Pesquisas sobre as tecnologias digitais no ensino de química

Autores

  • Bruno Silva Leite Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE)

DOI:

https://doi.org/10.28998/2175-6600.2021v13nEsp2p244-269

Palavras-chave:

Tecnologias Digitais, Ensino de Química, Revisão Sistemática de Literatura, Pesquisas sobre tecnologias

Resumo

As tecnologias digitais no ensino de Química (EQ) têm sido incorporadas na busca de promover melhorias nos processos de ensino e aprendizagem. Nesse sentido, esta pesquisa realizou uma revisão sistemática da literatura em cinco etapas com o objetivo de identificar em periódicos da área de Ensino “Qual tem sido o foco das pesquisas publicadas sobre tecnologias digitais no ensino de Química?”. O período de recorte foi o último decênio (2011-2020) considerando revistas com Qualis A. Os resultados mostram que o foco das pesquisas está mais na utilização das tecnologias no ensino de Química, seguido da elaboração/aplicação de recursos didáticos digitais (RDD). Os dados revelam também que os softwares/aplicativos, o audiovisual e os dispositivos móveis foram os RDD mais utilizados nos artigos, que o conteúdo de química orgânica foi o mais explorado e que o público-alvo em boa parte dos trabalhos eram estudantes do ensino médio. Por fim, esta pesquisa relata o que os pesquisadores da área têm desenvolvido sobre as tecnologias digitais no EQ, possibilitando traçar caminhos que visem a contribuir para o processo de construção do conhecimento químico por meio do uso das tecnologias digitais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bruno Silva Leite, Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE)

Professor de Química e de Tecnologias no Ensino de Química da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE). É Licenciado em Química, mestre no Ensino das Ciências e Doutor em Química Computacional. É coordenador do Programa de Mestrado Profissional em Química em Rede (PROFQUI-UFRPE). Também é Docente permanente do programa de pós-graduação em Ensino das Ciências da UFRPE. Professor no curso de Especialização em Ensino de Astronomia da UFRPE. Coordena os grupos de pesquisas LEUTEQ (Laboratório para Educação Ubíqua e Tecnológica no Ensino de Química) e InPraMEQ (Investigação de Práticas Metodológicas no Ensino de Química) do diretório de grupos do CNPq e é pesquisador colaborador do Núcleo SEMENTE.Tem experiência na área de Química e Ensino de Química: Em Química desenvolve pesquisas em Astroquímica e Química Computacional; Em Ensino de Química atua principalmente nas seguintes temáticas: (1) Tecnologias no Ensino de Química; (2) Metodologias Ativas, Aprendizagem Tecnológica Ativa, Gamificação e Ensino Híbrido; (3) processos e materiais educativos no Ensino de Ciências/Química; (4) Experimentação, divulgação científica e formação de professores. Atua como consultor ad hoc de periódicos especializados em Educação em Ciências/Química, nacionais e internacionais, e agências de fomento (CNPq, CAPES). Participou da Comissão Avaliadora de Livros Didáticos de Química do Ministério da Educação no Programa Nacional do Livro Didático (PNLD 2021 - Objeto 1, 2 e 3). Participa com avaliador credenciamento e recredenciamento do Ministério da Educação (INEP). Na Sociedade Brasileira de Química (SBQ) é o atual vice-diretor da Divisão de Ensino [mandato 2020-2022] e foi tesoureiro da Regional Pernambuco [mandatos 2016-2018, 2018-2020]. Foi representante da região nordeste na Comissão Nacional de Ensino de Química (2016-2018) que contribuiu para a criação da Sociedade Brasileira de Ensino de Química (SBEnQ) e fez parte da diretoria de comunicação da SBEnQ (2018-2020).

 

http://lattes.cnpq.br/4932752031807872

Referências

ATANAZIO, Alessandra Maria Cavichia; LEITE, Álvaro Emílio. Tecnologias da informação e comunicação (TIC) e a formação de professores: tendências de pesquisa. Investigações em Ensino de Ciências, v. 23, n. 2, p. 88-103, 2018.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2016.

BEDIN, Everton. Filme, experiência e tecnologia no ensino de ciências química: uma sequência didática. Revista de Educação, Ciências e Matemática, v. 9, n. 1, p. 101-115, 2019.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: Ministério da Educação, 2018.

BRASIL. Base Nacional Comum para a Formação Inicial de Professores da Educação Básica. Parecer CNE/CP nº 22/2019. DOU, Brasília, DF, 19 dez. 2019.

BRASIL. Lei 13.005 de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação - PNE e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 26 jun. 2014. Disponível em: <https://goo.gl/jV9DP7>. Acesso em 12 fev. 2021.

