Ensino de História: efeitos de estratégias pedagógicas fundamentadas na neuroeducação

Osnar da Costa, Aparecida Maria Bernardo Matos, Iracema Campos Cusati, Rita di Cássia de Oliveira Angelo

Resumo


A diversificação de estímulos sensoriais nas estratégias pedagógicas, aumenta o foco atencional e melhora o rendimento escolar. A partir dessa hipótese, este estudo objetiva apresentar os efeitos de estratégias pedagógicas aplicadas ao ensino de História e fundamentadas na neuroeducação. Trata-se de um estudo transversal com delineamento quase experimental do tipo pré e pós-teste, desenvolvido com 100 escolares do Ensino Médio. A intervenção pedagógica consistiu na estimulação visual, auditiva e cinestésica associadas à aula expositiva. Verificou-se que uma prática pedagógica baseada na estimulação sensorial como ferramenta para manter o foco atencional e melhorar o arquivamento de novas informações, causou efeito na melhora do rendimento escolar.


Palavras-chave


Neurociências; Ensino; História

Texto completo:

PDF

Referências


ABUD, Katia Maria. O ensino de História nos anos iniciais: como se pensa, como se faz. Antíteses, v. 5, n. 10, p. 555-565, 2012. Disponível em: . Acesso em: 12/02/2017.

ANSARI, Daniel; DE SMEDT, Bert; GRABNER, Roland H. Neuroeducation–a critical overview of an emerging field. Neuroethics, v. 5, n. 2, p. 105-117, 2012. Disponível em: . Acesso em> 07/10/2019.

BEAR, Mark F.; CONNORS, Barry W.; PARADISO, Michael A. Neurociências: desvendando o sistema nervoso. São Paulo: Artmed, 2008. 896 p.

COCH, Donna; ANSARI, Daniel. Thinking about mechanisms is crucial to connecting neuroscience and education. cortex, v. 45, n. 4, p. 546-547, 2009. Disponível em: . Acesso em: 12/06/2018.

CUNHA, Kátia Machinez; SHOLL‐FRANCO, Alfred. Cognition and logic: adaptation and application of inclusive teaching materials for hands‐on workshops. Journal of Research in Special Educational Needs, v. 16, p. 696-700, 2016. Disponível em: . Acesso em 07/10/2019.

DE JESUS OLIVEIRA, Bruna; DE SANTICS PIRES, Lígia Maria Lorenzetti; COSTA, Cleberson Franclin Tavares. UMA PAUSA PARA RESPIRAR NA ESCOLA: RELATO DE EXPERIÊNCIA. Caderno de Graduação-Ciências Biológicas e da Saúde-UNIT, v. 5, n. 2, p. 157, 2019. Disponível em: . Acesso em 07/10/2019.

DE LIMA, Ricardo Franco. Suportes básicos e neurofisiologia das práticas meditativas. Lisboa – Portugal: O Portal dos Psicólogos, 2005. Disponível em: . Acesso em 20/04/2018.

DE OLIVEIRA, Gilberto Gonçalves. Neurociências e os processos educativos: um saber necessário na formação de professores. Educação Unisinos, v. 18, n. 1, p. 13-24, 2014. Disponível em: . Acesso em: 07/10/2019.

DEVONSHIRE, Ian M.; DOMMETT, Eleanor J. Neuroscience: viable applications in education? The Neuroscientist, v. 16, n. 4, p. 349-356, 2010. Disponível em: . Acesso em: 12/06/2018.

FERREIRA, Marieta de Moraes; FRANCO, Renato. Aprendendo História: reflexão e ensino. São Paulo: Editora do Brasil, 2009, 143 p.

FLORES, Macyr. Heródoto e a construção da História. Historiæ, v. 1, n. 3, p. 9-16, 2010. Disponível em: . Acesso em: 12/11/2017.

FONSECA, Selva Guimarães. Fazer e ensinar História. Belo Horizonte: Dimensão, 2009, 296 p.

