Gamificação e tecnologias digitais: inovando as aulas de Língua Portuguesa

Sandra Virgínia Correia de Andrade Santos, Gilson Pereira dos Santos Júnior, Simone Lucena, Rafaela Virgínia Correia da Silva Costa

Resumo


Este artigo discute uma experiência de atividade gamificada vivenciada por professores da educação básica imersos em processos formativos em contexto digital. Objetivando compreender as contribuições da gamificação para o desenvolvimento da produção textual dos alunos, esta pesquisa inspira-se na epistemologia das práticas, com base no método da pesquisa-formação na perspectiva da multirreferencialidade. Os dados, de natureza qualitativa, foram produzidos a partir de registro de fotos e áudios, diário de pesquisa e relato de experiência, analisados por meio dos princípios da etnopesquisa crítica/formação, de Macedo (2006). A pesquisa demonstrou que o engajamento e a prática colaborativa, estimulados pelas atividades gamificadas, promoveram o envolvimento e a produção textual dos alunos.

Palavras-chave


Educação. Gamificação. Produção Textual.

Texto completo:

PDF

Referências


ANTUNES, Irandé Costa. Lutar com palavras: coesão e coerência. São Paulo: Parábola Editorial, 2005.

BURKE, Brian. Gamificar: Como a gamificação motiva as pessoas a fazerem coisas extraordinárias. São Paulo: DVS Editora, 2015.

CERTEAU, M. de. A invenção do cotidiano: 1. Artes de fazer. 9ª. ed. Tradução: Ephraim Ferreira Alves. Petropolis: Vozes, 2003.

CSIKSZENTMIHALYI, Mihaly; CSIKSZENTMIHALYI, Isabella. Beyond boredom and anxiety. San Francisco: Jossey-Bass, 1975.

MACEDO, Roberto Sidnei. Etnopesquisa Crítica, Etnopesquisa-Formação. Brasília: Liber Livro Editora, 2006.

LUCENA, Simone; SCHLEMMER, Eliane; ARRUDA, Eucidio Pimenta. A Cidade Como Espaço De Aprendizagem: Educação E Mobilidade Na Formação Docente. Revista Tempos e Espaços em Educação, v. 7, n. 14, p. 35-44, 2014.

LUCENA, Simone; OLIVEIRA, José Mario Aleluia. Culturas digitais na educação do século XXI. Revista Tempos e Espaços em Educação, v. 11, n. 01, p. 11-24, 2018

MARCUSCHI, Elizabeth. Escrevendo na escola para vida. In: BRASIL. Língua Portuguesa: ensino fundamental/coordenação. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, 2010.200p.: il. (Coleção Explorando o Ensino; v.19)

MARCUSCHI, Luiz Antônio. Produção textual, análise de gêneros e compreensão. São Paulo: Editora Parábola, 2008.

MARTINS, Cristina; GIRAFFA, Lucia Maria Martins. Gamificação nas práticas pedagógicas: teorias, modelo e vivências. In: TISE 2015 - XX Congreso Internacional de Informática Educativa, 2015, Santiago - Chile. Nuevas Ideas en Informática Educativa Memorias del XX Congreso Internacional de Informática Educativa. Santiago de Chile: Universidad de Chile, 2015. v. 11. p. 42-53. Disponível em

MARTINS, Cristina; GIRAFFA, Lucia Maria Martins. Possibilidades de ressignificações nas práticas pedagógicas emergentes da gamificação. ETD-Educação Temática Digital, v. 20, n. 1, p. 5-26, 2018. Disponível em < http://repositorio.pucrs.br/dspace/handle/10923/14543>. Acesso em 01 de mai 2019.

McGONIGAL, J. Reality is broken: why games make us better and how they can change the world. Penguin Press HC, 2011.

SANTOS, Edméa; RIBEIRO, Mayra Rodrigues Fernandes. A educação online como dispositivo de pesquisa-formação na cibercultura. Revista Diálogo Educacional. Curitiba, v. 18, n. 56, p. 36-60, jan./mar. 2018. Disponível em Acesso em 07 jun. 2019.

