Educação e emancipação em Theodor Adorno e Paulo Freire

Autores

  • Renan Santos Furtado Universidade Federal do Pará
  • Maria Rosilene Maués Gomes Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Pará/Campus Abaetetuba
  • Carlos Nazareno Ferreira Borges Universidade Federal do Pará/Instituto de Ciências da Educação

DOI:

https://doi.org/10.28998/2175-6600.2022v14n35p500-525

Palavras-chave:

Educação, Emancipação, Theodor Adorno, Paulo Freire

Resumo

O presente texto discute contribuições teórico-conceituais pontuais de Theodor Adorno e Paulo Freire à educação, perspectivando-as para a emancipação; parte da análise de conceitos como educação, formação e emancipação em textos de ambos os autores. A pesquisa objetivou identificar e refletir sobre contribuições conceituais pontuais de Adorno e Freire para uma educação emancipadora. A partir disso, apontamos três eixos aproximativos de educação emancipatória entre os referidos autores, a dizer: 1) a educação é compreendida como prática contraideológica capaz de desmistificar as sentenças burguesas sobre a humanidade e a história; 2) a educação para emancipação é sempre um ato de humanização a favor do sujeito e contra a barbárie; 3) uma educação para a emancipação necessita ser pensada enquanto projeto de educação política e dentro do plano das relações políticas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Renan Santos Furtado , Universidade Federal do Pará

Graduado em Licenciatura em Educação Física pela Universidade Federal do Pará (UFPA) no ano de 2017. Especialista em Educação Física Escolar pela Escola Superior Madre Celeste (ESMAC) no ano de 2018. Mestre em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da UFPA (PPGED) no ano de 2019. Doutorando em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da UFPA (PPGED). Professor efetivo da Universidade Federal do Pará (UFPA), da carreira de Magistério do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico (EBTT), lotado na Unidade Acadêmica Escola de Aplicação. Professor temporário da SEDUC/PA entre 2017 e 2018, lotado na Unidade Regional de Educação 20. Professor Substituto da Escola de Aplicação da Universidade Federal do Pará (EAUFPA) entre 2018 e 2020. Pesquisador do Centro Avançado de Estudos em Educação e Educação Física (CAÊ), atuando na coordenação da linha de pesquisa "Corpo, Cultura Corporal e Práticas Corporais". Associado ao Colégio Brasileiro de Ciências do Esporte (CBCE), atuando como Revisor de trabalhos acadêmicos para eventos nacionais da entidade e como membro da Coordenação e Comitê Científico do GTT de Epistemologia na gestão 2021/2023. Atua como Revisor/Parecerista ad hoc dos seguintes periódicos: Arquivos em Movimento (UFRJ), Interfaces da Educação (UEMS), Educación Física y Deporte (EFYD), Olhares & Trilhas (UFU), Conexões (UNICAMP) e Debates em Educação (UFAL). Coordena e colabora em projetos de pesquisa, desenvolve orientações, estudos e investigações na área da Educação, com ênfase nos seguintes temas: Políticas e Teorias Educacionais; Educação Física Escolar; Práticas Corporais; Corpo e Educação e Questões Epistemológicas da Educação e da Educação Física.

Maria Rosilene Maués Gomes, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Pará/Campus Abaetetuba

Maria Rosilene Maués Gomes, é doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGED) UFPA. Realizou Mestrado em Educação no Programa de Pós Graduação em Educação (PPGED) UEPA. Realizou Especialização em Coordenação e Organização do Trabalho Pedagógico pela UFPA. Realizou Especialização em Tecnologias em Educação pela PUC- RIO. Fez Licenciatura Plena em Pedagogia pela UFPA. Foi professora efetiva de Educação Básica da Rede Municipal de Abaetetuba no período de 1997 a 2015. Foi Técnica em educação efetiva, pela Secretaria de Estado de Educação no período de 2008 a 2015. Atualmente é professora de Educação Básica, Técnica e Tecnológica, com vínculo efetivo e dedicação exclusiva do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Pará/ Campus Abaetetuba. É membro do Núcleo de Educação Popular Paulo Freire (NEP) da Universidade do Estado do Pará. Participa do Projeto de Pesquisa Memórias da Educação de Jovens e Adultos em Práticas de Educação Popular em Belém nas Décadas de 1970 e 1980. É membro do Grupo de Pesquisa em Educação Básica Interdisciplinar da Amazônia Tocantina (GPEBIAT) do IFPA Campus Abaetetuba. É membro do Centro Avançado em Educação e Educação Física (CAÊ), ligado ao PPGED da UFPA. É membro do Movimento Paraense de Educação de Jovens e Adultos (MPEJA). Representa o Instituto Federal do Pará/Campus Abaetetuba no Fórum Estadual de EJA. Desenvolve projeto de Pesquisa e de Extensão com professores que atuam na EJA, na região Tocantina. Ministra disciplinas pedagógicas dos cursos de graduação e pós-graduação no IFPA. Desenvolve pesquisa sobre condições de trabalho docente na Amazônia Tocantina.

