O cenário da formação de professores no Brasil nos vinte anos da atual LDB

Francisco Thiago Silva, Lívia Freitas Fonseca Borges

Resumo


Passados vinte anos da promulgação da nossa LDB 9394/96, tecemos algumas considerações em torno das questões atinentes à formação de professores no Brasil, buscando destacar avanços e recuos nas políticas públicas educacionais nas licenciaturas. Por meio de análise documental e levantamento bibliográfico, concluímos que este é um campo de investigação bastante explorado, mas ainda detento de questões candentes, a exemplo da avalanche conservadora que tomou conta do país nos últimos três anos para prover reformas na Educação Básica. A política de formação de professores no Brasil conta com excesso de instrumentos normativos e carência de recursos financeiros e materiais.


Palavras-chave


Formação de professores no Brasil. Vinte anos de LDB

Texto completo:

PDF

Referências


ADORNO, Theodor W. Educação e emancipação. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2006.

BACHELARD, Gaston. A formação do espírito científico: contribuição para uma psicanálise do conhecimento. Rio de Janeiro: Contraponto, 1996.

BRASIL. Presidência da República. Medida Provisória Nº 746 de 22 de setembro de 2016.

BRASIL. Resolução CNE/CP nº 2/2015. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação Inicial e Continuada dos Profissionais do Magistério da Educação Básica.

BRZEZNSKI, Iria (Org.). LDB dez anos depois: reinterpretação sob diversos olhares São Paulo: Cortez Editora, 2008.

BORGES, M. C.; AQUINO, O. F.; PUENTES, R. V. Formação de professores no Brasil: história, políticas e perspectivas. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, n. 42, p. 94-112, jun. 2011.

BORGES, Lívia Freitas Fonseca. Um currículo para a formação de professores. In: VEIGA, I. P. A.; SILVA, E. F. (Orgs.). A escola mudou. Que mude a formação de professores! Campinas, São Paulo: Papirus, 2010.

CAMBI, Franco. História da pedagogia. São Paulo: Fundação Editora da Unesp, 1999.

CARNEIRO, Waldeck; ARAÚJO, Flávia; PAIVA, Fernando; NEPTUNE, Romã. Institutos Superiores de Educação no Brasil: análise de uma política outorgada pela LDBEN 9394/96. IV Colóquio Internacional de Educação e Contemporaneidade, 2010, São Cristóvão – SE. Educação e Contemporaneidade. São Cristóvão: UFS, 2010, pp. 1-14.

CARVALHO, Djalma Pacheco de. A Nova Lei de Diretrizes e Bases e a Formação de Professores para a Educação Básica. Revista Ciênc. educ. (Bauru), vol.5, no.2, 1998.

DAVIES, Nicholas. Legislação educacional federal básica. São Paulo: Cortez, 2010.

FERRETTI, Celso João. Uma nova proposta de orientação profissional. São Paulo: Cortez, 1997.

FREITAS, Luís Carlos de. Responsabilização, meritocracia e privatização: conseguiremos escapar ao neotecnicismo. Trabalho apresentado no III Seminário de Educação Brasileira, Cedes-Unicamp, v. 28, 2011.

FRIGOTTO, Gaudêncio. “Escola sem partido”: imposição da mordaça aos educadores.2016. Disponível em: http://cpers.com.br/escola-sem-partido-imposicao-da-mordaca-aos-educadores/. Acesso em: 11/07/2016.

GATTI, Bernadete Angelina; BARRETTO, E. S. de S. Professores do Brasil: impasses e desafios. Brasília: Unesco, 2009.

HOBSBAWM, Eric. A Era das Revoluções – 1789-1848. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1996.

IMBERNÓN, Francisco. Formação docente e profissional: forma-se para a mudança e a incerteza. São Paulo: Cortez, 2005.

LIBÂBNEO, José Carlos; PIMENTA, Selma Garrido. Formação dos profissionais da educação: visão crítica e perspectivas de mudança. In: PIMENTA, Selma Garrido (Org.). Pedagogia e pedagogos: caminhos e perspectivas. São Paulo: Cortez, 2011.

LIBÂBNEO, José Carlos. Adeus professor, adeus professora?: novas exigências educacionais e profissão docente. São Paulo: Cortez, 2010.

LIBÂNEO, José Carlos. Que destino os pedagogos darão à pedagogia? In: PIMENTA, Selma Garrido (Coord.). Pedagogia, ciência da educação? São Paulo: Cortez, 2006.

MACEDO, Elizabeth. Base Nacional Curricular Comum: novas formas de sociabilidade produzindo sentidos para a educação. Revista e-Curriculum, São Paulo, v. 12, n. 03 p.1530 - 1555 out./dez. 2014.

MACHADO, Juliana Lacerda; PAIXÃO, Divaneide Lira Lima. A educação superior e as políticas de formação para professores da educação básica. In: GUIMARÃES-IOSIF, Ranilce; ZARDO, Sinara Pollom; SANTOS, Aline Veiga (Orgs.). Educação Superior: conjunturas, políticas e perspectivas. Brasília: Liber Livro, 2015.

MALANCHEN, Julia. Cultura, Conhecimento e Currículo: contribuições da pedagogia histórico-crítica. Campinas, SP: Autores Associados, 2016.

MELO, Maria Teresa Leitão de. Programas Oficiais para a Formação dos Professores da Educação Básica. Revista Educação & Sociedade, ano XX, nº 68, Dezembro/99.

MELLO, Guiomar Namo de. Formação Inicial de Professores para a Educação Básica: uma (re)visão radical.Revista Em Perspectiva. 14 (1) São Paulo, 2000.

