Identidade e atuação profissional dos egressos em Educação do Campo em Ciências da Natureza no Brasil

Juliano da Silva Martins de Almeida, Wender Faleiro, Welson Barbosa Santos

Resumo


Buscou-se no presente estudo realizar um levantamento quali-quantitativo sobre a atuação profissional de egressos em Educação do Campo, com habilitação em Ciências da Natureza, e que obtiveram título de licenciado pela Universidade Federal Rural do Semiárido, Universidade Federal da Grande Dourados, Universidade Federal do Triângulo Mineiro e Universidade Federal da Fronteira do Sul, entre 2014 a 2018. Os dados apresentam a procedência dos nossos participantes, quando ingressaram no curso de Licenciatura em Educação do Campo, que 61,9% dos egressos foram provenientes do campo. Sobre a atuação profissional apenas 23,8 % atuam em escolas do campo, não pelo fato dos egressos não quererem, mas por falta de investimentos e políticas que acompanhem as especificidades da formação por área.  


Palavras-chave


Egresso; Educação do Campo; Ciências da Natureza.

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, Dylan Ávila. Licenciaturas em Química do IF Goiano: concepções e influências no contexto formativo. 2016. Dissertação (Mestrado em Química) - Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2016.

ANTUNES-ROCHA, Maria Isabel. DINIZ, Luciane de Souza. OLIVEIRA, Ariane Martins. Percurso formativo da Turma Dom José Mauro: segunda turma do curso de Licenciatura em Educação do Campo da FAE-UFMG. In: MOLINA, Mônica Castagna. SÁ, Laís Mourão (Orgs.). Licenciaturas em Educação do Campo – Registros e reflexões a partir das experiências-piloto (UFMG; UnB; UFBA e UFS), Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2011, p. 19-34.

ARROYO, Miguel Gonzalez; CALDART, Roseli Salete; MOLINA, Mônica Castagna (Orgs.). I Conferência Nacional por uma Educação Básica do Campo. Documentos Finais. Luziânia, GO, 27 a 31 jul. 1998.

BAUMAN, Zygmunt. Identidade: entrevista a Benedetto Vecchi. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2005.

BOURDIEU, Pierre. Escritos de educação. Petrópolis: Vozes, 1998

BOURDIEU, Pierre; PASSERON, Jean-Claude. A reprodução: elementos para uma teoria do sistema de ensino. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1970.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei número 9394, 20 de dezembro de 1996.

CALDART, Roseli Salete; PEREIRA, Isabel Brasil; ALENTEJANO, Paulo; FRIGOTTO, Gaudêncio (orgs). Dicionário da Educação do Campo. Rio de Janeiro, São Paulo: Escola Politécnica de Saúde. Joaquim Venâncio, Expressão Popular, 2012.

CASTRO, Elisa Guaraná. Vencendo a invisibilidade. Os jovens estão indo embora?: juventude rural e a construção de um ator político. Rio de Janeiro: Mauad X, 2009

FAORO, Raimundo. Os donos do poder: formação do patronato político brasileiro. 10ª ed. São Paulo: Globo, 1997.

FAORO, Raimundo. Existe um pensamento político brasileiro? São Paulo: Ática, 2007.

FARIAS, Magno Nunes. FALEIRO, Wender. Princípios do movimento de Educação do Campo: análise dos Projetos Político-Pedagógicos das LEdoCs do Centro-Oeste brasileiro. Uberlândia, MG: Navegando, 2019.

FERNADES, Cleudemar Alves. Discurso e sujeito em Michel Foucault. São Paulo: Intermeios. 2012.

FOUCAULT, Michel. A hermenêutica do sujeito. São Paulo: Martins e fontes. 2011.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. Rio de Janeiro: DP&A, 1999.

MINAYO, Maria Cecília Souza; SANCHES, Odécio. Quantitativo-qualitativo: oposição ou complementaridade? Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 9, n. 3, p. 239-262, jul./sep.1993

SANTOS, Welson Barbosa. A educação Sexual no contexto de Biologia. São Paulo: Novas Edições Acadêmicas. 2015.