Carlos Nazareno Ferreira Borges, Universidade Federal do Pará/Instituto de Ciências da Educação

Possui Graduação (Licenciatura Plena) em Educação Física pela Fundação Educacional do Estado do Pará (1990) e Graduação (Bacharelado) em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Espírito Santo (2011); Mestrado (2000) e Doutorado (2005) em Educação Física pela Universidade Gama Filho; Pós-doutorado em Memória Social pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO). Atualmente é Docente Titular da Universidade Federal do Pará, atuando na graduação em Educação Física e Pedagogia. É docente do Programa de Pós Graduação em Educação da Universidade Federal do Pará (PPGED/UFPA), atuando na linha de Formação de professores, trabalho docente, teorias e práticas educativas; atuou como formador de agentes sociais do programa PELC do Governo Federal. É Revisor da Revista Brasileira de Ciência do Esporte, Revisor da Revista Movimento, Revisor da revista Pensar a Prática; Revisor da Revista Licere. Revisor da Revista da Educação Física/UEM. Revisor da Revista Brasileira de Educação Física e Esportes (REBEFE/USP), Revisor da Revista Brasileira de Educação (RBE). É Líder do Centro Avançado de Estudos em Educação e Educação Física (CAÊ); membro do Grupo de Estudo e Pesquisa, Lazer e Ludicidade (Moçarai/UFPA). Tem experiência na área de Educação Física e Ciências Sociais, atuando principalmente nos seguintes temas: sociologia do Esporte e das Práticas Corporais; Estudos políticos e Estudos culturais em Educação Física, Esporte, Lazer, Saúde e Educação; Formação de Professores, Trabalho docente e Teorias Educacionais; Metodologias de ensino. Políticas públicas e políticas sociais. Gestão social.

Referências

ADORNO, T. Educação e emancipação. 2. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2020.

ADORNO, T. Indústria cultural e sociedade. 5. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2009.

ADORNO, T. Introdução a sociologia. São Paulo; Editora Unesp. 2008

ADORNO, T. Teoria da semicultura – Parte I. Revista Educação e Sociedade, n. 56, ano XVII, dezembro de 1996a, pág. 388-411.

ADORNO, T. Teoria da semicultura – Parte II. Revista Educação e Sociedade, n. 56, ano XVII, dezembro de 1996b, pág. 388-411.

ADORNO, Theodor; HORKHEIMER, Max. Dialética do esclarecimento. Rio de Janeiro: Zahar, 1985.

AGOSTINI, N. Os desafios da educação a partir de Paulo Freire e Walter Benjamin. Petrópolis, RJ: Vozes, 2019.

ALTHUSSER, L. Aparelhos ideológicos do estado. São Paulo: Editora Presença, 1980.

BOURDIEU, P; PASSERON, J. C. A reprodução: elementos para uma teoria do sistema de ensino. 7. ed. Petrópolis: Vozes, 2014.

BRAGA, Tatiana Benevides Magalhães; FARINHA, Marciana Gonçalves. HEIDEGGER: em busca de sentido para a existência humana. Phenomenological Studies - Revista da Abordagem Gestáltica – XXIII (1): 65-73, jan-abri, 2017.

DURKHEIM, É. Educação e sociologia. 5. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2014.

FREIRE, P. À sombra desta mangueira. 12. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2019.

FREIRE, P. Conscientização. São Paulo: Cortez, 2016.

FREIRE, P. Extensão ou comunicação. 7. ed. Rio de janeiro: Paz e Terra, 1983.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 38. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2008.

FREIRE, P. Pedagogia da esperança: um reencontro com a pedagogia do oprimido. 24. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2018.

FREIRE, P. Pedagogia do Oprimido. 49. ed. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 2005.

FREIRE, P. Política e educação: ensaios. 7. ed. São Paulo: Cortez, 2003.

FREIRE, P. Professora sim, tia não: cartas a quem ousa ensinar. 26. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2016.

FREIRE, P; SHOR, I. Medo e ousadia: o cotidiano do professor. 14.ed. São Paulo: Paz e Terra, 2021.

FREIRE. P. Educação e mudança. 34. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2011.

GADOTTI, M; FREIRE, P; GUIMARÃES, S. Pedagogia: diálogo e conflito. 4. ed. São Paulo: Cortez, 1995.

GIROUX. H. Educantion under siege. South Hadley, Massachusetts: Bergin-Garvey, 1985.

GRAMSCI, A. Cadernos do Cárcere. Os Intelectuais. O Princípio Educativo. V.2. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001.

LEO MAAR, W. À guisa de introdução: Adorno e a experiência formativa. IN: Educação e emancipação. ADORNO, T. 2. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2020.

MARX, K; ENGELS, F. a Ideologia Alemã. São Paulo: Expressão Popular, 2007.

MOUNIER, E. O personalismo. Tradução João Bérnard da Costa. Lisboa: Duas cidades, 1964.

OLIVEIRA, I. A. Leituras freireanas sobre educação. São Paulo: UNESP, 2003.

SARTRE, J. P. O existencialismo é um humanismo: a imaginação; questão de método. 3. ed. – São Paulo: Nova Cultural, 1987.

Downloads

Publicado

2022-08-31

Como Citar

SANTOS FURTADO, Renan; GOMES , Maria Rosilene Maués; BORGES , Carlos Nazareno Ferreira. Educação e emancipação em Theodor Adorno e Paulo Freire. Debates em Educação, [S. l.], v. 14, n. 35, p. 500–525, 2022. DOI: 10.28998/2175-6600.2022v14n35p500-525. Disponível em: https://seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/13302. Acesso em: 25 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.