________________________________________________________________________________________________________

A Revista Debates em Educação está indexada nas seguintes bases científicas.

 

. Open Journal Systems (OJS);

. Portal de Periódicos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES);

. Sistema Regional de Información en Línea para Revistas Científicas de América Latina, el Caribe, España y Portugal (Latindex);

. Citas Latinoamericanas en Ciencias Sociales y Humanidades (CLASE);

. Diretório de Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras (Diadorim);

. Directory of Open Access Journals (DOAJ);

Indice de Revistas de Educación Superior e Investigación Educativa (IRESIE);

European Reference Index for the Humanities (ERIH);

. Google Scholar;

. Clasificación Integrada de Revistas Científicas (CIRC);

. Periódicos de livre acesso (LivRe);

. Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Cientifico (REDIB);

. Sumários de Revistas Brasileiras (Sumários.org);

. Journals for Free (J4F);

. Information Matrix for the Analysis of Journals (MIAR);

. Directory of Research Journals Indexing (DRJI);

. Elektronische Zeitschriftenbibliothek (EZB);

. Bielefeld Academic Search Engine (BASE);

. World Catalog (WorldCat);

Finna | Satakunta University of Applied Sciences Library;

. CiteFactor;

International Institute of Organized Research (I2OR).

 

                 

_________________________________________________________________________________________________________________________

Licença Creative Commons

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.