COOK, Deborah J.; MULROW, Cynthia D.; HAYNES, R. Bryan. Systematic reviews: synthesis of best evidence for clinical decisions. Annals of Internal Medicin, v. 126, n. 5, p. 376-380, 1997.

COOPER, Harris. Editorial. Psychological Bulletin, v. 129, n.1, p. 3-9, 2003.

CRESWELL, John W. Projeto de pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto. 3ª ed. Porto Alegre: Artmed, 2010.

DONATO, Helena; DONATO, Mariana. Stages for undertaking a systematic review. Acta medica portuguesa, v. 32, n. 3, p. 227-235, 2019.

FRANCISCO JUNIOR, Wilmo Ernesto; BENIGNO, Ana Paula Aquino. Produção de vídeos amadores de experimentos: algumas contribuições para se pensar o processo educativo. Revista Exitus, v. 8, n. 2, p. 244-272, 2018.

GALVIS, Alvaro H. Oportunidades educativas de las TIC [Internet]. 2004. Disponível em: <https://docplayer.es/4314141-Oportunidades-educativas-de-las-tic.html>. Acessado em 18 jun. 2021.

HAM-BALOYI, Wilma Ten; JORDAN, Portia. Systematic review as a research method in postgraduate nursing education. Health sa gesondheid, v. 21, p. 120-128, 2016.

JACON, Liliane da Silva Coelho; OLIVEIRA, Ana Carolina Garcia de; MARTINES, Elizabeth Antonia Leonel de Moraes; MELLO, Irene Cristina de. Os formadores de professores e o desafio em potencializar o ensino de conhecimentos químicos com a incorporação dos dispositivos móveis. Investigações em Ensino de Ciências, v. 19, n. 1, p. 77-89, 2016.

KITCHENHAM, Barbara. Procedures for performing systematic reviews. Keele University Technical Report, Keele, UK, v. 33, n. 2004, p. 1-26, 2004.

KLEIN, Vanessa; BARIN, Cláudia Smaniotto. Histórias em quadrinhos como elemento de flexibilização do ensino de Química. Revista Brasileira de Ensino de Ciência e Tecnologia, v. 12, n. 1, p. 54-68, 2019.

LEITE, Bruno Silva. Aprendizagem Tecnológica Ativa. Revista Internacional de Educação Superior, v. 4, n. 3, p. 580-609, 2018.

LEITE, Bruno Silva. Ensino híbrido utilizando a Rede Social Edmodo: um estudo exploratório sobre as potencialidades educacionais para o Ensino de Química. Revista Brasileira de Ensino de Ciência e Tecnologia, v. 10, n. 3, p. 206-230, 2017.

LEITE, Bruno Silva. Estudo do corpus latente da internet sobre as metodologias ativas e tecnologias digitais no ensino das Ciências. Pesquisa e Ensino, 1, e202012. 2020.

LEITE, Bruno Silva. Tecnologias no ensino de química: passado, presente e futuro. Scientia Naturalis, v. 1, n. 3, p. 326-340, 2019.

LEITE, Bruno Silva. Tecnologias no Ensino de Química: teoria e prática na formação docente. Curitiba: Appris, 2015.

LEITE, Bruno Silva; LEÃO, Marcelo Brito Carneiro. Contribuição da Web 2.0 como ferramenta de aprendizagem: um estudo de caso. Revista Brasileira de Ensino de Ciência e Tecnologia, v. 8, n. 4, p. 288-315, 2015.

MARTINS, Gilberto de Andrade; THEÓPHILO, Carlos Renato. Metodologia da investigação científica para ciências sociais aplicadas. São Paulo: Atlas, 2007.

MENESES, Elionay Quirós. Recursos didácticos digitales: medios innovadores para el trabajo colaborativo en línea. Revista Electrónica Educare, v. 13, n. 2, p. 47-62, 2009.

OKOLI, Chitu. A guide to conducting a standalone systematic literature review. Communications of the Association for Information Systems, v. 37, n. 43, p. 879–910, 2015.

OLIVEIRA, Fabio Caires de; MILANI JÚNIOR, João; CARVALHO, José Wilson Pires. Uso de aplicativos no ensino de química orgânica na percepção de discentes. Revista Educação e Cultura Contemporânea, v. 17, n. 49, p. 86-103, 2020.

PRETTO, Nelson De Luca; PASSOS, Maria Sigmar Coutinho. Formação ou Capacitação em TIC? Reflexões sobre as Diretrizes da UNESCO. Revista Docência e Cibercultura, v. 1, n. 1, p. 9-32, 2017.