GANZ, Jucelia Santos et al. Programa de estimulação cognitiva" ativamente" para o ensino infantil: a cognitive stimulation program for preschool children. Revista Psicopedagogia, v. 32, n. 97, p. 14-25, 2015. Disponível em: . Acesso em: 03/01/2018.

GOMES, Herica Cambraia; MANRIQUE, Ana Lucia. A Musicalização (Ritmo-Som-Corporeidade) como Intervenção Neurocognitiva de Habilidades Matemáticas. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 6, n. 1, p. 75-83, 2015. Disponível em: . Acesso em: 15/02/2018.

GROSSI, Márcia Gorett Ribeiro et al. Uma reflexão sobre a neurociência e os padrões de aprendizagem: A importância de perceber as diferenças. Debates em Educação, v. 6, n. 12, p. 93, 2014. Disponível em: . Acesso em 07/10/2019.

GROSSI, Márcia Gorett Ribeiro; LEROY, Fernanda Storck; ALMEIDA, Rangel Benedito Sales de. Neurociência: Contribuições e experiências nos diversos tipos de aprendizado. PUC-MINAS: Revista ABAKÓS, Instituto de Ciências Exatas e Informática, 2015, 17 p. Disponível em: . Acesso em: 18/09/2016.

HELENE, André Frazão; XAVIER, Gilberto Fernando. A construção da atenção a partir da memória Building attention from memory. Rev Bras Psiquiatr, v. 25, n. Supl II, p. 12-20, 2003. Disponível em:< http://www.ib.usp.br/~afh/building%20attention%20from%20memory.pdf>. Acesso em: 22/09/2016.

HOOK, Cayce J.; FARAH, Martha J. Neuroscience for educators: what are they seeking, and what are they finding?. Neuroethics, v. 6, n. 2, p. 331-341, 2013. Disponível em: . Acesso em 12/06/2018.

LAVILLE, Christian. A guerra das narrativas: debates e ilusões em torno do ensino de História. Revista Brasileira de História, v. 19, n. 38, p. 125-138, 1999. Disponível em: . Acesso em 07/10/2019.

MATHIAS, Carlos Leonardo Kelmer. O ensino de História no Brasil: contextualização e abordagem historiográfica. História Unisinos, v. 15, n. 1, p. 40-49, 2011. Disponível em: . Acesso em: 12/11/2017.

MOTA, Ilka Oliveira; NIZA, Elizeu Gonçalves. A LEITURA EM UMA ESCOLA PÚBLICA MUNICIPAL DE ARIQUEMES (RO): UM ESTUDO DISCURSIVO. Revista de Estudos Acadêmicos de Letras, v. 11, n. 2, p. 23-51, 2019. Disponível em: . Acesso em: 07/10/2019.

OLIVEIRA, T.M.V. de. Amostragem não probabilística: adequação de situações para uso e limitações de amostras por conveniência, julgamento e quotas. Administração on line, v. 2, n. 3, p. 01-10, 2001. Disponível em: . Acesso em 07/10/2019.

ORLANDI, E. Discurso e leitura. São Paulo: Cortez: Ed. da Unicamp: Campinas, 1988. 118 p.

PESSOA, Luiz; KASTNER, Sabine; UNGERLEIDER, Leslie G. Neuroimaging studies of attention: from modulation of sensory processing to top-down control. Journal of Neuroscience, v. 23, n. 10, p. 3990-3998, 2003. Disponível em: . Acesso em: 24/09/2017.

PINSKY, Jaime; PINSKY, Carla Bassanezi. O QUE E COMO ENSINAR: POR UMA HISTÓRIA PRAZEROSA E CONSEQUENTE. In: KARNAL, Leandro (Org.) História na sala de aula. São Paulo: Contexto, 2010, 216 p.

RODRIGUES, Pedro FS. Processos cognitivos visuoespaciais e ambiente visual circundante: implicações educacionais. Psicologia: Teoria e Pesquisa, v. 32, n. 4, 2016. Disponível em: . Acesso em: 15/05/2018.

SELLTIZ, C.; JAHODA, M.; DEUTSCH, M.; COOK, S. M. Métodos de Pesquisa das Relações Sociais. São Paulo – SP: E.P.U, 1976.

