DUA e tecnologias assistivas como estratégias pedagógicas inclusivas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.28998/2175-6600.2024v16n38pe15868

Palavras-chave:

Desenho Universal para Aprendizagem, Tecnologia Assistiva, Formação docente, Inclusão

Resumo

A inclusão educacional é um direito orientado e normatizado em diversos documentos nacionais e internacionais. Partindo dessa premissa, este trabalho teve por objetivo analisar os conhecimentos dos professores participantes da pesquisa sobre os conceitos do Desenho Universal para Aprendizagem e Tecnologia Assistiva, em dois momentos, um anterior a formação e outro posterior. Utilizamos uma metodologia de abordagem quanti-qualitativa, do tipo exploratória. Os resultados mostraram que os participantes não conheciam os conceitos e que, após conhecê-los terão melhores possibilidades de desenvolver práticas pedagógicas inclusivas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Elaine Alves Leite, Universidade Federal Fluminense

Doutoranda do Programa de Pós-graduação em Ciências, Tecnologias e Inclusão (PGCTIn)? Doutorado Acadêmico. Mestre em Diversidade e Inclusão (CMPDI/UFF - 2022); Especialista em Psicopedagogia Institucional e Clínica; Especialista em Gestão e Implantação da Educação a Distância pela UFF (2017); Especialista em Letras: Português e Literatura (2014); Possui licenciatura e bacharelado em Letras: Português/ Francês/ Literaturas pela UERJ (2010) e licenciatura em Letras/ Inglês pela Universidade Estácio de Sá; Organizadora e coordenadora geral do I Seminário Internacional de Pensamento Computacional para Inclusão; Professora de Língua Portuguesa no Município de Itaguaí/RJ (2012-2022); Mediadora presencial do Consórcio CEDERJ/CECIERJ, curso de Pedagogia/ UERJ, mediando as disciplinas de: Língua Portuguesa Instrumental, Língua Portuguesa na Educação 1, Língua Portuguesa na Educação 2 e Literatura na Formação do Leitor (2011- 2023); Diretora Adjunta da Escola Municipal Professora Maria Guilhermina Alves Portilho, da Rede Municipal do Rio de Janeiro (2018-2021); Coordenadora pedagógica da Escola Municipal Ginásio Medalhista Olímpico Thiago Braz da Silva, da Rede Municipal do Rio de Janeiro (2017- 2018); Diretora adjunta da Creche Municipal Vovô Benta, da Rede Municipal do Rio de Janeiro (2016).

Ruth Maria Mariani Braz, Professora convidada da Universidade Federal Fluminense

Pós-doc no programa de pós- graduação em Ciências, Tecnologia e Inclusão da Universidade Federal Fluminense. Doutora em Ciências e Biotecnologia, do Instituto de Biologia da Universidade Federal Fluminense; Reconhecido o nível pela Universidade do Minho do doutoramento em ciências da Educação e realizei o doutoramento sanduiche na Universidade do Porto. Especialista ?Lato Sensu? em Educação Física Especial (Universidade Castelo Branco). Tenho a graduação em Licenciatura Plena em Educação Física pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ) . Sou professor docente I - Secretária de Educação do Estado do Rio de Janeiro e professor do Curso de mestrado profissional em Diversidade e Inclusão da UFF. Atuei como coordenadora executiva do projeto Internacional Spread The Sign no Brasil e coordeno o núcleo de Inclusão Galileu Galilei e participo do grupo de pesquisa TeCEADI+: Tecnologias Computacionais no ensino e aprendizagem na ótica da Diversidade, Inclusão e Inovação Sou orientadora de alunos do curso de Mestrado Profissional de Diversidade e Inclusão do Instituto de Biologia da UFF. Desenvolvo pesquisas ligada aos temas: Educação Inclusiva, Educação de Surdos, Tecnologia Assistiva, géneros; confeção de materiais didáticos adaptado, didática com o intuito de auxiliar os alunos com deficiências nas classes regulares de ensino, filosofia esta que defendo e é adotada atualmente nas instituições na qual trabalho. Tenho experiência na área de Educação, com ênfase em Educação Inclusiva, tecnologia e didática, atuando principalmente nos seguintes temas: formação de docentes, políticas publicas, diversidade, Interdisciplinaridade, sensibilização, adaptação e confecção de materiais didáticos e brincar. https://orcid.org/0000-0003-2224-9643 https://www.researchgate.net/profile/Ruth-Mariani-Braz

Sérgio Coelho Crespo da Silva Pinto, Professor Adjunto da Universidade Federal Fluminense