SANTOS, Edméa. Pesquisa-formação na cibercultura. Santo Tirso, Portugal: Whitebooks, 2014.

SCHLEMMER, E. Games e gamificação: uma alternativa aos modelos de ead. RIED. Revista Iberoamericana de Educación a Distancia, v. 19, n. 2, 2016. . Acesso em 01 de mai 2019.

ZICHERMANN, G.; LINDER, J. Game-based marketing: inspire customer loyalty through rewards, challenges, and contests. Wiley, 2010.




DOI: https://doi.org/10.28998/2175-6600.2020v12n27p634-648

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

_________________________________________________________________________________________________________________________

CONTATO:

E-mail: debatesemeducacao@gmail.com

Universidade Federal de Alagoas – UFAL
Centro de Educação – CEDU
Programa de Pós-graduação em Educação – PPGE
Campus A. C. Simões
Av. Lourival Melo Mota, s/n - Tabuleiro do Martins
57072-900 - Maceió - AL, Brasil.
Telefone: +55 82 3214 1196
Link: http://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/

ISSN ELETRÔNICO: 2175-6600

DOI (Digital Object Identifier - Identificador de Objeto Digital)

Em 14 de dezembro de 2017, a Revista Debates em Educação passou a atribuir o DOI às suas publicações, padrão para identificação de documentos em redes digitais. 

Prefixo: 10.28998/2175-6600

QUALIS/CAPES (2013 - 2016):

– Ensino B1
– Interdisciplinar B4
– Letras / Linguística B4
– Psicologia B4
– Comunicação e Informação B4
– Sociologia B4
– Educação B5

PERIODICIDADE – QUADRIMESTRAL

De 2009 a 2016, a periodicidade da Revista Debates em Educação era semestral. A partir de 2017, a revista se tornou quadrimestral, de acordo com as datas abaixo:

– Primeiro quadrimestre: jan./abr. - limite para publicar a edição 30 abril.
– Segundo quadrimestre: maio/ago. - limite para publicar a edição 31 agosto.
– Terceiro quadrimestre: set./dez. - limite para publicar a edição 31 dezembro.

Os dizeres acima dizem respeito somente à data de publicação da edição e não ao envio de artigos.

O recebimento de artigos caracteriza-se por fluxo contínuo sem que seja possível prever a data de sua publicação.

________________________________________________________________________________________________________________________

A Revista Debates em Educação foi contemplada com o Edital Fapeal Nº 5/2016 Apoio à Editoração e Publicação de Periódicos Científicos e com o Edital Fapeal Nº 9/2018 Apoio à Editoração e Publicação de Periódicos Científicos.

________________________________________________________________________________________________________________________

A Revista Debates em Educação está indexada nas seguintes bases científicas.

 

. Open Journal Systems (OJS);

. Portal de Periódicos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES);

. Sistema Regional de Información en Línea para Revistas Científicas de América Latina, el Caribe, España y Portugal (Latindex);

. Citas Latinoamericanas en Ciencias Sociales y Humanidades (CLASE);

. Diretório de Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras (Diadorim);

. Directory of Open Access Journals (DOAJ);

Indice de Revistas de Educación Superior e Investigación Educativa (IRESIE);

European Reference Index for the Humanities (ERIH);

. Google Scholar;

. Clasificación Integrada de Revistas Científicas (CIRC);

. Periódicos de livre acesso (LivRe);

. Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Cientifico (REDIB);

. Sumários de Revistas Brasileiras (Sumários.org);

. Journals for Free (J4F);

. Information Matrix for the Analysis of Journals (MIAR);

. Directory of Research Journals Indexing (DRJI);

. Elektronische Zeitschriftenbibliothek (EZB);

. Bielefeld Academic Search Engine (BASE);

. World Catalog (WorldCat);

Finna | Satakunta University of Applied Sciences Library;

. CiteFactor;

International Institute of Organized Research (I2OR).

 

                 

_________________________________________________________________________________________________________________________

Licença Creative Commons

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.