THOMAS, Michael SC; ANSARI, Daniel; KNOWLAND, Victoria CP. Annual Research Review: Educational neuroscience: progress and prospects. Journal of Child Psychology and Psychiatry, v. 60, n. 4, p. 477-492, 2019. Disponível em: . Acesso em: 07/10/2019.

WALDEMAR, J. Ovídio C. et al. Impact of a combined mindfulness and social–emotional learning program on fifth graders in a Brazilian public school setting. Psychology & Neuroscience, v. 9, n. 1, p. 79, 2016. Disponível em: . Acesso em: 07/10/2019.




DOI: https://doi.org/10.28998/2175-6600.2019v11n25p365-384

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

_________________________________________________________________________________________________________________________

CONTATO:

E-mail: debatesemeducacao@gmail.com

Universidade Federal de Alagoas – UFAL
Centro de Educação – CEDU
Programa de Pós-graduação em Educação – PPGE
Campus A. C. Simões
Av. Lourival Melo Mota, s/n - Tabuleiro do Martins
57072-900 - Maceió - AL, Brasil.
Telefone: +55 82 3214 1196
Link: http://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/

ISSN ELETRÔNICO: 2175-6600

DOI (Digital Object Identifier - Identificador de Objeto Digital)

Em 14 de dezembro de 2017, a Revista Debates em Educação passou a atribuir o DOI às suas publicações, padrão para identificação de documentos em redes digitais. 

Prefixo: 10.28998/2175-6600

QUALIS/CAPES (2013 - 2016):

– Ensino B1
– Interdisciplinar B4
– Letras / Linguística B4
– Psicologia B4
– Comunicação e Informação B4
– Sociologia B4
– Educação B5

PERIODICIDADE – QUADRIMESTRAL

De 2009 a 2016, a periodicidade da Revista Debates em Educação era semestral. A partir de 2017, a revista se tornou quadrimestral, de acordo com as datas abaixo:

– Primeiro quadrimestre: jan./abr. - limite para publicar a edição 30 abril.
– Segundo quadrimestre: maio/ago. - limite para publicar a edição 31 agosto.
– Terceiro quadrimestre: set./dez. - limite para publicar a edição 31 dezembro.

Os dizeres acima dizem respeito somente à data de publicação da edição e não ao envio de artigos.

O recebimento de artigos caracteriza-se por fluxo contínuo sem que seja possível prever a data de sua publicação.

________________________________________________________________________________________________________________________

A Revista Debates em Educação foi contemplada com o Edital Fapeal Nº 5/2016 Apoio à Editoração e Publicação de Periódicos Científicos e com o Edital Fapeal Nº 9/2018 Apoio à Editoração e Publicação de Periódicos Científicos.

________________________________________________________________________________________________________________________

A Revista Debates em Educação está indexada nas seguintes bases científicas.

 

. Open Journal Systems (OJS);

. Portal de Periódicos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES);

. Sistema Regional de Información en Línea para Revistas Científicas de América Latina, el Caribe, España y Portugal (Latindex);

. Citas Latinoamericanas en Ciencias Sociales y Humanidades (CLASE);

. Diretório de Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras (Diadorim);

. Directory of Open Access Journals (DOAJ);

Indice de Revistas de Educación Superior e Investigación Educativa (IRESIE);

European Reference Index for the Humanities (ERIH);

. Google Scholar;

. Clasificación Integrada de Revistas Científicas (CIRC);

. Periódicos de livre acesso (LivRe);

. Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Cientifico (REDIB);

. Sumários de Revistas Brasileiras (Sumários.org);

. Journals for Free (J4F);

. Information Matrix for the Analysis of Journals (MIAR);

. Directory of Research Journals Indexing (DRJI);

. Elektronische Zeitschriftenbibliothek (EZB);

. Bielefeld Academic Search Engine (BASE);

. World Catalog (WorldCat);

Finna | Satakunta University of Applied Sciences Library;

. CiteFactor;

International Institute of Organized Research (I2OR).

 

                 

_________________________________________________________________________________________________________________________

Licença Creative Commons

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.