Professor Adjunto na Universidade Federal Fluminense UFF. Coordenador do Programa de Doutorado em Ciência, Tecnologia e Inclusão da UFF. Líder do grupo de pesquisa CNPq: TeCEADI+: Tecnologias Computacionais no ensino e aprendizagem na ótica da Diversidade, Inclusão e Inovação. É professor convidado no Programa de Mestrado em TICs na Universidade Tecnológica do Panamá. Possui graduação em Tecnólogo Em Processamento de Dados pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (1987), Mestrado em Engenharia de Sistemas e Computação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro - COPPE-Sistemas (1995) e Doutorado em Informática pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (2000). Atuou como professor Titular da Universidade do Vale do Rio dos Sinos de 1990 a 2013, - Fez parte do comitê editorial da Revista Brasileira de Informática na Educação (1414-5685) . Passou de Abril de 2013 a Novembro de 2013 como Professor Visitante no DCC-UFMG. Tem experiência na área de Ciência da Computação, com ênfase em Engenharia de Software, atuando principalmente nos seguintes temas: Diversidade e Inclusão, Educação a Distância, Informática na Educação e engenharia de software aplicada a educação.

Referências

ALVES LEITE, E.; PINTO DA SILVA, S.C.C; MARIANI BRAZ, R.M. O pensamento computacional para a inclusão. ISBN: 978 65 00 49330 6. Rio de Janeiro, Câmara Brasileira do Livro, 2022 Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/365993463_Pensamento_computacional_e_Inclusao

ALVES, M. M.; RIBEIRO, J.; SIMÕES, F. Universal Design for Learning: contributos de uma escola para todos. Indagatio Didactica, Aveiro, v. 5, n. 4, p. 121-146, 2013. Disponível em: https://proa.ua.pt/index.php/id/article/view/4290/3224 . Acesso em: 02 abr. 2022.

BERSCH, Rita de Cássia Reckziegel. Design de um serviço de tecnologia assistiva em escolas públicas. 2009. Disponível em: https://lume.ufrgs.br/handle/10183/18299 Acesso em 02/02/2023.

BERSCH, Rita. Introdução à Tecnologia Assistiva. Porto Alegre: Assistiva, 2017. Disponível em: https://bityli.com/rzkef. Acesso em: 29 dez. 2022.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal, 1988. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm Acesso em 21/02/2023.

BRASIL, Declaração de Salamanca, sobre princípios e práticas na área das necessidades educativas especiais. Brasília, DF, 1994. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/salamanca.pdf . Acesso em: 10 maio 2022.

BRASIL. Lei n. 9.394/96, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm . Acesso em: 10 maio 2022.

BRASIL. Ministério da Educação. Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. Brasília, DF: MEC, 2008. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/politicaeducespecial.pdf . Acesso em: 10 maio 2022.

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Plano Nacional de Educação PNE 2014-2024: Linha de Base. Brasília, DF: Inep, 2015.

Disponível em: https://pne.mec.gov.br/ . Acesso em: 10/02/2023

BRASIL. Diretrizes Operacionais para o Atendimento Educacional Especializado na Educação Básica, modalidade Educação Especial. Resolução 4. Brasília, 2009. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/rceb004_09.pdf . Acesso em: 21/02/2023.

CALHEIROS, D.S.; MENDES, E. G.; LOURENÇO, G. F. Considerações acerca da tecnologia assistiva no cenário educacional brasileiro. Revista de Educação Especial, Santa Maria, v. 31, n. 60, p. 229-244, mar. 2018. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/educacaoespecial . Acesso em: 08 jul. 2022.

CAST, Center for Applied Special Technology. 2011. Disponível em: http://www.cast.org/udl/ . Acesso em: 15 abr. 2022

Center for Applied Special Technology [CAST]. (2014). Consultado em: http://www.cast.org/udl/index.html . Acesso em: 21/02/2023.

CUCCIA, Tiziana; GUCCIO, Calogero; RIZZO, Ilde. The effects of UNESCO World Heritage List inscription on tourism destinations performance in Italian regions. Economic Modelling, v. 53, p. 494-508, 2016. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/S0264999315003454 Acesso em: 21/02/2023.

GALVÃO FILHO, Teófilo A. A construção do Conceito de Tecnologia Assistiva: Alguns novos interrogantes e desafios. 2013. Disponível em: http://www.galvaofilho.net/TA_desafios .htm . Acesso em: 22 ago. 2022.