REIS, Rafaela da Silva; LEITE, Bruno Silva; LEÃO, Marcelo Brito Carneiro. Apropriação das Tecnologias da Informação e Comunicação no ensino de ciências: uma revisão sistemática da última década (2007-2016). RENOTE - Revista Novas Tecnologias na Educação, v. 15, n. 2, p. 1-10, 2017.

REIS, Rafaela da Silva; LEITE, Bruno Silva; LEÃO, Marcelo Brito Carneiro. Percepções sobre a incorporação das TIC em cursos de licenciatura em Química no Brasil. Revista Debates em Educação, v. 11, n. 23, p. 01-18, 2019.

RIBEIRO, Geize Kelle Nunes; NOBRE-SILVA, Nara Aline. Construção e aplicação de um objeto virtual de aprendizagem (OVA) para o ensino de química: abordagem da temática sabão. Revista Brasileira de Ensino de Ciência e Tecnologia, v.13, n. 1, p. 294-313, 2020.

ROCHA, Kionnys Novaes; ALMEIDA, Nayron Morais; SOARES, Cecília Regina Galdino; SILVA, Luís Fernando Maia Santos. Q-LIBRAS: um jogo educacional para estimular alunos surdos à aprendizagem de Química. Revista Educação Especial, v. 32, p. 1-14, 2019.

ROSA, Marcelo Prado Amaral; EICHLER, Marcelo Leandro; CATELLI, Francisco. “Quem me salva de ti?”: representações docentes sobre a tecnologia digital. Ensaio Pesquisa em Educação em Ciências, v. 17, n. 1, p. 84-104, 2015.

SAMPAIO, Rosana Ferreira; MANCINI, Marisa Cotta. Estudos de Revisão Sistemática: um guia para síntese criteriosa da evidência científica. Revista Brasileira de Fisioterapia, São Carlos, v. 11, n. 1, p. 83-89, 2007.

SANTOS, Wildson Luiz Pereira dos; SCHNETZLER, Roseli Pacheco. Educação em Química: Compromisso com a cidadania. Ijuí: Unijuí, 2010.

SCHNETZLER, Roseli Pacheco. A pesquisa em ensino de química no Brasil: conquistas e perspectivas. Química nova, v. 25, p. 14-24, 2002.

SIQUEIRA, Francielle; SANTIN FILHO, Ourides; CIRINO, Marcelo Maia. Utilização e avaliação de software educacional para ensino de equilíbrio químico. Revista Brasileira de Ensino de Ciência e Tecnologia, v. 11, n. 1, p. 88-105, 2018.

SOARES, Márlon Herbert Flora Barbosa; MESQUITA, Nyuara Araújo da Silva; REZENDE, Daisy de Brito. O ensino de química e os 40 anos da SBQ: o desafio do crescimento e os novos horizontes. Química Nova, v. 40, n. 6, p. 656-662, 2017.

SOUZA, Jéssica Itaiane Ramos de; LEITE, Quesia dos Santos Souza; LEITE, Bruno Silva. Avaliação das dificuldades dos ingressos no curso de licenciatura em Química no sertão pernambucano. Revista Docência do Ensino Superior, v. 5, p. 135-159, 2015.

THE COCHRANE COLLABORATION. Glossary of terms in The Cochrane Collaboration [Internet]. Version 4.2.5. London: The Cochrane Collaboration; 2005. Disponível em: <http://community.cochrane.org/glossary>. Acessado em 9 fev. 2021.

TINÓS, Lúcia Maria Santos, MAZER-GONÇALVES, Sheila Maria; FANTACINI, Isabella Maria Cruz; VICCARI, Gabriella. Revisão sistemática sobre a publicação científica brasileira na base de dados SciELO sobre pedagogia hospitalar. Debates em Educação, v. 10, n. 20, p. 238, 2018.

UNESCO. Padrões de competência em TIC para professores: diretrizes de implementação. Versão 1.0. Paris: UNESCO, 2008.

UNESCO. UNESCO ICT competency framework for teachers. Paris: France, 2018.

Downloads

Publicado

2021-11-30

Como Citar

LEITE, Bruno Silva. Pesquisas sobre as tecnologias digitais no ensino de química . Debates em Educação, [S. l.], v. 13, n. Esp2, p. 244–269, 2021. DOI: 10.28998/2175-6600.2021v13nEsp2p244-269. Disponível em: https://seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/13055. Acesso em: 25 jul. 2024.

Edição

Seção

Dossiê: Formação Docente em Química: foco e intersecções para ampliar o entendim

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.