NAGLE, Jorge. Educação e Sociedade na Primeira República. Rio de Janeiro: DP&A, 2001.

NÓVOA, António. O passado e o presente dos professores. In: NÓVOA, António (Org.). Profissão professor. Porto: Porto Editora, 1999.

PEREIRA, Julio Emílio Diniz. Formação de professores da Educação Básica no Brasil no limiar dos 20 anos da LDBEN. Notandum 42 set-dez 2016 – CEMOrOC - Feusp / IJI-Univ. do Porto, 2016.

ROCHA, Maria Izabel. Otimismo pedagógico. In: FIDALGO; Fernando; MACHADO, Lucília. Dicionário da educação profissional. Belo Horizonte, Ed. UFMG, 2000.

SANTOS, Jailson Alves dos. A trajetória da Educação Profissional. In: LOPES, Eliane Marta Teixeira; FILHO, Luciano Mendes Faria; VEIGA, Cynthia Greive. 500 Anos de Educação no Brasil. Belo Horizonte: Autêntica, 2003.

SAVIANI, Dermeval. A nova lei da educação: trajetória, limites e perspectivas. Campinas, SP: Autores Associados, 2004.

____________________.Pedagogia e formação de professores no Brasil: vicissitudes dos dois últimos séculos”, apresentado na sessão de Comunicação Coordenada Permanências e mudanças na educação brasileira – séculos XIX e XX, no IV Congresso Brasileiro de História da Educação, realizado em Goiânia (GO) de 5 a 8 de novembro de 2006.

____________________.A pedagogia no Brasil: história e teoria. Campinas: Autores Associados, 2012.

____________________.História do Tempo e Tempo da História: estudos de historiografia e história da educação. Campinas, SP: Autores Associados, 2015.

SILVA, Francisco Thiago. Currículo Festivo e Educação das Relações Raciais. Rio Grande: Pluscom Editora, 2015.

SILVA, Tomaz Tadeu da. Apresentação. In: PUCCI (org.). Teoria Crítica e Educação: a questão da formação cultural na Escola de Frankfurt. Petrópolis, RJ: Vozes; São Carlos, SP: EDUFSCAR, 2007.

.




DOI: https://doi.org/10.28998/2175-6600.2019v11n25p139-154

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

_________________________________________________________________________________________________________________________

CONTATO:

E-mail: debatesemeducacao@gmail.com

Universidade Federal de Alagoas – UFAL
Centro de Educação – CEDU
Programa de Pós-graduação em Educação – PPGE
Campus A. C. Simões
Av. Lourival Melo Mota, s/n - Tabuleiro do Martins
57072-900 - Maceió - AL, Brasil.
Telefone: +55 82 3214 1196
Link: http://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/

ISSN ELETRÔNICO: 2175-6600

DOI (Digital Object Identifier - Identificador de Objeto Digital)

Em 14 de dezembro de 2017, a Revista Debates em Educação passou a atribuir o DOI às suas publicações, padrão para identificação de documentos em redes digitais. 

Prefixo: 10.28998/2175-6600

QUALIS/CAPES (2013 - 2016):

– Ensino B1
– Interdisciplinar B4
– Letras / Linguística B4
– Psicologia B4
– Comunicação e Informação B4
– Sociologia B4
– Educação B5

PERIODICIDADE – QUADRIMESTRAL

De 2009 a 2016, a periodicidade da Revista Debates em Educação era semestral. A partir de 2017, a revista se tornou quadrimestral, de acordo com as datas abaixo:

– Primeiro quadrimestre: jan./abr. - limite para publicar a edição 30 abril.
– Segundo quadrimestre: maio/ago. - limite para publicar a edição 31 agosto.
– Terceiro quadrimestre: set./dez. - limite para publicar a edição 31 dezembro.

Os dizeres acima dizem respeito somente à data de publicação da edição e não ao envio de artigos.

O recebimento de artigos caracteriza-se por fluxo contínuo sem que seja possível prever a data de sua publicação.

________________________________________________________________________________________________________________________

A Revista Debates em Educação foi contemplada com o Edital Fapeal Nº 5/2016 Apoio à Editoração e Publicação de Periódicos Científicos e com o Edital Fapeal Nº 9/2018 Apoio à Editoração e Publicação de Periódicos Científicos.

________________________________________________________________________________________________________________________

A Revista Debates em Educação está indexada nas seguintes bases científicas.

 

. Open Journal Systems (OJS);

. Portal de Periódicos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES);

. Sistema Regional de Información en Línea para Revistas Científicas de América Latina, el Caribe, España y Portugal (Latindex);

. Citas Latinoamericanas en Ciencias Sociales y Humanidades (CLASE);

. Diretório de Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras (Diadorim);

. Directory of Open Access Journals (DOAJ);

Indice de Revistas de Educación Superior e Investigación Educativa (IRESIE);

European Reference Index for the Humanities (ERIH);

. Google Scholar;

. Clasificación Integrada de Revistas Científicas (CIRC);

. Periódicos de livre acesso (LivRe);

. Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Cientifico (REDIB);

. Sumários de Revistas Brasileiras (Sumários.org);

. Journals for Free (J4F);

. Information Matrix for the Analysis of Journals (MIAR);

. Directory of Research Journals Indexing (DRJI);

. Elektronische Zeitschriftenbibliothek (EZB);

. Bielefeld Academic Search Engine (BASE);

. World Catalog (WorldCat);

Finna | Satakunta University of Applied Sciences Library;

. CiteFactor;

International Institute of Organized Research (I2OR).

 

                 

_________________________________________________________________________________________________________________________

Licença Creative Commons

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.