I SIPCI 2022. Tecnología Assistiva: Múltiplos enfoques, You Tube, 19 de março de 2022. Disponível em: https://youtube.com/live/arSOCWWstZ4

I SIPCI 2022. O Desenho Universal para Aprendizagem, You Tube, 18 de março de 2022. Disponível em: https://youtube.com/live/7pYfDkwkvuU

I SIPCI 2022.Elaborando Recursos de Baixa Tecnologia, You Tube, 19 de março de 2022. Disponível em: https://youtube.com/live/TwWtEnFr4N4

I SIPCI 2022. Tradução audiovisual acessível: audiodescrição, You Tube, 19 de março de 2022. Disponível em: https://youtube.com/live/M5rOfhtTLZE

I SIPCI 2022.Oficina: Acessibilidade dos Materiais Digitais, You Tube, 19 de março de 2022. Disponível em: https://youtube.com/live/GSdHIQfOoWc

I SIPCI 2022.Oficina: Elaborando uma aula através da abordagem do Desenho Universal para Aprendizagem, You Tube, 18 de março de 2022. Disponível em: https://youtube.com/live/Bci94sOdumA

MARIN, M.; BRAUN, P. Currículo e Diferenciação Pedagógica – uma prática de exclusão? Revista Exitus, Santarém/PA, Vol. 10, p. 1-27, e 0200010, 2020. Disponível em http:// https://bityli.com/wgGUlfC

MEYER, A., ROSE, D. H., & GORDON, D. (2014). Universal design for learning: Theory and practice. Wakefield: CAST Professional Publishing. Disponível em: https://www.cast.org/products-services/resources/2014/universal-design-learning-theory-practice-udl-meyer . Acesso em 21/02/2023.

MANTOAN, Maria Teresa Eglér; PIETO, Rosangela Gavioli; ARANTES, Valeria Amorim. Inclusão escolar: pontos e contrapontos. São Paulo: Summus, 2006. Disponível em: https://shre.ink/chye Acesso em 21/02/2023

MANTOAN, M. T. E. e LANUTI, J.E.O.E., A escola que queremos para todos. Editora CRV. ISBN-13 ‏ : ‎ 978-6525130323. São Paulo, Brasil. 2022

NUNES, Sylvia da Silveira; SAIA, Ana Lucia; TAVARES, Rosana Elizete. Educação inclusiva: entre a história, os preconceitos, a escola e a família. Psicologia: ciência e profissão, 2015, 35: 1106-1119. Disponível em: https://www.scielo.br/j/pcp/a/gtPdzXy4yHrX9Lz9txCtQ7c/abstract/?lang=pt Acesso em: 4/2/2023.

PLETSCH, Marcia Denise. A escolarização de pessoas com deficiência intelectual no Brasil: da institucionalização às políticas de inclusão (1973-2013). Education Policy Analysis Archives/Archivos Analíticos de Políticas Educativas, v. 22, p. 1-25, 2014.

PLETSCH, Márcia Denise; DE OLIVEIRA, Mariana Corrêa Pitanga; DE ARAÚJO, Daniele Francisco. Considerações sobre a escolarização de crianças e jovens com deficiência intelectual. Perspectivas em Diálogo: revista de educação e sociedade, v. 2, n. 3, p. 39-49, 2015.

PLETSCH M. D. SOUZA F. F. ORLEANS L. F. A Diferenciação Curricular e o Desenho Universal para Aprendizagem como princípio para inclusão escolar. Revista Educação e Cultura Contemporânea 142642812017. Disponível em: Acesso em: 06 agosto 2019. Disponível em: http://periodicos.estacio.br/index.php/reeduc/article/viewArticle/3114 Acesso em: 21/02/2023.

PRAIS, Jacqueline Lidiane de Souza; ROSA, Hallison Fernando; JESUS, Adriana Regina de. Currículo e inclusão educacional: percepções de docentes da educação básica. Roteiro, [S.L.], v. 43, n. 1, p. 317-344, 11 abr. 2018. Universidade do Oeste de Santa Catarina. Disponível em: https://bityli.com/nnamxU. Acesso em: 16 mar. 2021.

RODRIGUES, Patrícia Rocha; ALVES, Lynn Rosalina Gama. Tecnologia assistiva-uma revisão do tema. 2013.

UNESCO. Relatório de Monitoramento Global da Educação, 2020. Disponível em: Relatório de monitoramento global da educação – resumo, 2020: Inclusão e educação: todos, sem exceção - UNESCO Digital Library. Acesso em 14 out. 2020.

ZERBATO, A. P. Desenho universal para aprendizagem na perspectiva da inclusão escolar: potencialidades e limites de uma formação colaborativa. 2018. 298 f. Tese (Doutorado em educação especial) – Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2018.

Downloads

Publicado

2024-01-30

Como Citar

LEITE, Elaine Alves; BRAZ, Ruth Maria Mariani; PINTO, Sérgio Coelho Crespo da Silva. DUA e tecnologias assistivas como estratégias pedagógicas inclusivas. Debates em Educação, [S. l.], v. 16, n. 38, p. e15868, 2024. DOI: 10.28998/2175-6600.2024v16n38pe15868. Disponível em: https://seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/15868. Acesso em: 13 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.