O diálogo como auxiliar no processo de inclusão em escolas que atendem populações em condição de vulnerabilidade social

Matheus Marques Neumann, Marcos Vinicius de Araújo

Resumo


Esta pesquisa intervenção foi realizada com professores de uma escola Municipal situada no extremo leste da cidade de São Paulo, que lecionam crianças e adolescentes residentes em território de vulnerabilidade social a fim de investigar as dificuldades relacionadas à sua prática diária e oferecer um espaço de troca de experiência profissional. Foram feitas oito observações em uma sala de ensino fundamental II do sexto ano, e três encontros de grupos focais com os professores do Ensino Fundamental I e II. Neste contexto, os dados revelaram dificuldades relacionada à indisciplina e à continuidade da aula, a ausência de espaços de trocas de experiência profissional, apontando para a necessidade de criação de mais espaços dentro da escola em que estes tenham voz e possam discutir sua prática.


Palavras-chave


Práticas Docentes; Inclusão; Vulnerabilidade Social.

Texto completo:

PDF

Referências


BACKES, D.S.; COLOMÉ, J.S.; ERDMANN R. H.; LUNARDI, V. L. Grupo focal como técnica de coleta e análise de dados em pesquisas qualitativas. Mundo saúde [impresso], v. 35, n. 4, p. 438-442, 2011

BATISTA, A. A. G. Alfabetização, leitura e esnino de protuguês: desafios e perspectivas curriculares. Revista Contemporânea de Educação, v.6, n. 12, p. 10-35, 2001.

BONAMINO, A; COSCARELLI, C; FRANCO, C. Avaliação e letramento: concepções de aluno letrado subjacentes ao SAEB e PISA. Educação & Sociedade, Campinas, v.26, n.81, p. 91-113, 2002.

BRANÈZ, L. N. F.; Observação em sala de aula de Lingua Estrangeira: um processo inicial de reflexão crítica? the ESPecialist,São Paulo, vol. 34, no.2 p.132-151, 2013.

BRASIL. Declaração de Salamanca e Linha de Ação sobre Necessidades Educativas Especiais. CORDE. Brasília: 1994.

BRASIL. Lei n° 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Ministério da Educação e do Desporto. Brasília: 1996.

BRASIL. MEC. Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. Brasília, 2008.

BRASIL. Ministério da Educação. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisa Educacional Anísio Teixeira (INEP). Censo Escolar da Educação Básica. MEC/INEP. Brasília: 2013.

BUSSO, G. Vulnerabilidad Social: nociones e implicancias de políticas para latinoamerica a inicios del siglo XXI. Santiago, Chile: CEPAL, 2001.

CHIZOTTI, A. A pesquisa qualitativa em ciências humanas e sociais: evoluções e desafios. Revista Portuguesa de Educação, v. 16, n. 2, p. 221-236, 2003.

DIAS, C. Grupo focal: técnica de coleta de dados em pesquisas qualitativas. Revista Informação e Sociedade. João Pessoa: Editora Universitária, v.10, n.2, p.141-158, 2000.

JUNIOR, E. G.; LIPP M. E. N. (2008) Estresse entre professoras do ensino fundamental de escolas públicas estaduais Psicol. estud. [online]., vol.13, n.4, p.847-857, 2008.

MANTOAN, M.T.E. Uma escola de todos, para todos e com todos: o mote da inclusão. Disponivel em http://www.lite.fe.unicamp.br/papet/2003/ep403/uma_escola_de_todos.htm Acesso em 03/01/2017.

MENDES, E. G.; ALMEIDA, M. A.; TOYODA, C. Y. Inclusão escolar pela via da colaboração entre educação especial e educação regular. Educ. rev. [online]. V.1, n.41, p.80-93, 2011.

REY, F. G. Pesquisa qualitativa em psicologia: caminhos e desafios.1 ed. Pioneira Thomson Learning. São Paulo: 2005.

SALVADOR, D.S.C.O.; MOURA, D. H.; SILVA, J. A. A.; MAIA, S. F. Processo educacional inclusivo: das discussões teóricas à necessidade da prática. HOLOS, v. 1, n. 1, p. 11-23, 2006.