SILVA, Francisca Cordelia Oliveira da. Etnia, Cor e Raça: Aspectos Discursivos do uso Institucional. Brasília 2006: Universidade de Brasília 2006.

SOUZA, Kellcia Rezende.; KERBAUY, Maria Teresa. Miceli. Abordagem quanti-qualitativa: superação da dicotomia quantitativa-qualitativa na pesquisa em educação. Educação e Filosofia, Uberlândia, v. 31, n. 61, p. 21-44, jan./abr. 2017.




DOI: https://doi.org/10.28998/2175-6600.2020v12n27p182-199

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

_________________________________________________________________________________________________________________________

CONTATO:

E-mail: debatesemeducacao@gmail.com

Universidade Federal de Alagoas – UFAL
Centro de Educação – CEDU
Programa de Pós-graduação em Educação – PPGE
Campus A. C. Simões
Av. Lourival Melo Mota, s/n - Tabuleiro do Martins
57072-900 - Maceió - AL, Brasil.
Telefone: +55 82 3214 1196
Link: http://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/

ISSN ELETRÔNICO: 2175-6600

DOI (Digital Object Identifier - Identificador de Objeto Digital)

Em 14 de dezembro de 2017, a Revista Debates em Educação passou a atribuir o DOI às suas publicações, padrão para identificação de documentos em redes digitais. 

Prefixo: 10.28998/2175-6600

QUALIS/CAPES (2013 - 2016):

– Ensino B1
– Interdisciplinar B4
– Letras / Linguística B4
– Psicologia B4
– Comunicação e Informação B4
– Sociologia B4
– Educação B5

PERIODICIDADE – QUADRIMESTRAL

De 2009 a 2016, a periodicidade da Revista Debates em Educação era semestral. A partir de 2017, a revista se tornou quadrimestral, de acordo com as datas abaixo:

– Primeiro quadrimestre: jan./abr. - limite para publicar a edição 30 abril.
– Segundo quadrimestre: maio/ago. - limite para publicar a edição 31 agosto.
– Terceiro quadrimestre: set./dez. - limite para publicar a edição 31 dezembro.

Os dizeres acima dizem respeito somente à data de publicação da edição e não ao envio de artigos.

O recebimento de artigos caracteriza-se por fluxo contínuo sem que seja possível prever a data de sua publicação.

________________________________________________________________________________________________________________________

A Revista Debates em Educação foi contemplada com o Edital Fapeal Nº 5/2016 Apoio à Editoração e Publicação de Periódicos Científicos e com o Edital Fapeal Nº 9/2018 Apoio à Editoração e Publicação de Periódicos Científicos.

________________________________________________________________________________________________________________________

A Revista Debates em Educação está indexada nas seguintes bases científicas.

 

. Open Journal Systems (OJS);

. Portal de Periódicos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES);

. Sistema Regional de Información en Línea para Revistas Científicas de América Latina, el Caribe, España y Portugal (Latindex);

. Citas Latinoamericanas en Ciencias Sociales y Humanidades (CLASE);

. Diretório de Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras (Diadorim);

. Directory of Open Access Journals (DOAJ);

Indice de Revistas de Educación Superior e Investigación Educativa (IRESIE);

European Reference Index for the Humanities (ERIH);

. Google Scholar;

. Clasificación Integrada de Revistas Científicas (CIRC);

. Periódicos de livre acesso (LivRe);

. Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Cientifico (REDIB);

. Sumários de Revistas Brasileiras (Sumários.org);

. Journals for Free (J4F);

. Information Matrix for the Analysis of Journals (MIAR);

. Directory of Research Journals Indexing (DRJI);

. Elektronische Zeitschriftenbibliothek (EZB);

. Bielefeld Academic Search Engine (BASE);

. World Catalog (WorldCat);

Finna | Satakunta University of Applied Sciences Library;

. CiteFactor;

International Institute of Organized Research (I2OR).

 

                 

_________________________________________________________________________________________________________________________

Licença Creative Commons

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.