Educação infantil, gênero e sexualidade

uma análise de documentos curriculares de formação inicial em pedagogia

Autores

DOI:

https://doi.org/10.28998/2175-6600.2022v14nEspp353-374

Palavras-chave:

Educação infantil, Relações de gênero, Pedagogia

Resumo

O artigo traz dados de uma pesquisa em nível de mestrado que analisa os documentos curriculares de 13 cursos presenciais de formação inicial de licenciatura em Pedagogia das instituições da Associação Catarinense das Fundações Educacionais (ACAFE). Nas análises mapeia-se as disciplinas, a carga horária, os conteúdos formativos das ementas, a existência de diálogos interdisciplinares que contemplam as discussões de gênero e sexualidade. Os dados revelam que do total de 674 disciplinas apenas oito abordam denominações concernentes a gênero e sexualidade, o equivalente a 1% da relação de disciplinas dos documentos curriculares analisados. Das 621 ementas, 550 não fazem referência aos conteúdos formativos concernentes a gênero e sexualidade, o equivalente a 88,5% das ementas analisadas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Karine Zimmer, Universidade Federal de Santa Catarina

Mestranda em Educação pela Universidade Federal de Santa Catarina (2019) na linha de pesquisa Educação e Infância. É integrante do Núcleo de Estudos e Pesquisas da Educação na Pequena Infância (NUPEIN/UFSC).Especialista em Gênero e Diversidade na Escola pela Universidade Federal de Santa Catarina (2017) e Graduada em Pedagogia - Educação Infantil e Séries Iniciais pela Universidade Federal de Santa Catarina (2009). Atualmente é professora de educação infantil do quadro permanente da rede municipal de ensino de Florianópolis. 

Márcia Buss-Simão, Universidade Federal de Santa Catarina

Professora na Universidade Federal de Santa Catarina no Departamento de Estudos Especializados em Educação - UFSC/EED. Doutora em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação na Universidade Federal de Santa Catarina na linha de pesquisa Ensino e Formação de Educadores. Realizou parte de seu doutoramento na Goethe Universität de Frankfurt am Main na Alemanha com bolsa DAAD no período de dezembro de 2009 a abril de 2011. É mestre em Educação pela Universidade Federal de Santa Catarina (2005-2007) na linha de pesquisa Educação e Infância. Possui Graduação em Licenciatura em Educação Física pela Universidade Federal de Santa Catarina (1993). Realizou estágio pós-doutoral de 2012 a 2013 na Universidade Federal de Santa Catarina com bolsa REUNI sob supervisão de Eloisa Acires Candal Rocha no Programa de Pós-Graduação em Educação com a temática: Professoras de Educação Infantil: uma análise da constituição da docência no contexto Catarinense. Está como editora da Revista Zero-a-Seis e Vice-líder do Núcleo de Estudos e Pesquisas da Educação na Pequena Infância (NUPEIN/UFSC) e integrante do Grupo de Pesquisa Educação, Infância e Gênero (GEDIG) do PPGE/UNISUL.

Referências

BARDIN, Laurence. Análise de Conteúdo. Trad. Luís Antero Reto e Augusto Pinheiro. 1. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1977.

BRITZMAN, Deborah P. O que é esta coisa chamada amor: identidade homossexual, educação e currículo. Educação & Realidade. 21(1): 71-96. jan/jul. 1996.

BUSS-SIMÃO, Márcia. Relações sociais em um contexto de educação infantil: um olhar sobre a dimensão corporal na perspectiva de crianças pequenas. 2012. 312 f. Tese (Doutorado em Educação) - Programa de Pós-Graduação em Educação: Linha Ensino e Formação de Educadores da Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2012.

BUTLER, Judith. Problemas de gênero: feminismo e subversão de identidade. Tradução de Renato Aguiar. 18ª ed. – Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2019.

CERISARA. Ana Beatriz. Professoras de educação infantil: entre o feminino e o profissional. São Paulo: Cortez, 2002. (Coleção Questões da Nossa Época: v. 98).

COUTINHO, Ângela Maria Scalabrin; ROCHA, Eloísa Acires Candal. Bases Curriculares para a Educação Infantil? Ou isso ou aquilo. Revista Criança. Brasília. vol. 43, p. 10-11, ago/2007.

CRUZ, Lilian Moreira. Discursos cambiantes sobre corpo, gênero e sexualidade no curso de Pedagogia da UESB. 2014. 157 f. Dissertação (Mestrado em Educação em Ciências e Matemática) - Programa de Pós-Graduação em Educação Científica e Formação de Professores, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, Jequié, 2014.