SANT'ANNA, M, J. O papel do território na configuração das oportunidades educativas: efeito escola e efeito vizinhança. In: Cerneiro, S. de S.; Sant'anna, M, J.Cidades, olhares, trajetórias. Rio de Janeiro: Garamond, 2009.

UNICEF. Declaração Mundial sobre Educação para Todos. Plano de ação para satisfazer as necessidades básicas de aprendizagem, Aprovada pela Conferência Mundial sobre Educação para Todos. Jomtien, Tailândia, 1990.




DOI: https://doi.org/10.28998/2175-6600.2020v12n26p124-142

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

_________________________________________________________________________________________________________________________

CONTATO:

E-mail: debatesemeducacao@gmail.com

Universidade Federal de Alagoas – UFAL
Centro de Educação – CEDU
Programa de Pós-graduação em Educação – PPGE
Campus A. C. Simões
Av. Lourival Melo Mota, s/n - Tabuleiro do Martins
57072-900 - Maceió - AL, Brasil.
Telefone: +55 82 3214 1196
Link: http://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/

ISSN ELETRÔNICO: 2175-6600

DOI (Digital Object Identifier - Identificador de Objeto Digital)

Em 14 de dezembro de 2017, a Revista Debates em Educação passou a atribuir o DOI às suas publicações, padrão para identificação de documentos em redes digitais. 

Prefixo: 10.28998/2175-6600

QUALIS/CAPES (2013 - 2016):

– Ensino B1
– Interdisciplinar B4
– Letras / Linguística B4
– Psicologia B4
– Comunicação e Informação B4
– Sociologia B4
– Educação B5

PERIODICIDADE – QUADRIMESTRAL

De 2009 a 2016, a periodicidade da Revista Debates em Educação era semestral. A partir de 2017, a revista se tornou quadrimestral, de acordo com as datas abaixo:

– Primeiro quadrimestre: jan./abr. - limite para publicar a edição 30 abril.
– Segundo quadrimestre: maio/ago. - limite para publicar a edição 31 agosto.
– Terceiro quadrimestre: set./dez. - limite para publicar a edição 31 dezembro.

Os dizeres acima dizem respeito somente à data de publicação da edição e não ao envio de artigos.

O recebimento de artigos caracteriza-se por fluxo contínuo sem que seja possível prever a data de sua publicação.

________________________________________________________________________________________________________________________

A Revista Debates em Educação foi contemplada com o Edital Fapeal Nº 5/2016 Apoio à Editoração e Publicação de Periódicos Científicos e com o Edital Fapeal Nº 9/2018 Apoio à Editoração e Publicação de Periódicos Científicos.

________________________________________________________________________________________________________________________

A Revista Debates em Educação está indexada nas seguintes bases científicas.

 

. Open Journal Systems (OJS);

. Portal de Periódicos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES);

. Sistema Regional de Información en Línea para Revistas Científicas de América Latina, el Caribe, España y Portugal (Latindex);

. Citas Latinoamericanas en Ciencias Sociales y Humanidades (CLASE);

. Diretório de Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras (Diadorim);

. Directory of Open Access Journals (DOAJ);

Indice de Revistas de Educación Superior e Investigación Educativa (IRESIE);

European Reference Index for the Humanities (ERIH);

. Google Scholar;

. Clasificación Integrada de Revistas Científicas (CIRC);

. Periódicos de livre acesso (LivRe);

. Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Cientifico (REDIB);

. Sumários de Revistas Brasileiras (Sumários.org);

. Journals for Free (J4F);

. Information Matrix for the Analysis of Journals (MIAR);

. Directory of Research Journals Indexing (DRJI);

. Elektronische Zeitschriftenbibliothek (EZB);

. Bielefeld Academic Search Engine (BASE);

. World Catalog (WorldCat);

Finna | Satakunta University of Applied Sciences Library;

. CiteFactor;

International Institute of Organized Research (I2OR).

 

                 

_________________________________________________________________________________________________________________________

Licença Creative Commons

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.