FERREIRA, Taisa de Sousa. Entre o real e o imaginário: problematizando o currículo do curso de licenciatura em Pedagogia em relação a gênero e sexualidade. 2013. 319 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Programa de Pós-Graduação em Educação, Departamento de Educação, Universidade Estadual de Feira de Santana, Feira de Santana, 2013.

FRANCO, Maria Laura P.B. Análise de Conteúdo. Brasília: Plano Editora, 2003.

FURLANI, Jimena. Gêneros e sexualidades – problematizando a educação e processos de produção de conhecimentos. Instrumento: R. Est. Pesq. Educ. Juiz de Fora, v. 12, n. 1, jan./jun. 2010.

HAMPEL, Alissandra. "A gente não pensava nisso...": educação para a sexualidade, gênero e formação docente na região da Campanha/RS. 2013. 194 f. Tese (Doutorado em Educação) - Programa de Pós-Graduação em Educação, Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2013.

KOERICH, Maria Cecília Takayama. História de uma presença-ausente: sexualidade e gênero em currículos de Pedagogia. 140 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Programa de Pós-Graduação em Educação, Centro de Ciências da Educação, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2007.

LIMA, Tatiane de Lucena. Identidades, currículo e formação docente: um estudo sobre implicações de gênero em práticas educativas de estudantes de pedagogia. 2008. 209 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Programa de Pós-Graduação em Educação, Faculdade de Educação, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2008.

LOURO, Guacira Lopes. Gênero, sexualidade e educação: uma perspectiva pós-estruturalista. 15 ed. Petrópolis/RJ: Vozes, 2013.

MARTINS, Walkíria de Jesus França. Gênero e Sexualidade na formação docente: uma análise no curso de Pedagogia da UFMA-São Luís. 2012. 187 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal do Maranhão, São Luís, 2012.

PARAISO, Marlucy Alves. Currículo e relações de gênero: entre o que se ensina e o que se pode aprender. Revista Linhas. Florianópolis, v. 17, n. 33, p. 206-237, jan./abr. 2016.

QVORTRUP, Jens. A tentação da diversidade – e seus riscos. Educação & Sociedade, Campinas, v. 31, n. 113, p. 1121-1136, out/dez. 2010b.

RIBEIRO, Diego Duarte. Relações de gênero e formação docente: masculinidades e posturas feministas no curso de Pedagogia da UNIFAL-MG. 2018. 106 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal de Alfenas, Alfenas, 2018.

ROCHA, Eloisa Acires Candal. A pesquisa em educação infantil no Brasil: trajetória recente e perspectivas de consolidação de uma pedagogia. 187 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Educação/UNICAMP, 1998.

ROCHA, Eloisa Acires Candal. A pedagogia e a educação infantil. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n. 16, p. 27-34, jan./abr. 2001.

SANTOS, Boaventura de Souza. Direitos humanos, democracia e desenvolvimento. São Paulo: Cortez, 2013.

SANTOS, Maria do Carmo Gonçalo. As contribuições do currículo da formação para a prática pedagógica docente com gênero e sexualidade na educação básica. 2016. 400 f. Tese (Doutorado em Educação) - Programa de Pós-Graduação em Educação, Centro de Educação, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2016.

SILVA, Kelly da. Currículo, gênero e identidade na formação de professores/as. 2011. 195 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Programa de Pós-Graduação em Educação, Faculdade de Educação, Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, 2011.

VIANNA, Cláudia; UNBEHAUM, Sandra. Gênero na educação básica: Quem se importa? Uma análise de documentos de políticas públicas no Brasil. Educ. Soc., Campinas, vol. 27, n. 95, p. 407-428, maio/ago. 2006.

VIANNA, Cláudia Pereira; FINCO, Daniela. Meninas e meninos na Educação Infantil: uma questão de gênero e poder. Cadernos Pagu, nº 33, 265-283. 2009.

VIANNA, Cláudia. Políticas de educação, gênero e diversidade sexual: breve história de lutas, danos e resistências. 1 ed. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2018.

Downloads

Publicado

2022-06-10

Como Citar

ZIMMER, Karine; BUSS-SIMÃO, Márcia. Educação infantil, gênero e sexualidade: uma análise de documentos curriculares de formação inicial em pedagogia. Debates em Educação, [S. l.], v. 14, n. Esp, p. 353–374, 2022. DOI: 10.28998/2175-6600.2022v14nEspp353-374. Disponível em: https://seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/12670. Acesso em: 21 jul. 2024.

Edição

Seção

Dossiê: Educação Infantil e currículo(s):culturas, docência e formação em debate

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.